Escravos, viúvas, órfãos e estrangeiros

Lições da Bíblia

“3. Leia Êxodo 23:9. Qual é a mensagem de Deus para Israel nesse verso? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Êxodo (23:9 ARA)2:

“Também não oprimirás o forasteiro; pois vós conheceis o coração do forasteiro, visto que fostes forasteiros na terra do Egito.”

A. (   ) Oprimam o estrangeiro que vive em Israel.

B. (   ) A essência é: ‘Façam aos outros o que vocês desejam que façam a vocês’.

Resposta sugestiva: F; V.

 “Como escravos recém-libertos, os israelitas sabiam o que era ser oprimido, explorado e marginalizado. Enquanto celebravam a liberdade, a preocupação de Deus era de que eles se esquecessem de onde tinham vindo, o que era ser excluído e o que Ele havia feito para salvá-los. Ele instituiu a Páscoa como um evento memorial e uma oportunidade para recontar a história: ‘O Senhor com mão forte nos tirou da casa da servidão’ (Êx 13:14).”1

“4. Leia Êxodo 22:21-23. Quando Deus instruiu o povo quanto ao modo de tratar os menos afortunados em sua nova sociedade, por que foi importante lembrá-los de sua própria história de escravidão?”1

Êxodo (22:21-23 ARA)2:

“21 Não afligirás o forasteiro, nem o oprimirás; pois forasteiros fostes na terra do Egito. 22 A nenhuma viúva nem órfão afligireis. 23 Se de algum modo os afligirdes, e eles clamarem a mim, eu lhes ouvirei o clamor;”

“Os ecos mal haviam desaparecido, após a promulgação dos Dez Mandamentos, quando Moisés foi chamado a passar mais tempo com Deus. Ele então recebeu instruções detalhadas sobre como esses grandiosos mandamentos deviam ser vividos na sociedade israelita. Mesmo antes das instruções para construir o tabernáculo, Deus concedeu, em três capítulos, leis como, por exemplo, o tratamento apropriado dos escravos – leis que estavam em claro contraste com o tratamento que os israelitas haviam recebido. Havia leis que tratavam de crimes violentos, leis relacionadas à propriedade, leis para a vida cotidiana e princípios para estabelecer tribunais que implementassem essas leis e administrassem a justiça (Leia Êxodo 22:21-23).”1

“Entre essas leis, destacava-se a preocupação com os concidadãos nessa nova sociedade, bem como o cuidado com os estrangeiros e os mais vulneráveis. Essas pessoas não deveriam ser exploradas; elas receberam até direitos de acesso ao alimento de maneira a respeitar sua dignidade, como a possibilidade de recolher as sobras das colheitas. Esse tratamento para com os estrangeiros não era comum no mundo antigo. Ainda hoje alguns parecem esquecer os importantes princípios morais encontrados aqui em relação à maneira de tratar os outros.”1

“Alguma lembrança o tornou mais compassivo e preocupado com o sofrimento ou a injustiça que atinge os outros? Qual?”1

Terça-feira, 09 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Os Dez Mandamentos

Lições da Bíblia

“2. Leia Mateus 22:37-40 e Êxodo 20:1-17. De que maneira o resumo que Jesus fez dos mandamentos nos ajuda a compreender cada um deles?”1

Mateus (22:37-40 ARA)2:

“37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 38 Este é o grande e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 40 Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.”

Êxodo (20:1-17 ARA)2:

“1 Então, falou Deus todas estas palavras: 2 Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. 3 Não terás outros deuses diante de mim. 4 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. 5 Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem 6 e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. 7 Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. 8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. 9 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 10 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; 11 porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou. 12 Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá. 13 Não matarás. 14 Não adulterarás. 15 Não furtarás. 16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. 17 Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.”

“Os Dez Mandamentos são como uma Constituição. Depois de uma breve introdução que define o fundamento sobre o qual as declarações são feitas – nesse caso, o fato de Deus ter libertado Seu povo – o documento lista os princípios centrais sobre os quais a nação está alicerçada. Na lei de Deus existem ordens específicas sobre como o ser humano pode viver melhor seu amor a Deus e ao próximo. Não é de admirar que muitas nações com uma herança cristã tenham extraído o fundamento de suas leis desses princípios orientadores.”1

