Abraão, o peregrino

Lições da Bíblia

“Um estudo da vida de Abraão revela que sua fé incluiu diferentes lutas contra a dúvida e a incredulidade com respeito ao poder de Deus. Os ancestrais de Abraão eram idólatras (Js 24:2), e talvez esse contexto explique por que ele nem sempre teve plena confiança no poder de Deus. Duas vezes ele mostrou covardia e pediu que Sara contasse apenas meia-verdade (Gn 12:11-13; 20:2). Ele riu (Gn 17:17) quando lhe foi dito que teria um filho com Sara. Apesar de suas falhas, Abraão ainda assim foi usado pelo Senhor, porque desejou ser usado por Ele e, dessa forma, o Senhor foi capaz de moldar seu caráter.”1

“Um dos meios que Deus usou para transformar Abraão num reformador e missionário foram suas muitas peregrinações. O ato de viajar é uma forma de educação. Ele torna a pessoa aberta a novas ideias e a possibilidades de mudança. As peregrinações para Jerusalém eram uma parte importante e exigida no culto israelita. As mudanças que os peregrinos experimentavam quando tinham que andar por longas distâncias, dormir em outros lugares, comer comidas diferentes, enfrentar outro clima e conhecer outras pessoas evidenciavam sua vulnerabilidade e, assim, aperfeiçoavam sua fé. Seu culto, com sacrifícios e ofertas, danças sagradas e recitação de salmos, ajudavam o povo de Deus a confirmar sua identidade e suas tradições.”1

“Nas viagens que fez desde sua terra natal, em Ur, até o local de seu sepultamento, em Hebrom, Abraão visitou pelo menos 15 diferentes áreas geográficas. A maioria dos episódios importantes e de mudança em sua vida estão ligados às suas viagens.”1

4. Quais são algumas das lições espirituais que Abraão obteve nos seguintes locais?1

Moré, em Siquém (Gn 12:6, 7): “6 Atravessou Abrão a terra até Siquém, até ao carvalho de Moré. Nesse tempo os cananeus habitavam essa terra. 7 Apareceu o SENHOR a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao SENHOR, que lhe aparecera.” (Gênesis 12:6-7 ARA)2. “Em Siquém, Abraão acreditou em Deus quando Este lhe fez a promessa de que daria à sua descendência aquela terra (ele não tinha filhos);”1

Hebrom (Gn 13:18–14:20): “18 E Abrão, mudando as suas tendas, foi habitar nos carvalhais de Manre, que estão junto a Hebrom; e levantou ali um altar ao SENHOR. 1 Sucedeu naquele tempo que Anrafel, rei de Sinar, Arioque, rei de Elasar, Quedorlaomer, rei de Elão, e Tidal, rei de Goim, 2 fizeram guerra contra Bera, rei de Sodoma, contra Birsa, rei de Gomorra, contra Sinabe, rei de Admá, contra Semeber, rei de Zeboim, e contra o rei de Bela (esta é Zoar). 3 Todos estes se ajuntaram no vale de Sidim (que é o mar Salgado). 4 Doze anos serviram a Quedorlaomer, porém no décimo terceiro se rebelaram. 5 Ao décimo quarto ano, veio Quedorlaomer e os reis que estavam com ele e feriram aos refains em Asterote-Carnaim, e aos zuzins em Hã, e aos emins em Savé-Quiriataim, 6 e aos horeus no seu monte Seir, até El-Parã, que está junto ao deserto. 7 De volta passaram em En-Mispate (que é Cades) e feriram toda a terra dos amalequitas e dos amorreus, que habitavam em Hazazom-Tamar. 8 Então, saíram os reis de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim e de Bela (esta é Zoar) e se ordenaram e levantaram batalha contra eles no vale de Sidim, 9 contra Quedorlaomer, rei de Elão, contra Tidal, rei de Goim, contra Anrafel, rei de Sinar, contra Arioque, rei de Elasar: quatro reis contra cinco. 10 Ora, o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram; alguns caíram neles, e os restantes fugiram para um monte. 11 Tomaram, pois, todos os bens de Sodoma e de Gomorra e todo o seu mantimento e se foram. 12 Apossaram-se também de Ló, filho do irmão de Abrão, que morava em Sodoma, e dos seus bens e partiram. 13 Porém veio um, que escapara, e o contou a Abrão, o hebreu; este habitava junto dos carvalhais de Manre, o amorreu, irmão de Escol e de Aner, os quais eram aliados de Abrão. 14 Ouvindo Abrão que seu sobrinho estava preso, fez sair trezentos e dezoito homens dos mais capazes, nascidos em sua casa, e os perseguiu até Dã. 15 E, repartidos contra eles de noite, ele e os seus homens, feriu-os e os perseguiu até Hobá, que fica à esquerda de Damasco. 16 Trouxe de novo todos os bens, e também a Ló, seu sobrinho, os bens dele, e ainda as mulheres, e o povo. 17 Após voltar Abrão de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele, saiu-lhe ao encontro o rei de Sodoma no vale de Savé, que é o vale do Rei. 18 Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo; 19 abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra; 20 e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.” (Gênesis 13:18–14:20 ARA)2. “em Hebrom, confiou em Deus ao sair contra os captores de Ló, e Deus lhe concedeu a vitória;1

