Sangue inocente – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Albert Camus escreveu muitas coisas sobre sua luta para encontrar respostas para a questão do sofrimento e o significado da vida que se torna mais problemática por causa do sofrimento. Sua citação mais famosa mostra que seu progresso foi pequeno: ‘Há apenas um problema filosófico realmente sério: o suicídio. Julgar se vale a pena viver equivale a responder a questão fundamental da filosofia’ (The Myth of Sisyphus and Other Essays [‘O mito de Sísifo e outros ensaios’]; Nova York: Vintage Books, 1995, p. 3). A questão do sofrimento humano não é fácil de responder.”1

“Há, porém, uma diferença crucial entre as pessoas que lutam sem Deus para obter respostas e aquelas que o fazem com Deus. De fato, o problema do sofrimento se torna mais difícil quando se acredita na existência de Deus, devido aos problemas inevitáveis que a existência dEle traz em face do mal e da dor. Por outro lado, temos o que ateus como Camus não têm: a possibilidade e a perspectiva da resposta e da resolução. (Há evidências de que Camus tivesse posteriormente desejado o batismo, porém ele logo morreu em um acidente automobilístico). Temos a esperança de que Deus ‘enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram‘ (Ap 21:4). Mesmo que alguém não acreditasse nessa promessa, essa pessoa teria que admitir que, se não houvesse nada mais que isso, a vida seria muito mais agradável por termos ao menos essa esperança.”1

Perguntas para reflexão

“Um argumento que as pessoas apresentam a respeito da questão do mal é este: ‘Sim, existe o mal neste mundo, mas também existe o bem, e o bem supera o mal.’ A primeira pergunta é: Como saber que o bem supera o mal? Como fazer essa comparação? A segunda pergunta é: Mesmo que isso fosse verdade, que proveito esse argumento teria para Jó (ou outras pessoas) em meio ao seu sofrimento? O filósofo alemão Arthur Schopenhauer usou um exemplo poderoso para ridicularizar a noção de equilíbrio entre o bem e o mal neste mundo: ‘Dizem que o prazer neste mundo supera a dor; ou, em todo o caso, que há um equilíbrio entre os dois. Caso o leitor deseje descobrir, brevemente, se essa afirmação é verdadeira, compare os respectivos sentimentos de dois animais, um dos quais esteja ocupado em comer o outro.’ Como você responderia à ideia de que o bem, de certa forma, se equilibra com o mal?”1

Sexta-feira, 18 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s