Relação entre mente e corpo

Lições da Bíblia.

“Os antigos gregos ensinavam uma forma de dualismo, isto é, acreditavam que havia distinção entre o corpo e a alma. Em contrapartida, as Escrituras ensinam que os seres humanos são uma unidade integrada com as dimensões física, mental, emocional e espiritual. O que afeta uma parte do ser humano afeta todas demais partes. Os discípulos ensinaram que a saúde física, mental, emocional e espiritual estão interligadas e não podem ser separadas.”

“4. Como essa ideia é refletida em 1 Tessalonicenses 5:23?” “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Ts 5:23 RA). “Ao nos prepararmos para a volta de Cristo, precisamos ser santificados em tudo: espírito, alma e corpo. Não podemos ser irrepreensíveis se dedicamos parte do nosso ser ao pecado.”

“Para os cristãos do Novo Testamento, o bem-estar físico, mental e emocional está indissoluvelmente ligado ao bem-estar espiritual. O apóstolo Paulo exortou os fiéis a ‘glorificar a Deus em seu corpo’. Ele acreditava que toda a humanidade havia sido comprada por um preço e não somos de nós mesmos (1Co 6:19, 20). Cuidar do corpo, adotando estilo de vida mais saudável, faz muito mais do que acrescentar alguns anos à nossa vida. Feito com os motivos certos, pode ser um ato de adoração.”

“5. Como Romanos 12:2, 3, João 10:10 e 1 Coríntios 10:31 mostram a relação íntima entre saúde física e espiritual?” E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” (Romanos 12:2-3 RA); “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” (João 10:10 RA); Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10:31 RA). “Somente quando nossa mente (que fica no cérebro e envolve a saúde física) é transformada, podemos experimentar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus (saúde espiritual). Jesus veio ao mundo para que tenhamos vida em abundância (física e espiritual). Glorificamos a Deus com o que comemos, bebemos e fazemos.”

“Ao nos convencer da necessidade de crescimento, o Espírito Santo não Se limita a um aspecto de nossa vida. A reforma não tem apenas uma dimensão. O Espírito anseia colocar nossa vida em total conformidade com a vontade de Cristo em todos os aspectos. Se existem práticas da vida física que não estão em harmonia com Sua vontade, Deus nos convida a abandoná-las para a Sua glória. Satanás quer controlar nossa mente por meio do nosso corpo; Jesus deseja controlar nosso corpo por meio da nossa mente. Nossos corpos são um templo, não um parque de diversões. Seguindo os princípios do Céu, podemos ter vida mais alegre, produtiva, abundante e saudável.”

“Você já teve uma experiência que mostrou a ligação inseparável entre a natureza física e espiritual? Que escolhas você pode fazer para harmonizá-las de modo mais benéfico?”

Quarta-feira, 11 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Salvaguarda da mente

Lições da Bíblia.

’A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus’ (Fp 4:7). Essa é uma promessa maravilhosa, mas que devemos buscar ativamente a fim de torná-la real em nossa vida. Há muitas maneiras de baixar a guarda. Podemos deixar entrar o lixo de entretenimento deste mundo. Nossa mente pode ser dominada pela ira, amargura e ressentimento. Ela pode ser submersa no oceano do prazer inebriante ou dos hábitos viciantes. A boa notícia é que Jesus prometeu protegê-la, se permitirmos.”

“3. Leia 2 Coríntios 10:3-5. Quando Paulo disse que as ‘armas da nossa milícia não são carnais’, mas espirituais, o que ele quis dizer? Quais são as armas carnais? Quais são as armas espirituais? O apóstolo também falou sobre levar ‘cativo todo pensamento à obediência de Cristo’ (2Co 10:5). O que ele quis dizer, e como isso pode ser feito?” Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo,” (2 Coríntios 10:3-5 RA). ”Que somente o poder de Deus transforma e guarda a mente dos cristãos diante das fortalezas, argumentos e pretensões que se levantam contra o conhecimento de Deus. As armas espirituais (oração e estudo da Bíblia) nos levam à obediência de Cristo. As armas carnais são os pensamentos e sentimentos inspirados por Satanás.”

“Dizem que Martinho Lutero declarou: ‘Você não pode impedir que os pássaros voem sobre sua cabeça, mas pode impedir que eles façam ninhos em seu cabelo’. Em outras palavras, os pensamentos virão à nossa mente. Vemos, ouvimos e cheiramos coisas diferentes, que estimulam certos pensamentos. Diferentes experiências evocam emoções diferentes. Nem sempre podemos escolher os pensamentos que percorrem a mente, mas podemos escolher se vamos nos demorar neles e permitir que eles nos dominem. Trazer todo pensamento à obediência de Cristo é entregar nossa mente a Jesus. Pensamentos carnais não são banidos simplesmente pelo desejo de que eles desapareçam. Eles são expulsos quando a mente é preenchida com outra coisa. A mente concentrada nos princípios positivos da Palavra de Deus é ‘protegida’ e ‘mantida’ pela graça de Deus contra as ciladas do maligno.”

“Quando Paulo disse que devemos ter ‘a mesma mente que houve também em Cristo Jesus’ (Fp 2:5, versão NKJV), o que especificamente ele quis dizer? É possível ter a mente de Cristo? Que decisões e ações precisamos tomar para ‘ter’ essa mente transformada?”

Terça-feira, 10 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

A importância da mente

Lições da Bíblia.