Manre (Gn 18:1, 20-23): “1 Apareceu o SENHOR a Abraão nos carvalhais de Manre, quando ele estava assentado à entrada da tenda, no maior calor do dia. […] 20 Disse mais o SENHOR: Com efeito, o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito. 21 Descerei e verei se, de fato, o que têm praticado corresponde a esse clamor que é vindo até mim; e, se assim não é, sabê-lo-ei. 22 Então, partiram dali aqueles homens e foram para Sodoma; porém Abraão permaneceu ainda na presença do SENHOR. 23 E, aproximando-se a ele, disse: Destruirás o justo com o ímpio?” (Gênesis 18:1, 20-23 ARA)2. “em Manre, quando o Senhor lhe disse que iria destruir Sodoma, Abraão teve fé e fez perguntas a Deus a fim de entender melhor Seu propósito e, ao mesmo tempo, interceder por Sodoma;1

Monte Moriá (Gn 22:1-14): “1 Depois dessas coisas, pôs Deus Abraão à prova e lhe disse: Abraão! Este lhe respondeu: Eis-me aqui! 2 Acrescentou Deus: Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei. 3 Levantou-se, pois, Abraão de madrugada e, tendo preparado o seu jumento, tomou consigo dois dos seus servos e a Isaque, seu filho; rachou lenha para o holocausto e foi para o lugar que Deus lhe havia indicado. 4 Ao terceiro dia, erguendo Abraão os olhos, viu o lugar de longe. 5 Então, disse a seus servos: Esperai aqui, com o jumento; eu e o rapaz iremos até lá e, havendo adorado, voltaremos para junto de vós. 6 Tomou Abraão a lenha do holocausto e a colocou sobre Isaque, seu filho; ele, porém, levava nas mãos o fogo e o cutelo. Assim, caminhavam ambos juntos. 7 Quando Isaque disse a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? 8 Respondeu Abraão: Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o holocausto; e seguiam ambos juntos. 9 Chegaram ao lugar que Deus lhe havia designado; ali edificou Abraão um altar, sobre ele dispôs a lenha, amarrou Isaque, seu filho, e o deitou no altar, em cima da lenha; 10 e, estendendo a mão, tomou o cutelo para imolar o filho. 11 Mas do céu lhe bradou o Anjo do SENHOR: Abraão! Abraão! Ele respondeu: Eis-me aqui! 12 Então, lhe disse: Não estendas a mão sobre o rapaz e nada lhe faças; pois agora sei que temes a Deus, porquanto não me negaste o filho, o teu único filho. 13 Tendo Abraão erguido os olhos, viu atrás de si um carneiro preso pelos chifres entre os arbustos; tomou Abraão o carneiro e o ofereceu em holocausto, em lugar de seu filho. 14 E pôs Abraão por nome àquele lugar – O SENHOR Proverá. Daí dizer-se até ao dia de hoje: No monte do SENHOR se proverá.” (Gênesis 22:1-14 ARA)2. “no monte Moriá, Abraão teve fé para obedecer à ordem divina de sacrificar seu filho, o herdeiro da promessa.”1