“Embora algumas dessas declarações sejam breves, não devemos subestimar a amplitude de seu impacto nem a abrangência dos Dez Mandamentos como a lei da vida. Por exemplo, o sexto mandamento, ‘Não matarás’ (Êx 20:13), resume e inclui ‘todos os atos de injustiça que tendem a abreviar a vida’, bem como ‘uma negligência egoísta de cuidar dos necessitados e sofredores’ (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 308). Semelhantemente, a proibição de furtar (veja Êx 20:15) condena o ‘tráfico de escravos e proíbe a guerra de conquista’. Ela ‘requer o pagamento de débitos e salários justos’, além de proibir ‘toda a tentativa de obter vantagem pela ignorância, fraqueza ou infelicidade de outrem’ (Patriarcas e Profetas, p. 309).”1

“Podemos facilmente dizer a nós mesmos que não somos pessoas ruins. Por exemplo, se não estivermos diretamente envolvidos em assassinatos ou furtos evidentes, pode parecer que estamos em boa situação. Mas ao falar sobre os mandamentos, Jesus deixou claro que eles não são cumpridos simplesmente pelo fato de deixarmos de realizar algumas ações específicas. Ao contrário, nossos pensamentos e motivações, e até a omissão em fazer coisas que sabemos que devemos fazer, podem ser transgressões da Lei de Deus (veja Mt 5:21-30).”1

Mateus (5:21-30 ARA)2:

“21 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. 23 Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24 deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. 25 Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. 26 Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo. 27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. 28 Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. 29 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. 30 E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno.”

“Portanto, imagine uma sociedade na qual cada um dos Dez Mandamentos fosse levado a sério e vivido plenamente. Seria uma sociedade ativa e vibrante, em que todos entusiasticamente agiriam com base em seu amor a Deus, amando e cuidando uns dos outros.”1

Segunda-feira, 08 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Deus que ouve

Lições da Bíblia

“Certamente, vi a aflição do Meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento” (Êx 3:7).1

“Quatrocentos anos de espera é muito tempo, especialmente em condições de escravidão cada vez mais cruel. Deus havia prometido que voltaria ao Seu povo e o tiraria do Egito. Porém, a cada geração o povo era abandonado à edificação da riqueza e do prestígio de seus opressores idólatras, e durante todo esse tempo parecia que Deus estava em silêncio.”1

“Então, Deus Se manifestou de maneira singular. Ele apareceu em uma sarça ardente, no deserto distante, a um líder improvável, um príncipe fugitivo e humilde pastor chamado Moisés. A esse homem relutante Ele deu uma obra a fazer, e a primeira parte dessa obra consistia em retornar aos israelitas no Egito com a mensagem de que Deus havia ouvido e visto a opressão deles e de que, evidentemente, o Senhor Se importava. Na verdade, Deus estava prestes a fazer algo para mudar drasticamente a situação do Seu povo.”1

“1. Leia Êxodo 3:16, 17. Por que era importante que Deus começasse descrevendo Seu plano ao povo com essa mensagem específica? O que chama sua atenção sobre essa declaração divina?”1

Êxodo (3:16, 17 ARA)2:

“16 Vai, ajunta os anciãos de Israel e dize-lhes: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me apareceu, dizendo: Em verdade vos tenho visitado e visto o que vos tem sido feito no Egito. 17 Portanto, disse eu: Far-vos-ei subir da aflição do Egito para a terra do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu, para uma terra que mana leite e mel.”

“O Senhor tinha um plano para libertar Seu povo e conduzi-lo a uma terra melhor. Mas Sua intenção ia além disso. Ele não pretendia que Israel escapasse do Egito desprovido de recursos. Por centenas de anos, os israelitas contribuíram para a riqueza do Império Egípcio. Deus previu a resistência inicial de faraó, mas assegurou a Moisés que os israelitas seriam compensados por seus anos de trabalho árduo: ‘Eu darei mercê a este povo aos olhos dos egípcios; e, quando sairdes, não será de mãos vazias’ (Êx 3:21).”1

“Após muitos anos de opressão, Deus aproveitou a oportunidade para estabelecer um novo tipo de sociedade com esses ex-escravos. O Senhor desejava que eles vivessem de uma maneira diferente e estabelecessem um povo que continuasse sendo sustentável e viável. Seu plano previa que essa nova comunidade fosse um modelo para as nações vizinhas e, como foi planejado para Abraão, que as bênçãos que eles recebessem de Deus também abençoassem o mundo todo.”1

“Deus vê o sofrimento das pessoas no mundo e ouve seus pedidos de ajuda. O que isso revela sobre Ele? Considere Êxodo 4:31.”1

Êxodo (4:31 ARA)2:

“E o povo creu; e, tendo ouvido que o SENHOR havia visitado os filhos de Israel e lhes vira a aflição, inclinaram-se e o adoraram.”

