Pela fé Abraão

Lições da Bíblia1

Hebreus define fé como “a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se veem” Hb 11:1). Em seguida, lista algumas pessoas fiéis da história de Israel que exemplificam o que é a fé e mostra como a manifestaram por meio de seus atos.

2. Leia Hebreus 11:1-19. O que os “heróis” da fé fizeram que exemplifica sua fé? Suas ações se relacionam com a esperança de coisas não vistas?

Hebreus 11:1-19 (ARA)2: “1 Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem. 2 Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho. 3 Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem. 4 Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim;pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala. 5 Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus. 6 De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam. 7 Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé. 8 Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. 9 Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; 10 porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. 11 Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa. 12 Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e inumerável como a areia que está na praia do mar. 13 Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. 14 Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. 15 E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. 16 Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade. 17 Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas, 18 a quem se tinha dito: Em Isaque será chamada a tua descendência; 19 porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o recobrou.”

Abraão provavelmente seja o personagem mais importante nesse capítulo. Seu último ato de fé é bastante instrutivo em relação à verdadeira natureza da fé.

Hebreus observa que a instrução divina a Abraão de que oferecesse seu filho como sacrifício parecia implicar uma contradição (Hb 11:17, 18). Isaque não era o único filho de Abraão; Ismael era seu primogênito, mas Deus disse ao patriarca que aceitasse o pedido de Sara e expulsasse Ismael e sua mãe, porque Ele cuidaria deles e porque a descendência de Abraão seria nomeada por meio de Isaque (Gn 21:12, 13). No capítulo seguinte, porém, o Senhor pediu a Abraão que oferecesse Isaque como holocausto. Essa instrução contida em Gênesis 22 parecia contradizer categoricamente as promessas divinas em Gênesis 12–21.

Hebreus afirma que Abraão surpreendentemente resolveu o enigma ao chegar à conclusão de que Deus ressuscitaria Isaque depois que ele o oferecesse. Isso é incrível porque ninguém ainda havia sido ressuscitado. No entanto, parece que a experiência anterior de Abraão com Deus o levou a essa conclusão. Hebreus 11:12 observa que Isaque foi concebido pelo poder divino por meio de alguém “praticamente morto”. Paulo também observou que, apesar de Abraão estar “praticamente morto” e Sara ser estéril, ele “creu, para vir a ser pai de muitas nações”, pois acreditava que Deus “vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem” (Rm 4: 17-20). Portanto, Abraão deve ter presumido que, se Deus, em certo sentido, já havia concedido vida a Isaque, Ele poderia fazê-lo novamente. Pelo modo como Deus tinha agido no passado, Abraão viu uma sugestão do que Ele poderia fazer no futuro.

Medite sobre como Deus conduziu sua vida no passado. Esse exercício é importante para manter sua fé e confiança Nele no presente?

Segunda-feira, 07 de março de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Hebreus mensagem para os últimos dias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 507, jan. fev. mar. 2022. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s