Quarta-feira, 08 de julho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Exemplo de fé

Lições da Bíblia

“Embora não fosse perfeito, Abraão foi um homem de Deus, e é muitas vezes usado na Bíblia, até mesmo no Novo Testamento, como exemplo de fidelidade e do que significa ser salvo pela fé (ver Gn 15:6 [‘Ele creu no SENHOR, e isso lhe foi imputado para justiça.’]2; Gl 3:6[‘É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça.’]2).”1

3. O que Hebreus 11:8-19 nos diz sobre Abraão e sua fé que é tão importante para alguém que deseja ser missionário para Deus em qualquer área de atuação?1 “8 Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. 9 Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; 10 porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. 11 Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa. 12 Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e inumerável como a areia que está na praia do mar. 13 Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. 14 Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. 15 E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. 16 Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade. 17 Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas, 18 a quem se tinha dito: Em Isaque será chamada a tua descendência; 19 porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o recobrou.” (Hebreus 11:8-19 ARA)2. “A fé que Abraão teve foi demonstrada quando ele deixou para trás sua maneira de viver, ao sair sem saber aonde ia e o que o futuro lhe reservava, ao ter em vista a vida eterna e considerar-se alguém que estava neste mundo só de passagem; porém, o supremo exemplo de fé foi entregar a Deus o que de mais precioso tinha, seu filho, e continuar confiando nEle.1

“O Senhor desejava usar Abrãao, mas a primeira coisa que Ele precisava era fazer com que o patriarca deixasse seu passado para trás. A lição dessa história deve ser óbvia para todos, especialmente os que não têm um passado em harmonia com a vontade e a lei de Deus, o que na verdade inclui todos nós.”1

“Também é impressionante o fato de que, embora Abraão tivesse partido, foi ‘sem saber aonde ia’ (Hb 11:8). Embora a maioria dos missionários saiba para onde está indo, pelo menos num sentido geográfico, na verdade não sabemos (pelo menos em curto prazo) onde iremos parar (ainda que, em longo prazo, tenhamos absoluta certeza). Se soubéssemos, não seria preciso muita fé; portanto, esse desconhecimento é um pré-requisito para se viver verdadeiramente pela fé.”1

Outro ponto crucial é que Abraão esperava ‘a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador’ (v. 10). O patriarca conservou em mente o quadro mais amplo. Ele sabia que valeria a pena enfrentar lutas, dificuldades e tudo mais para concluir a jornada da fé.”1

“Sabia, também, que não era apenas um estrangeiro na ‘terra prometida’, mas um dos muitos ‘estrangeiros e peregrinos sobre a Terra’ (v. 13). Este mundo, e nossa vida nele, por mais preciosos que nos pareçam agora, não constituem, nem de longe, a totalidade do quadro.”1

“E, é claro, o maior exemplo de fé no Antigo Testamento foi o que Abraão se dispôs a fazer com seu filho no Monte Moriá por ordem de Deus.”1

“Você já experimentou o significado de dar um passo de fé? Quais dificuldades enfrentou? Que alegrias viveu? Sabendo o que você sabe agora, o que poderia ter feito de modo diferente?”1

Terça-feira, 07 de julho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O testemunho de Abraão para os reis

Lições da Bíblia

“Ló era parente de Abraão e o acompanhou em algumas de suas viagens. Sua escolha do vale do Jordão, bem regado, o colocou na companhia dos homens ímpios de Sodoma (Gn 13:1-13). Foi resgatado, primeiramente por Abraão (Gn 14:11-16), e mais tarde por dois anjos (Gn 19).”1

“Quando Abraão ficou sabendo que seu parente Ló estava com problemas, decidiu ajudá-lo. Ao resgatar Ló, Abraão comandou uma força militar de mais de 300 homens de sua própria casa. Numerosos reis estiveram envolvidos na batalha por Sodoma, e Abraão saiu vitorioso!”1