Domingo, 07 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Plano para um mundo melhor

Lições da Bíblia

“Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu Sou o Senhor” (Lv 19:18).

“Em Sua misericórdia, Deus sempre manteve um relacionamento especial com algumas pessoas. Nas histórias de Enoque, Noé, Abraão, Isaque e Jacó – entre outras – vemos o anseio divino de reconstruir com o ser humano o relacionamento rompido. Mas isso não era apenas para o benefício desses poucos indivíduos e de suas famílias. A ligação deles com Deus e a bênção que eles receberam do Senhor fazia parte de um plano maior de reparar esse relacionamento e compartilhar a bênção com os outros. Deus disse a Abraão: ‘De ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! […]; em ti serão benditas todas as famílias da Terra’ (Gn 12:2, 3). Assim como Abraão foi abençoado, ele poderia ser uma bênção para os outros.”1

“Essa bênção viria mediante a nação de Israel e, em última instância, por meio do Messias, que procederia dessa nação. Com a formação do povo de Israel, Deus passou a trabalhar com toda a nação. Então, Ele começou a lhes dar leis, estatutos, festas e práticas que seriam um estilo de vida, a fim de que os que fossem abençoados por Ele pudessem abençoar outras pessoas também.”1

“Certamente esse princípio ainda existe hoje.”

Sábado, 06 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

Deus criou… – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Texto de Ellen G. White: Patriarcas e Profetas, p. 44-51 (“A Criação”).1

“‘Deus é amor’ (1Jo 4:8). Sua natureza, Sua lei são amor. Assim sempre foi; assim sempre será. ‘O Alto e o Sublime, que habita a eternidade’ (Is 57:15), cujos caminhos ‘são eternos’ (Hc 3:6), não muda. Nele ‘não pode existir variação ou sombra de mudança’ (Tg 1:17)” […].1

“Toda manifestação de poder criativo é uma expressão de amor infinito. A soberania de Deus compreende a plenitude de bênçãos a todos os seres criados (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 33).1

“Se os homens cumprissem seu dever como fiéis mordomos dos bens de Deus, nenhum clamor haveria por pão, nenhum sofredor em penúria, nenhum desagasalhado em necessidade. É a infidelidade dos seres humanos que gera o estado de sofrimento em que está mergulhada a humanidade. […] Deus fez dos homens Seus mordomos, e não deve ser feito responsável pelos sofrimentos, miséria, desamparo e necessidades da humanidade” (Ellen G. White, Beneficência Social, p. 16).1

Perguntas para discussão

“1. Analise a última declaração de Ellen White acima. Quem é responsável por grande parte da pobreza que vemos? O que isso revela sobre a importância da mordomia fiel?”1

“2. Durante milhares de anos o pecado tem arruinado a Terra. Apesar disso, ainda é possível ver o amor divino na criação? Considerando nossa fé no Criador, como podemos ajudar os outros a ver a bondade na Sua criação?”1

“3. O que significa a palavra mordomia? A lição desta semana expandiu seu pensamento sobre o que é ser um mordomo, especialmente quando somos chamados por Deus?”1

“4. Se nos lembrássemos de que todas as pessoas foram ‘criadas por Deus à Sua imagem’, nossa maneira de tratá-las seria diferente?”1

Sexta-feira, 05 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A rede familiar da humanidade

Lições da Bíblia

“Com a entrada do pecado, não demorou muito para que o mundo ‘desmoronasse’ ainda mais. Provocado pelo ciúme, incompreensão e ira, o primeiro assassinato envolveu os dois primeiros irmãos. Quando Deus questionou Caim sobre seu pecado, a resposta dele provavelmente tenha sido irônica e retórica: ‘Acaso, sou eu tutor de meu irmão?’ (Gn 4:9). A resposta inferida da pergunta inicial de Deus foi: ‘Sim, com certeza você é tutor do seu irmão’.”1

“5. Leia Provérbios 22:2. O que está implícito nessa afirmação aparentemente simples? O que isso revela sobre nosso relacionamento com os semelhantes?”1

Provérbios (22:2 ARA)2:

“O rico e o pobre se encontram; a um e a outro faz o SENHOR.”

