Um homem e seu Criador

Lições da Bíblia

“Com suas primeiras palavras, Elifaz jamais ganharia um prêmio por ‘tato e solidariedade’. Basicamente, ele estava dizendo que era fácil para Jó ser uma luz e conforto a outras pessoas quando as coisas lhe iam bem. Mas, depois que o mal lhe havia ocorrido, ele estava ‘perturbado’. Porém, ele não deveria estar. Afinal de contas, Deus é justo e, portanto, o mal que nos sobrevém é merecido.”1

“4. Leia Jó 4:12-21. Que outro argumento Elifaz apresentou a Jó?”1

“12 Uma palavra se me disse em segredo; e os meus ouvidos perceberam um sussurro dela. 13 Entre pensamentos de visões noturnas, quando profundo sono cai sobre os homens, 14 sobrevieram-me o espanto e o tremor, e todos os meus ossos estremeceram. 15 Então, um espírito passou por diante de mim; fez-me arrepiar os cabelos do meu corpo; 16 parou ele, mas não lhe discerni a aparência; um vulto estava diante dos meus olhos; houve silêncio, e ouvi uma voz: 17 Seria, porventura, o mortal justo diante de Deus? Seria, acaso, o homem puro diante do seu Criador? 18 Eis que Deus não confia nos seus servos e aos seus anjos atribui imperfeições; 19 quanto mais àqueles que habitam em casas de barro, cujo fundamento está no pó, e são esmagados como a traça! 20 Nascem de manhã e à tarde são destruídos; perecem para sempre, sem que disso se faça caso. 21 Se se lhes corta o fio da vida, morrem e não atingem a sabedoria.” (Jó 4:12-21 ARA)2.

O ser humano é injusto e impuro; Deus não confia nos Seus anjos, muito menos na humanidade; a vida é transitória. Elifaz tinha razão em parte de seu raciocínio, mas omitiu a esperança do perdão, que nos torna dignos na presença de Deus, e a promessa de vida eterna, que neutraliza o medo da transitoriedade da vida.1

“Há muitas coisas interessantes que poderíamos observar nesse texto, inclusive a maneira pela qual aqueles homens entendiam a natureza e o caráter do verdadeiro Deus, mesmo antes do surgimento da nação de Israel. O livro de Jó nos revela que, de fato, outras pessoas além dos patriarcas e dos israelitas tinham algum conhecimento do Senhor. Vemos Elifaz tentando defender o caráter de Deus.”1

“O que Elifaz tinha ouvido em suas ‘visões noturnas’ era uma teologia muito sólida e correta em muitos aspectos (veja Sl 103:14 [‘Pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó.’]2; Is 64:7 [‘Já ninguém há que invoque o teu nome, que se desperte e te detenha; porque escondes de nós o rosto e nos consomes por causa das nossas iniqüidades.’]; Rm 3:19, 20 [‘19 Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, 20 visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.’]2). Nós, seres humanos, somos barro; somos transitórios e podemos ser tão facilmente esmagados como a traça. E, naturalmente, quem pode ser mais justo do que Deus?”1

“Por outro lado, as palavras de Elifaz foram banais e fora de contexto. A questão com Jó não era se ele era melhor do que Deus. Não era essa a queixa dele. A maior parte do tempo Jó falava de quanto ele era miserável, quanto estava sofrendo, e não que ele fosse de algum modo mais justo do que Deus.”1

“Elifaz, no entanto, parece ter interpretado tudo isso na fala de Jó. Afinal, se Deus é justo, e o mal vem apenas sobre os maus, então Jó devia ter feito algo para merecer o que estava passando. Portanto, as queixas de Jó não eram justas. Ansioso para defender Deus, Elifaz começou a ‘dar um sermão’ em Jó. Mais do que alguma sabedoria coletiva que ele acreditava ter sobre Deus, Elifaz tinha algo mais: uma espécie de revelação sobrenatural que apoiava sua posição. O único problema, no entanto, é que a posição que ele tomou estava equivocada.”1

“Mesmo que estejamos certos em algum ponto, às vezes podemos não expressar a questão da maneira mais útil e redentora. Como evitar esse erro?”1

Terça-feira, 01 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nota: As ofertas apresentadas em forma de anúncios junto de nossas publicações são de responsabilidade da plataforma de hospedagem deste blog. Isso ocorre por termos optado pela modalidade de hospedagem gratuita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s