“2. Leia Gênesis 14:8-24. O que os atos de Abraão dizem sobre seu caráter e, consequentemente, sobre sua fé e seu Deus?”1 “8 Então, saíram os reis de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim e de Bela (esta é Zoar) e se ordenaram e levantaram batalha contra eles no vale de Sidim, 9 contra Quedorlaomer, rei de Elão, contra Tidal, rei de Goim, contra Anrafel, rei de Sinar, contra Arioque, rei de Elasar: quatro reis contra cinco. 10 Ora, o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram; alguns caíram neles, e os restantes fugiram para um monte. 11 Tomaram, pois, todos os bens de Sodoma e de Gomorra e todo o seu mantimento e se foram. 12 Apossaram-se também de Ló, filho do irmão de Abrão, que morava em Sodoma, e dos seus bens e partiram. 13 Porém veio um, que escapara, e o contou a Abrão, o hebreu; este habitava junto dos carvalhais de Manre, o amorreu, irmão de Escol e de Aner, os quais eram aliados de Abrão. 14 Ouvindo Abrão que seu sobrinho estava preso, fez sair trezentos e dezoito homens dos mais capazes, nascidos em sua casa, e os perseguiu até Dã. 15 E, repartidos contra eles de noite, ele e os seus homens, feriu-os e os perseguiu até Hobá, que fica à esquerda de Damasco. 16 Trouxe de novo todos os bens, e também a Ló, seu sobrinho, os bens dele, e ainda as mulheres, e o povo. 17 Após voltar Abrão de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele, saiu-lhe ao encontro o rei de Sodoma no vale de Savé, que é o vale do Rei. 18 Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo; 19 abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra; 20 e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo. 21 Então, disse o rei de Sodoma a Abrão: Dá-me as pessoas, e os bens ficarão contigo. 22 Mas Abrão lhe respondeu: Levanto a mão ao SENHOR, o Deus Altíssimo, o que possui os céus e a terra, 23 e juro que nada tomarei de tudo o que te pertence, nem um fio, nem uma correia de sandália, para que não digas: Eu enriqueci a Abrão; 24 nada quero para mim, senão o que os rapazes comeram e a parte que toca aos homens Aner, Escol e Manre, que foram comigo; estes que tomem o seu quinhão.” (Gênesis 14:8-24 ARA)2. “Abraão era alguém sempre pronto a socorrer e defender os oprimidos, não agia movido pelo desejo de ganho pessoal nem tirava vantagem do infortúnio de outros.1

“Para os reis sobre os quais obteve a vitória, Abraão revelou o poder de Deus. Mesmo durante essa missão de resgate, o ‘pai dos fiéis’ não perdeu seu chamado divino para ser uma bênção às nações. ‘O adorador de Jeová não somente havia prestado um grande serviço, mas mostrou-se um homem de valor. Viu-se que a justiça não é covardia, e que a religião de Abraão o tornava corajoso ao manter o direito e defender os oprimidos. Seu heroico ato conferiu-lhe uma grande influência entre as tribos vizinhas. Quando Abraão retornou, o rei de Sodoma saiu com seu séquito para honrar o vencedor. Rogou-lhe que tomasse os bens, pedindo apenas que os prisioneiros fossem restituídos. Pelos costumes da guerra, o despojo pertencia aos vencedores; mas Abraão não havia empreendido essa expedição com o objetivo de obter lucro, e recusou tirar vantagem daquele que fora infeliz, estipulando apenas que seus aliados recebessem a parte a que tinham direito” (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 135).”1

“Pense no seu comportamento em relação ao próximo nos negócios e em outras áreas. Que tipo de testemunho você apresenta sobre sua fé?”1

Segunda-feira, 06 de julho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O chamado de Abraão

Lições da Bíblia

Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12:1-3).1

“Abrão, cujo nome significava ‘pai exaltado’ e que teve seu nome mudado para Abraão, ‘pai de multidões’, cresceu em Ur, no território que hoje pertence ao Iraque. Deus o chamou para que se separasse do contexto social e espiritual que lhe era familiar e se mudasse para uma terra desconhecida, onde efetuaria nele uma renovação espiritual no espaço de 100 anos, transformando-o no ‘pai dos fiéis’. Em meio a lutas pessoais e familiares, Abraão se tornou um missionário-modelo para vários grupos de pessoas e um líder respeitado que deu testemunho de sua fé em Deus.”1