“Cada pessoa que encontramos é uma criatura de Deus, criada à Sua imagem, e ela faz parte da rede de relacionamentos que une a todos no mundo que Ele formou, embora a criação esteja fragmentada e arruinada. ‘Achamo-nos entretecidos na teia humana. O mal que sobrevém a qualquer parte da grande fraternidade humana põe todos em perigo’ (Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 345). Gostemos ou não disso, por causa desse elo comum, Deus nos deu uma responsabilidade para com Ele e em relação aos outros (Mt 22:37-39 [‘37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 38 Este é o grande e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.]2).”1

“Em toda a Bíblia, é recorrente a afirmação de que Deus é o nosso Criador. Por exemplo, essa é uma das razões dadas para que nos lembremos do sábado (Êx 20:11) e para que adoremos a Deus no tempo do fim (Ap 14:7). É também uma motivação primária para que nos importemos com outras pessoas e nos interessemos pelos menos afortunados.”1

“Estamos todos unidos pelo vínculo da nossa origem comum em Deus. ‘O que oprime ao pobre insulta Aquele que o criou, mas a Este honra o que se compadece do necessitado’ (Pv 14:31). Esse vínculo poderia ser mais claro?”1

“Deus, como nosso Criador, tem um direito sobre nós que requer a dedicação de toda a nossa vida, inclusive nossa adoração, serviço e cuidado pelos outros. Somos, de fato, ‘tutores’ do nosso irmão, por mais difícil, frustrante e inconveniente que isso seja.”1

“Em sua opinião, por que as reivindicações de Deus como Criador são um tema recorrente em toda a Bíblia? Por que isso é tão importante? Como essa realidade deve influenciar nossa maneira de tratar os outros?”1

Quinta-feira, 04 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um mundo arruinado

Lições da Bíblia

“Deus deu a Adão e Eva algo que Ele não deu a nenhuma outra criatura da Terra: a liberdade moral. Eles eram seres morais de uma forma que as plantas e animais jamais poderiam ser. Deus valoriza tanto essa liberdade moral que permitiu que Seu povo escolhesse desobedecer. Ao fazer isso, Ele arriscou tudo o que havia criado com o objetivo maior de ter com Suas criaturas humanas um relacionamento fundamentado no amor e no livre-arbítrio.”1

“Visto que essa liberdade moral também existia para os anjos, havia também um destruidor, alguém que desejava perturbar o mundo bom e pleno que Deus havia criado. O anjo rebelde buscou usar a criatura especial de Deus na Terra – o ser humano – para realizar seu objetivo. Falando por meio da serpente, o diabo questionou a plenitude e suficiência daquilo que Deus havia concedido (veja Gn 3:1-5). A principal tentação foi cobiçar mais do que o Senhor lhes tinha dado, duvidar de Sua bondade e confiar em si mesmos.”1

“Nessa escolha foram arruinados os relacionamentos como Deus havia projetado. Adão e Eva não mais desfrutaram do relacionamento com o Criador para o qual haviam sido planejados (Gn 3:8-10). Esses dois seres humanos de repente perceberam que estavam nus e envergonhados, e o relacionamento entre eles foi alterado de forma quase irreparável. Sua interação com o restante da Terra também foi arruinada e se tornou hostil.”1

“4. Leia Gênesis 3:16-19. O que esses versículos revelam sobre a modificação nas relações entre o ser humano e o mundo natural? Assinale a alternativa correta:”1

Gênesis (3:16-19 ARA)2:

“16 E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará. 17 E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. 18 Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo. 19 No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.

A. (   ) A relação entre o homem e a natureza tornou-se melhor.
B. (   ) Não mais havia harmonia entre o homem e o mundo natural.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Por causa do pecado, a vida ficou muito mais difícil. As consequências foram reais, especialmente porque afetaram a humanidade e seus relacionamentos. Em certo sentido, estamos distantes de Deus, o Criador. Nossa família também é afetada em muitos aspectos e, frequentemente, nosso relacionamento com os outros é um desafio. Lutamos até em relação ao ambiente natural e ao mundo em que vivemos. Todas as facetas da vida mostram a ruína causada pelo pecado.”1

“Mas Deus não criou o mundo para que ele fosse assim. As ‘maldições’ de Gênesis 3 vêm acompanhadas da promessa de que Deus recriaria nosso mundo e repararia os relacionamentos arruinados pelo pecado. Enquanto lutamos contra o pecado e seus efeitos, somos chamados a preservar a bondade original do mundo e a viver o plano que Deus tem para ele.”1

Quarta-feira, 03 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.