Mensagens de Cristo a Esmirna e Pérgamo

Lições da Bíblia

“Esmirna era uma cidade bela e rica, mas também um centro de adoração obrigatória ao imperador. A recusa em cumprir essa ordem podia levar as pessoas a perder seu status legal, ser perseguidas e até martirizadas.”1

“1. Leia Apocalipse 2:8-11. Qual era a circunstância da igreja de Esmirna? Que advertência Cristo deu sobre o que estava por vir?”1

Apocalipse (2:8-11 ARA)2: “8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver: 9 Conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico) e a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás. 10 Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. 11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte.

“A mensagem a Esmirna se aplica profeticamente à igreja na era pós­apostólica, em que os cristãos foram perseguidos. Os ‘dez dias’ (Ap 2:10) indicam os dez anos da perseguição promovida por Diocleciano, a partir de 303 d.C, e que durou até 313 d.C., quando Constantino, o Grande, publicou o Edito de Milão, que concedeu liberdade religiosa aos cristãos.”1

“Pérgamo foi o centro de vários rituais pagãos, incluindo o culto a Asclépio, o deus grego da cura, chamado de ‘Salvador’ e representado por uma serpente. As pessoas vinham de todos os lugares ao santuário de Asclépio para ser curadas. Pérgamo tinha uma função de liderança na promoção do culto ao imperador que, assim como em Esmirna, era obrigatório. Não é de admirar que os cristãos em Pérgamo vivessem na cidade ‘onde Satanás’ habitava e na qual seu trono estava localizado.”1

“2. De acordo com Apocalipse 2:12-15, como Jesus Se apresentou a essa igreja? Qual foi a avaliação de sua condição espiritual?”1

Apocalipse (2:12-15 ARA)2: “12 Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes: 13 Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita. 14 Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição. 15 Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas.

“Os cristãos em Pérgamo enfrentavam tentações tanto de fora quanto de dentro da igreja. Embora a maioria deles tivesse permanecido fiel, os ‘nicolaítas’ defendiam a transigência para com o paganismo a fim de evitar a perseguição. Como Balaão, que apostatou e incitou os israelitas a pecar contra Deus no caminho para a Terra Prometida (Nm 31:16), eles acharam mais conveniente, e até mais recompensador, fazer concessões em relação à sua fé. Embora o Concílio de Jerusalém tivesse proibido as ‘coisas sacrificadas a ídolos’ e as ‘relações sexuais ilícitas’ (At 15:29), a doutrina de Balaão ensinava os membros da igreja a rejeitarem essa decisão. A única solução que Jesus ofereceu a Pérgamo foi: ‘Arrependa-se!’ (Ap 2:16, NVI).”1

“A igreja em Pérgamo é uma descrição profética da igreja do período de 313 a 538 d.C. Embora alguns membros da igreja tenham permanecido fiéis, o declínio e apostasia aumentaram rapidamente.”1

“O que significa não negar a fé de Jesus (Ap 2:13; veja também Ap 14:12)? Como resistir à tendência de fazer concessões e ser fiéis até a morte (Ap 2:10)?”1

Domingo, 13 de janeiro de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Esmirna e Pérgamo

Lições da Bíblia

“2. Para a igreja de Esmirna, Jesus é apresentado como ‘o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver’ (Ap 2:8; ver Ap 1:18 [‘e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.]). Para a igreja em Pérgamo, Jesus é aquele que segura entre os dentes uma afiada espada de dois gumes (Ap 1:16; 2:12 [‘Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força. […] Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes:’]). Qual é o significado dessa descrição de Jesus para cada uma dessas igrejas?”1 Esmirna passou por sofrimentos causados pelo diabo, mas devia ser fiel até a morte para obter a coroa da vida. Em Pérgamo, havia pessoas sustentando doutrinas abomináveis. Jesus prometeu que lutaria contra isso com a espada de Sua boca.

“Leia Apocalipse 2:8-17 [‘8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver: 9 Conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico) e a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás. 10 Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. 11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte. 12 Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes: 13 Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita. 14 Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição. 15 Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas. 16 Portanto, arrepende-te; e, se não, venho a ti sem demora e contra eles pelejarei com a espada da minha boca. 17 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.’]. Os membros da igreja de Esmirna também eram conhecidos por seu trabalho árduo; contudo, eles não tinham muita coisa a mostrar como resultado disso, talvez por causa de uma ‘sinagoga de Satanás’ que havia em seu meio (Ap 2:9). Da mesma forma, os membros de Pérgamo pareciam se apegar à sua fé, embora o ‘trono de Satanás’ estivesse entre eles (Ap 2:13). Assim, a realidade do grande conflito também é vista ali.”1

“A igreja de Esmirna foi advertida a respeito dos tempos difíceis que estavam pela frente, incluindo a prisão e talvez até a morte de cristãos (Ap 2:10). Em Pérgamo alguém já havia sido morto por causa de sua fé (Ap 2:13). É importante notar que os tempos difíceis têm uma duração limitada; isto é, não é permitido que o mal continue além de um certo ponto (Ap 2:10).”1

“É preocupante que Deus tivesse ‘algumas coisas’ contra a igreja de Pérgamo (Ap 2:14-16). Aparentemente seus membros estavam tolerando em seu meio pessoas que ‘[sustentavam] a doutrina de Balaão’ e ‘a doutrina dos nicolaítas’ (Ap 2:14, 15).”1

“‘Nicolau e Balaão parecem ser termos paralelos; Nicolau é uma palavra grega composta (nikaō e laos) e significa ‘aquele que conquista o povo’. Balaão pode ser derivado de duas palavras hebraicas: am (‘pessoas’) ebaal (de bela, ‘destruir’ ou ‘engolir’), e significa ‘destruição de pessoas’ (Ranko Stefanovic, Revelation of Jesus Christ: Commentary on the Book of Revelation [Revelação de Jesus Cristo: Comentário do Livro do Apocalipse]. Berrien Springs, Mich.: Andrews University Press, 2002; p. 111). Jesus advertiu a igreja de que, se sua heresia continuasse, Ele viria pessoalmente e lutaria contra ela com a espada de Sua boca (Ap 2:16).”1

“Contudo, mesmo em meio a essas advertências, Jesus oferece grande encorajamento a essas duas igrejas (Ap 2:11, 17).”1

“Leia Apocalipse 2:14, 15. O que esses versos nos dizem sobre a ideia de que a doutrina não importa? Por que ela tem importância significativa?”1

Segunda-feira, 14 de março de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se pref//8ça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.