A alma que pecar morrerá

Lições da Bíblia1

2. Leia Ezequiel 18:4, 20 e Mateus 10:28. Como esses versos podem nos ajudar a entender da alma humana?

Ezequiel 18:4, 20 (ARA)2: “4 Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá. […] 20 A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai, a iniquidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este.”

Mateus 10:28 (ARA)2: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.

A vida humana neste mundo pecaminoso é frágil e transitória (Is 40:1-8). Nada infectado pelo pecado pode ser eterno por natureza. “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado veio a morte, assim também a morte passou a toda a humanidade, porque todos pecaram” (Rm 5:12). A morte é a consequência natural do pecado, que afeta toda a vida neste mundo.

Sobre esse assunto, há dois conceitos bíblicos importantes. Um é que os seres humanos e os animais morrem: “O mesmo que acontece com os filhos dos homens acontece com os animais: como morre um, assim morre o outro. Todos têm o mesmo fôlego de vida, e o ser humano não tem nenhuma vantagem sobre os animais […] Todos vão para o mesmo lugar; todos procedem do pó e ao pó voltarão” (Ec 3:19, 20).

O segundo conceito é que a morte física de uma pessoa implica a cessação de sua existência como alma vivente (Heb. Nephesh chayyah). Em Gênesis 2:16, Deus havia alertado Adão e Eva de que, se pecassem, comendo o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, eles morreriam.

Ecoando essa advertência, o Senhor reforçou: “A alma que pecar, essa morrerá” (Ez 18:4, 20, ARA). Essa afirmação tem duas implicações principais. Uma é que, uma vez que todos os seres humanos são pecadores, estamos sob o inevitável processo de envelhecimento e morte (Rm 3:9-18, 23). Outra é que esse conceito bíblico invalida a noção de uma suposta imortalidade natural da alma. Se a alma fosse imortal e existisse em outro reino após a morte, não morreríamos realmente afinal, não é?

A solução bíblica para o dilema da morte não é uma alma sem corpo que migra para o paraíso ou para o purgatório, ou mesmo para o inferno. A solução é a ressurreição final dos que morreram em Cristo. Em Seu sermão sobre o Pão da Vida, Jesus declarou: “A vontade do Pai é que todo aquele que vir o Filho e Nele crer tenha a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6:40).

A segunda vinda de Jesus é assegurada pela primeira. De que terá servido a primeira vinda se não houver a segunda? Que esperança teríamos sem essa promessa?

Segunda-feira, 10 de outubro de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Vida, morte e eternidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 510, out. nov. dez. 2022. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s