Vivendo a esperança do advento – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: Atos dos Apóstolos, p. 309-322 (“Chamado a Mais Elevada Norma”); O Grande Conflito, p. 653-661 (“Será Desolada a Terra”).

“Quando a voz de Deus põe fim ao cativeiro de Seu povo, há um terrível despertar daqueles que tudo perderam no grande conflito da vida. Enquanto perdurou o tempo da graça, estiveram cegos pelos enganos de Satanás e desculpavam sua conduta de pecado. Os ricos se orgulhavam de sua superioridade sobre aqueles que eram menos favorecidos; mas obtiveram suas riquezas transgredindo a lei de Deus. Negligenciaram alimentar o faminto, vestir o nu, tratar com justiça e amar a misericórdia. […] Venderam-se em troca das riquezas e gozos terrestres e não procuraram enriquecer para com Deus. O resultado é que sua vida foi um fracasso; seus prazeres se transformaram em amargura, seus tesouros em corrupção” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 654).1

“O grande conflito terminou. Pecado e pecadores não mais existem. O Universo inteiro está purificado. Uma única palpitação de harmonioso júbilo vibra por toda a vasta criação. Daquele que tudo criou emanam vida, luz e alegria por todos os domínios do espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até ao maior dos mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena beleza e perfeito gozo, declaram que Deus é amor” (O Grande Conflito, p. 678).1

Perguntas para discussão

“1. Precisamos nos preocupar com esta vida e com este mundo se tudo vai ser destruído e reconstruído por Deus? Como evitar o uso da promessa da nova vida para negligenciar os necessitados ou para explorar outras pessoas?”1

“2. Como adventistas, compreendemos que o mal, as dificuldades e o sofrimento aumentarão à medida que nos aproximarmos do retorno de Jesus. Quando essas coisas ocorrem, muitas vezes nos referimos a Mateus 24. Como devemos ver essas tragédias à luz de Mateus 25?”1

Resumo:

“Deus não permitirá que o mal perdure para sempre. A grande esperança bíblica é a vinda de Jesus, para acabar com o mal, curar a injustiça e criar um novo mundo (como ele foi planejado para ser). Com base na ressurreição de Jesus, essa esperança transforma o presente e encoraja nosso serviço a Deus e aos outros, enquanto aguardamos Sua vinda.”1

Sexta-feira, 13 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019.

A nota tônica do Apocalipse

Lições da Bíblia

“A conclusão do prólogo do Apocalipse indica o verdadeiro foco de todo o livro: o retorno de Jesus em poder e glória. A promessa da vinda de Cristo é reiterada três vezes na conclusão do livro (Ap 22:7, 12, 20).”1

“5. Leia Apocalipse 1:7, 8. O estilo das palavras desse texto é derivado de vários textos proféticos: Daniel 7:13, 14; Zacarias 12:10; Mateus 24:30. O que essas passagens revelam sobre a certeza da segunda vinda de Cristo?”1

Apocalipse (1:7, 8 ARA)2: “7 Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém!  8 Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Daniel (7:13, 14 ARA)2: “13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se ao Ancião de Dias, e o fizeram chegar até ele. 14 Foi-lhe dado domínio, e glória, e o reino, para que os povos, nações e homens de todas as línguas o servissem; o seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o seu reino jamais será destruído.

Zacarias (12:10 ARA)2: “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito.

Mateus (24:30 ARA)2: “Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória.

“No Apocalipse, a segunda vinda de Cristo é o ponto final rumo ao qual a história se dirige. Esse evento marcará a conclusão da história do mundo e o início do reino eterno de Deus bem como a libertação de todo mal, angústia, dor e morte.”1

“Como no restante do Novo Testamento, em Apocalipse 1:7, aponta-se para a vinda literal e pessoal de Cristo em majestade e glória. Todo ser humano vivo, incluindo aqueles que ‘O traspassaram’, testemunhará Sua vinda. Essas palavras indicam uma ressurreição especial de certas pessoas antes do retorno de Cristo, o que inclui os que O crucificaram. Com Sua vinda, Jesus trará libertação aos que O aguardam. No entanto, Ele trará também juízo aos que rejeitaram Sua misericórdia e Seu amor.”1

