Alimentar os famintos

Lições da Bíblia

“Um dos atos mais conhecidos de Jesus foi a ocasião em que Ele providenciou alimentação para cinco mil homens, ‘além de mulheres e crianças’ (Mt 14:21). No entanto, como ocorre com tudo o mais no Novo Testamento, essa história não aconteceu sem um contexto que nos ajuda a entender ainda mais profundamente o significado do que Jesus fez.”1

“1. Leia Mateus 14:1-21. O que aconteceu pouco antes da alimentação miraculosa, e que papel esse evento pode ter desempenhado no que ocorreu a seguir?”1

“1 Por aquele tempo, ouviu o tetrarca Herodes a fama de Jesus 2 e disse aos que o serviam: Este é João Batista; ele ressuscitou dos mortos, e, por isso, nele operam forças miraculosas. 3 Porque Herodes, havendo prendido e atado a João, o metera no cárcere, por causa de Herodias, mulher de Filipe, seu irmão; 4 pois João lhe dizia: Não te é lícito possuí-la. 5 E, querendo matá-lo, temia o povo, porque o tinham como profeta. 6 Ora, tendo chegado o dia natalício de Herodes, dançou a filha de Herodias diante de todos e agradou a Herodes. 7 Pelo que prometeu, com juramento, dar-lhe o que pedisse. 8 Então, ela, instigada por sua mãe, disse: Dá-me, aqui, num prato, a cabeça de João Batista. 9 Entristeceu-se o rei, mas, por causa do juramento e dos que estavam com ele à mesa, determinou que lha dessem; 10 e deu ordens e decapitou a João no cárcere. 11 Foi trazida a cabeça num prato e dada à jovem, que a levou a sua mãe. 12 Então, vieram os seus discípulos, levaram o corpo e o sepultaram; depois, foram e o anunciaram a Jesus. 13 Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multidões, vieram das cidades seguindo-o por terra. 14 Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos. 15 Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lugar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo pelas aldeias, comprem para si o que comer. 16 Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer. 17 Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. 18 Então, ele disse: Trazei-mos. 19 E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos discípulos, e estes, às multidões. 20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolheram ainda doze cestos cheios. 21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.” (Mateus 14:1-21 ARA)2.

Uma aparente derrota com a morte de João Batista, o que trouxe tristeza para Jesus. Apesar desse sofrimento, Jesus Se compadeceu do povo, curou os doentes, pregou o evangelho e multiplicou o alimento. Ele supriu a necessidade do povo, provando que era o Messias e que João havia sido um vitorioso, pelo fato de ter dedicado a vida a anunciar o Cristo.1

“Coloque-se no lugar dos discípulos naquele momento. João Batista, que evidentemente era um homem de Deus, havia acabado de ser decapitado. Eles sabiam disso, porque tinham dado a notícia a Jesus. Embora o texto não revele, isso deve ter sido extremamente desanimador para eles. Sem dúvida, sua fé foi provada. Contudo, depois do que Jesus fez a seguir, a fé dos discípulos deve ter recebido um novo impulso, especialmente após aquele desapontamento.”1

“Há, porém, um significado muito mais profundo nessa história, independentemente de quanto ela tenha aumentado a fé dos discípulos. O ato de Jesus ao alimentar o povo fez com que todos se lembrassem do maná que Deus tinha providenciado para os israelitas no deserto. ‘Surgiu dentro do judaísmo a tradição de que o Messias viria numa Páscoa e que, com Sua vinda, o maná começaria a cair novamente. […] Portanto, quando Jesus alimentou os cinco mil, precisamente antes da Páscoa, ninguém devia ficar surpreso se a multidão começasse a especular se Ele era o Messias e se Ele estava para fazer um milagre ainda maior: alimentar todas as pessoas durante todo o tempo, restaurando o maná’ (Jon Paulien,John: The Abundant Life Bible Amplifier [João: Comentário Bíblico Vida Abundante]. Boise: Pacific Press Publishing Association, 1995; p. 139, 140).”1

“Esse era exatamente o tipo de Messias que o povo desejava: Alguém que cuidasse de suas necessidades exteriores. Naquele momento, as multidões estavam prontas para tornar Jesus rei, mas Ele não tinha vindo para ser rei, e Sua recusa os desapontou grandemente. Eles tinham suas expectativas, e quando estas não foram satisfeitas, muitos abandonaram Jesus, embora o Senhor tivesse vindo para fazer muito mais do que supunham suas expectativas estreitas e mundanas.”1

“Quão estreitas são suas espectativas quanto à maneira de Deus agir?”1

Fortaleça sua experiência com Deus. Acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/

Domingo, 08 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s