1. Que princípios você pode encontrar em Gênesis 12:1-3 que podem ser aplicados à nossa situação? O que Abraão experimentou e nós também podemos experimentar em nosso próprio modo de viver? Ver também Hebreus 11:8-10.1 “1 Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; 2 de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! 3 Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gênesis 12:1-3 ARA)2. “Deus pode pedir que deixemos tudo para trás e, confiando nEle, iniciemos uma etapa nova e desconhecida em nossa vida, porém se Ele pedir que façamos isso, é para que nos tornemos uma bênção aos outros.1

“O patriarca foi chamado a deixar para trás o passado, dar um passo de fé, crer no que parecia ser inacreditável e fazer o que Deus o chamava a fazer. Como resultado de sua fidelidade, todas as nações da Terra seriam abençoadas.”1

“Muitos de nós somos provados como Abraão foi. Talvez não ouçamos a voz de Deus falando diretamente a nós, mas Ele nos chama pelos ensinos de Sua Palavra e pelos eventos de Sua providência. Talvez seja necessário abandonar uma carreira que promete riqueza e honra; possivelmente tenhamos que deixar relacionamentos agradáveis e vantajosos e nos separar de familiares; talvez tenhamos que entrar no que parece ser apenas uma senda de negação própria, dificuldades e sacrifícios. Mas, se fomos chamados a isso, como podemos recusar?”1

“Em hebraico, o texto diz literalmente: ‘E Deus disse a Abrão: ‘Sai, por ti mesmo, de tua terra. […]’ Ele devia sair por si mesmo, isto é, por sua própria causa. Como devemos entender o significado disso, e como podemos aplicá-lo a nós?”1

Domingo, 05 de julho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Abraão: o primeiro missionário

Lições da Bíblia

Considerem o exemplo de Abraão: ‘Ele creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça’. Estejam certos, portanto, de que os que são da fé, estes é que são filhos de Abraão. Prevendo a Escritura que Deus justificaria pela fé os gentios, anunciou primeiro as boas-novas a Abraão: ‘Por meio de você todas as nações serão abençoadas’” (Gl 3:6-8, NVI).1
 
“Não é coincidência que as três principais religiões do mundo – judaísmo, cristianismo e islamismo – sejam às vezes chamadas de ‘religiões abraâmicas’. Isso ocorre porque as três, de uma forma ou de outra, reconhecem suas raízes nesse grande homem de Deus.”1

“Embora Abraão seja admirado como o exemplo máximo de fidelidade, a lição desta semana examinará essa fidelidade a partir de um ângulo diferente. Isto é, desejamos meditar nele como missionário, como alguém chamado pelo Senhor para ir a outra terra e testemunhar às pessoas a respeito do verdadeiro Deus, o Criador e Redentor.”1

“Deus teve para com Abraão e sua família depois dele (ver Gl 3:29) um triplo propósito: (1) que fossem os recebedores e guardiões da verdade a respeito do reino de Deus, que havia sido perdida na história anterior da humanidade; (2) que fossem o canal por meio do qual o Redentor entraria na História; e (3) que fossem, como fiéis servos de Deus, uma luz para as nações e para aqueles que precisavam conhecer o Senhor.”1
 
Incentive os jovens de sua igreja a dedicar as férias ao Projeto Calebe, Escola Cristã de Férias ou alguma outra atividade que leve esperança à sua comunidade.

Sábado, 04 de julho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

A fé de Abraão

Lições da Bíblia

“6. Leia Tiago 2:21-24 e compare com Romanos 4:1-5, 22-24. Como a fé de Abraão é descrita nesses textos e em que se baseia a justificação?”1 “1 Que, pois, diremos ter alcançado Abraão, nosso pai segundo a carne? 2 Porque, se Abraão foi justificado por obras, tem de que se gloriar, porém não diante de Deus. 3 Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. 4 Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. 5 Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça. […] 22 Pelo que isso lhe foi também imputado para justiça. 23 E não somente por causa dele está escrito que lhe foi levado em conta, 24 mas também por nossa causa, posto que a nós igualmente nos será imputado, a saber, a nós que cremos naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor,” (Romanos 4:1-5, 22-24 RA)2. Abraão não foi justificado por obras e sim pela fé, semelhantemente nós também somos justificados pelos méritos de nosso Senhor Jesus Cristo.