“A certeza da vinda de Cristo é confirmada com as palavras ‘Certamente. Amém!’ (Ap 1:7). A palavra ‘certamente’ é a tradução do termo grego nai; ‘amém’ é uma expressão hebraica com o sentido de confirmação. Juntas, essas duas palavras expressam certeza. Elas também encerram o livro com duas afirmações semelhantes (veja Ap 22:20 [‘Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus!’]2).”1

“Mais de dezoito séculos se passaram desde que o Salvador prometeu voltar. Ao longo dos séculos, Suas palavras têm enchido de ânimo o coração de Seus fiéis. A promessa ainda não foi cumprida: a voz do Doador da vida ainda não chamou os santos adormecidos de suas sepulturas; mas nem por isso deixa de ser segura a palavra proferida. Em Seu tempo, Deus cumprirá Sua palavra. Ficaremos fatigados hoje? Devemos perder nossa fé estando tão perto do mundo eterno? Alguém dirá que a cidade ainda está muito longe? Não, não! Um pouco mais e veremos o rei em Sua beleza. Um pouco mais, e Ele enxugará todas as lágrimas dos nossos olhos. Um pouco mais, e Ele nos apresentará, ‘com exultação, imaculados diante da Sua glória’ (Ellen G. White, The Advent Review and Sabbath Herald, 13 de novembro, 1913).”1

“Uma promessa feita é tão sólida quanto a integridade da pessoa que a fez e sua capacidade de cumpri-la. Cristo prometeu voltar. No passado, Ele cumpriu todas as Suas outras promessas. Esse fato dá a certeza de que Jesus retornará, como prometeu?”1

Quinta-feira, 03 de janeiro de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A certeza da volta de Cristo

Lições da Bíblia

“1. João 14:1-3 é a promessa mais conhecida da segunda vinda de Jesus. Como será a vida dos remidos na nova Terra? Assinale a alternativa correta:”1

João (14:1-3 ARA): “1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. 3 E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.

A (   ) Eles viverão com a lembrança da destruição dos ímpios.

B (   ) Eles serão recebidos por Jesus e morarão com Ele.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Os primeiros cristãos consideravam a volta de Cristo a ‘bendita esperança’ (Tt 2:13). Eles esperavam que todas as profecias e promessas das Escrituras fossem cumpridas no segundo advento, pois esse é o verdadeiro objetivo da peregrinação cristã. Todos os que amam a Cristo aguardam o dia em que poderão compartilhar de uma comunhão face a face com Ele. Esses versículos sugerem uma proximidade e intimidade da qual compartilharemos não só com Jesus, mas também uns com os outros.”1

“Os cristãos creem nessa promessa porque a Bíblia assegura seu cumprimento. Temos essa certeza porque acreditamos nas palavras de Jesus: ‘Voltarei’ (Jo 14:3). Assim como a primeira vinda de Cristo foi profetizada, Sua segunda vinda também foi predita, mesmo no Antigo Testamento. Antes do Dilúvio, Deus disse ao patriarca Enoque que a vinda do Messias em glória acabaria com o pecado. Ele profetizou: ‘Eis que veio o Senhor entre Suas santas miríades, para exercer juízo contra todos e para fazer convictos todos os ímpios, acerca de todas as obras ímpias que impiamente praticaram e acerca de todas as palavras insolentes que ímpios pecadores proferiram contra Ele’ (Jd 14, 15).”1

“Mil anos antes de Jesus vir a esta Terra, o rei Davi também profetizou que a vinda do Messias reuniria o povo de Deus. ‘Vem o nosso Deus e não guarda silêncio; perante Ele arde um fogo devorador, ao Seu redor esbraveja grande tormenta. Intima os céus lá em cima e a Terra, para julgar o Seu povo. Congregai os Meus santos, os que comigo fizeram aliança por meio de sacrifícios’ (Sl 50:3-5).”1

“A segunda vinda de Cristo está intimamente ligada ao Seu primeiro advento. As profecias que predisseram Seu nascimento e ministério (por exemplo, Gn 3:15; Mq 5:2; Is 11:1; Dn 9:25, 26) são o fundamento para nossa esperança e confiança na promessa de Sua segunda vinda. Cristo ‘Se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de Si mesmo, o pecado […]. Assim também Cristo, tendo-Se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que O aguardam para a salvação’ (Hb 9:26, 28).”1

“Como podemos obter esperança e conforto da promessa da segunda vinda de Cristo?”1

Domingo, 23 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Esteja preparado e atento