“Curiosamente, Tiago e Paulo citam Gênesis 15:6, mas parecem chegar a conclusões opostas. De acordo com Tiago, Abraão foi justificado pelas obras, mas Paulo, em Romanos 4:2, parece negar explicitamente essa possibilidade (compare com Tg 2:24).”1

“Porém, o contexto imediato de Romanos 4 tem que ver com a seguinte questão: A circuncisão é necessária para a justificação? Isto é, se os gentios tinham que se tornar judeus a fim de ser salvos (Rm 3:28-30). Paulo mostra que a fé de Abraão, não a sua ‘obra’ de ser circuncidado, foi a base da justificação, porque Abraão creu mesmo antes de ter sido circuncidado. Abraão foi circuncidado depois, como um sinal externo de sua fé interior (Rm 4:9-11). Mas as obras sozinhas, até mesmo a circuncisão, não são suficientes para a justificação, porque somente aqueles ‘que também andam nas pisadas daquela fé de Abraão, nosso pai’ (Rm 4:12, ARC), serão justificados.”1

“É essa ênfase realmente tão diferente da de Tiago? Em seguida, Paulo usa a mesma “prova” de fé de Abraão que Tiago usou (Rm 4:17-21). Abraão creu que Deus poderia ressuscitar Isaque porque Ele ‘vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem’ (Rm 4:17; compare com Hb 11:17-19). Paulo também define a fé salvadora como estar ‘plenamente convicto de que Ele era poderoso para cumprir o que prometera’ (Rm 4:21). Em suma, a fé que acredita no cumprimento das promessas de Deus e confia obedientemente em Sua Palavra é uma fé salvadora. Essas obras não são ‘obras da lei’, mas ‘obras da fé’. Ou, como Tiago diz: ‘Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou’ (Tg 2:22).”1

“Muitos enfatizam a importância da fé e obras, mas mesmo isso separa os dois, pelo menos até certo ponto. A verdadeira fé é ‘a fé que atua pelo amor’ (Gl 5:6). Boas obras não são apenas o sinal externo da fé, mas a atuação da fé. A confiança de Abraão no Deus que criou toda a vida o motivou a obedecer ao oferecer seu único filho, Isaque. De acordo com Tiago, é pela obediência que a fé se aperfeiçoa.”1

“Em sua experiência, as obras (ou a falta delas) afetam sua fé? Por outro lado, como sua fé influencia suas obras?”1

Quarta-feira, 05 de novembro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Carta de Tiago. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 478, Out. Nov. Dez. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

De Abraão a Moisés

Lições da Bíblia.

“Depois do Dilúvio, Noé e seus filhos tinham a responsabilidade de ensinar aos seus descendentes a vontade de Deus. A família de Noé sabia que a destruição global havia ocorrido no mundo como resultado da recusa da humanidade em obedecer à lei de Deus e, tendo experimentado a graça de Deus, eles poderiam fazer algo para ajudar a desenvolver uma geração mais fiel. Infelizmente, não muito tempo depois do Dilúvio, os habitantes da Terra novamente se rebelaram (Gn 11:1-9). ‘Muitos deles negavam a existência de Deus, e atribuíam o Dilúvio à operação de causas naturais. Outros criam em um Ser supremo, e que fora Ele que destruíra o mundo antediluviano; e seu coração, como o de Caim, ergueu-se em rebelião contra aquele Ser’1"2

“3. De que maneira a lei e a graça atuam juntas?”2 Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra. Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o SENHOR, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã. Levou Abrão consigo a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as pessoas que lhes acresceram em Harã. Partiram para a terra de Canaã; e lá chegaram. Atravessou Abrão a terra até Siquém, até ao carvalho de Moré. Nesse tempo os cananeus habitavam essa terra. Apareceu o SENHOR a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao SENHOR, que lhe aparecera. Passando dali para o monte ao oriente de Betel, armou a sua tenda, ficando Betel ao ocidente e Ai ao oriente; ali edificou um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR. Depois, seguiu Abrão dali, indo sempre para o Neguebe. Havia fome naquela terra; desceu, pois, Abrão ao Egito, para aí ficar, porquanto era grande a fome na terra. Quando se aproximava do Egito, quase ao entrar, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher de formosa aparência; os egípcios, quando te virem, vão dizer: É a mulher dele e me matarão, deixando-te com vida. Dize, pois, que és minha irmã, para que me considerem por amor de ti e, por tua causa, me conservem a vida. Tendo Abrão entrado no Egito, viram os egípcios que a mulher era sobremaneira formosa. Viram-na os príncipes de Faraó e gabaram-na junto dele; e a mulher foi levada para a casa de Faraó. Este, por causa dela, tratou bem a Abrão, o qual veio a ter ovelhas, bois, jumentos, escravos e escravas, jumentas e camelos. Porém o SENHOR puniu Faraó e a sua casa com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abrão. Chamou, pois, Faraó a Abrão e lhe disse: Que é isso que me fizeste? Por que não me disseste que era ela tua mulher? E me disseste ser tua irmã? Por isso, a tomei para ser minha mulher. Agora, pois, eis a tua mulher, toma-a e vai-te. E Faraó deu ordens aos seus homens a respeito dele; e acompanharam-no, a ele, a sua mulher e a tudo que possuía.” (Gênesis 12:1-20 RA)3; “Depois destes acontecimentos, veio a palavra do SENHOR a Abrão, numa visão, e disse: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande. Respondeu Abrão: SENHOR Deus, que me haverás de dar, se continuo sem filhos e o herdeiro da minha casa é o damasceno Eliézer? Disse mais Abrão: A mim não me concedeste descendência, e um servo nascido na minha casa será o meu herdeiro. A isto respondeu logo o SENHOR, dizendo: Não será esse o teu herdeiro; mas aquele que será gerado de ti será o teu herdeiro. Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no SENHOR, e isso lhe foi imputado para justiça.” (Gênesis 15:1-6 RA)3. Embora Abraão tenha demonstrado grande fé nas promessas de Deus, vacilou várias vezes em sua conduta como servo do Senhor, a pesar de suas fraquezas Deus derramou Sua graça sobre ele, e porque ele creu no SENHOR, e isso lhe foi imputado para justiça.

“Deus chamou Abraão, descendente de Sem, e fez uma aliança de bênção com ele (Gn 12:1-3). A Bíblia não apresenta nenhum critério para o chamado de Abraão. Ele não parece ter tido o perfil justo de Noé. De fato, logo após o chamado, ele provou ser covarde e enganador (Gn 12:11-13), violando a lei de Deus. Apesar disso, Abraão era um homem de fé verdadeira e, pela graça de Deus, essa fé lhe foi creditada como justiça. Embora ele não fosse perfeito, estava disposto a ouvir a voz de Deus, mesmo que isso significasse confiar em Deus para coisas que pareciam quase impossíveis do ponto de vista humano.”

“Abraão não estava sozinho entre os que estavam dispostos a ouvir a voz de Deus e obedecer aos Seus mandamentos. O Faraó (Gn 12:10-20), os dois Abimeleques e José estavam bem conscientes de que Deus não aprovava o adultério e a mentira. O segundo Abimeleque até mesmo repreendeu Isaque por expor o povo à tentação (Gn 26:10). Ainda que Deus tivesse escolhido Abraão para uma tarefa específica, havia pessoas em muitas nações diferentes que O temiam. Na verdade, depois que Abraão e sua aliança militar derrotaram Quedorlaomer e sua coalizão, Abraão foi abençoado pelo Rei Melquisedeque, que era ‘sacerdote do Deus Altíssimo’ (Gn 14:18). Essa é mais uma evidência de que existia o conhecimento de Deus no mundo nessa época, antes mesmo da obra e ministério de Moisés.”

Terça-feira, 17 de junho de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 WHITE, Ellen Gould. Patriarcas e profetas: o conflito entre o bem e o mal, ilustrado na vida de homens santos da antiguidade. Tradução de Flavio L Monteiro. 16. ed. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2006. p. 119

2 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

3 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.