Lições da Bíblia

“‘Em todas as épocas foram requeridas dos seguidores de Cristo vigilância e fidelidade; mas agora que nos achamos no limiar do mundo eterno, possuindo as verdades que temos, de posse de tão grande luz, de uma obra tão importante, cumpre-nos dobrar a dedicação’ (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 460, 461).”1

“4. Leia Lucas 12:35-53 e resuma o que esses versos significam para você, especialmente se está esperando há muito tempo a vinda de Jesus.”1 “35 Cingido esteja o vosso corpo, e acesas, as vossas candeias. 36 Sede vós semelhantes a homens que esperam pelo seu senhor, ao voltar ele das festas de casamento; para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram. 37 Bem-aventurados aqueles servos a quem o senhor, quando vier, os encontre vigilantes; em verdade vos afirmo que ele há de cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e, aproximando-se, os servirá. 38 Quer ele venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar. 39 Sabei, porém, isto: se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, [vigiaria e] não deixaria arrombar a sua casa. 40 Ficai também vós apercebidos, porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá. 41 Então, Pedro perguntou: Senhor, proferes esta parábola para nós ou também para todos? 42 Disse o Senhor: Quem é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor confiará os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu tempo? 43 Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. 44 Verdadeiramente, vos digo que lhe confiará todos os seus bens. 45 Mas, se aquele servo disser consigo mesmo: Meu senhor tarda em vir, e passar a espancar os criados e as criadas, a comer, a beber e a embriagar-se, 46 virá o senhor daquele servo, em dia em que não o espera e em hora que não sabe, e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os infiéis. 47 Aquele servo, porém, que conheceu a vontade de seu senhor e não se aprontou, nem fez segundo a sua vontade será punido com muitos açoites. 48 Aquele, porém, que não soube a vontade do seu senhor e fez coisas dignas de reprovação levará poucos açoites. Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e àquele a quem muito se confia, muito mais lhe pedirão. 49 Eu vim para lançar fogo sobre a terra e bem quisera que já estivesse a arder. 50 Tenho, porém, um batismo com o qual hei de ser batizado; e quanto me angustio até que o mesmo se realize! 51 Supondes que vim para dar paz à terra? Não, eu vo-lo afirmo; antes, divisão. 52 Porque, daqui em diante, estarão cinco divididos numa casa: três contra dois, e dois contra três. 53 Estarão divididos: pai contra filho, filho contra pai; mãe contra filha, filha contra mãe; sogra contra nora, e nora contra sogra.” (Lucas 12:35-53 ARA)2. “Por todos os privilégios que tivemos, será terrível a perda caso não estejamos preparados quando o Senhor voltar. A demora não justifica a negligência; uma vez que o dia da volta do Senhor é desconhecido, temos que estar sempre vigilantes, cumprindo Sua vontade e mantendo viva a esperança de que Ele voltará.1

“Os cristãos não podem se dar ao luxo de ser negligentes nem apáticos. O contexto da garantida volta de Jesus, e do momento desconhecido em que ela ocorrerá, deve levar-nos a manter o corpo cingido com as vestes da justiça e nossa candeia acesa. A esperança escatológica deve ser a força impelente de nossa vida e de nosso trabalho, de nossa prontidão e de nossa fidelidade. É essa fidelidade em cumprir Sua vontade na Terra e a prontidão para encontrá-Lo em paz que distingue os bons servos dos maus servos.”1

“Qualquer negligência de fidelidade sob o pretexto de que ‘meu senhor tarda em vir’ (Lc 12:45) é equivalente a colocar-se sob o mais severo juízo de Deus (v. 45-48). Quanto maior é o privilégio, maior é a responsabilidade; portanto, àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido (v. 48).”1

“O juízo do antigo profeta: ‘Ai de vocês que vivem tranquilos em Sião’ (Am 6:1, NVI), parece refletir a advertência de Cristo de que o discipulado cristão não é uma situação de conforto. Paulo explica a vida cristã como uma batalha espiritual (Ef 6:12). O ponto focal é que todo cristão está envolvido no conflito cósmico entre Cristo e Satanás, e que a cruz traça uma clara linha entre os dois lados. Somente pela contínua fé no Cristo da cruz alguém pode obter a vitória final.”1

“‘Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e àquele a quem muito se confia, muito mais lhe pedirão’ (Lc 12:48). O que esse texto deve significar para nós, adventistas do sétimo dia?”1

Terça-feira, 02 de junho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.