“Os pensamentos acabam ditando o comportamento. A maneira de pensar influencia a maneira de agir. O inverso também é verdadeiro. Ações repetidas influenciam os pensamentos. O cristão é uma ‘nova criatura’. Antigos padrões de pensamento foram substituídos por novos (2Co 5:17).”

“Quando um barco a vela inicia sua jornada em direção ao mar, as velas são armadas e dirigem o barco. Ao longo do percurso, elas precisam ser reajustadas de modo a manter o curso correto. Se as velas são negligenciadas, o barco sairá do seu curso muito rapidamente. Semelhantemente, nossos pensamentos dirigem nossa vida espiritual. Quando o apóstolo Paulo exortou os cristãos a pensar ‘nas coisas lá do alto’ (Cl 3:1-4), estava nos chamando a focalizar os pensamentos na direção do Céu. Nossa mente é moldada por aquilo que colocamos nela. Nossos pensamentos são moldados por aquilo que contemplamos e com que gastamos nosso tempo.”

“1. Que milagre da graça acontece em nossa vida quando contemplamos a glória de Deus em Sua Palavra?” “Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” (2 Coríntios 3:17-18 RA). “Somos transformados na imagem dessa glória, pelo poder do Espírito Santo. As trevas do pecado são afastadas do nosso coração.”

“Ao contemplarmos Jesus em Sua Palavra, somos transformados. Novos pensamentos substituem os antigos. Contemplando-O, tornamo-nos mais semelhantes a Ele. ‘É lei, tanto da natureza intelectual como da espiritual, que, pela contemplação, nos transformamos. A mente gradualmente se adapta aos assuntos com os quais lhe é permitido ocupar-se. Identifica-se com aquilo que está acostumada a amar e reverenciar. Jamais se levantará o homem acima de sua norma de pureza, de bondade ou de verdade. Se o ‘eu’ é seu mais alto ideal, ele nunca atingirá qualquer coisa mais elevada. Antes, cairá constantemente. A graça de Deus unicamente tem poder para erguer o homem. Abandonado a si mesmo, seu caminho inevitavelmente será em direção descendente’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 555).”

“Reforma significa olhar para Jesus, permitir que Ele encha nossa mente, molde nossos pensamentos e guie nossas ações. Quando contemplamos Jesus, Ele nos guia a padrões mais elevados do que a mera rigidez das regras. Realmente, não podemos olhar para Jesus e permanecer os mesmos. Quando pensamos Seus pensamentos, temos somente um desejo: fazer Sua vontade.”

“Que conselho você daria a uma pessoa que luta para fazer de Jesus a prioridade do seu pensa­mento? O que a Bíblia quer dizer quando fala em ‘contemplar’ ou ‘olhar para Jesus’?”

Domingo, 08 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Reforma nova maneira de pensar

Lições da Bíblia.

“Se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da Terra” (Cl 3:1, 2).

“Isaac Watts é reconhecido como autor de mais de 750 hinos, muitos dos quais são cantados por milhares de cristãos. Certa ocasião, um desfile foi realizado em Londres em honra a Watts. As pessoas se aglomeravam nas ruas para obter um vislumbre desse homem famoso. Quando sua carruagem passou sob uma varanda cheia de espectadores, uma senhora ficou surpresa de que aquele homem pequeno, curvado sob o peso da idade, tivesse escrito hinos tão poderosos. Ela gritou: ‘O quê, você é Isaac Watts?’. Watts fez sinal para que a carruagem parasse. Ele se levantou e exclamou: ‘Senhora, se na minha imaginação eu pudesse alcançar os polos da Terra ou segurar a criação em minha mão, ainda seria medido pela minha mente, pois a mente é a medida de um homem’.”

“Isaac Watts estava certo. A mente é a medida de um homem, e reforma diz respeito à nossa mente. Se tivermos uma reforma em nosso pensamento, teremos uma reforma em nossas ações. Reforma ocorre quando o Espírito Santo harmoniza nossos pensamentos com os pensamentos de Cristo. Quando isso acontece, nossas ações seguem o mesmo caminho.”

Sábado, 07 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Reforma: vontade de crescer e mudar – Vídeo

Lições da Bíblia.

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

“Que nenhum homem apresente a ideia de que o ser humano tem pouco ou nada a fazer na grande obra de vencer, pois Deus não faz nada pelo homem sem sua cooperação. Não digam que, depois de terem feito tudo que puderem, Jesus irá ajudá-los. Cristo disse: ‘Sem Mim nada podeis fazer’ (Jo 15:5). Do princípio ao fim o ser humano deve cooperar com Deus. A menos que o Espírito Santo atue no coração humano, a cada passo tropeçaremos e cairemos. Os esforços da pessoa por si sós não são nada, mas inutilidade. Por outro lado, a cooperação com Cristo significa vitória. […] Nunca deixe na mente a impressão de que há pouco ou nada para fazer, por parte da humanidade, mas ensine as pessoas a cooperar com Deus, para que elas possam ser bem-sucedidas em vencer” (Ellen G. White, A New Life [Uma Nova Vida], p. 38, 39).

“Toda verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele de tal maneira Se identificará com nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. […] Mediante o apreço do caráter de Cristo, por meio da comunhão com Deus, o pecado se nos tornará aborrecível” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 668).

Perguntas para reflexão

“1. O crescimento na vida cristã ocorre quando reivindicamos pela fé as promessas de Deus. Quais são as promessas feitas para nós? (1Jo 1:7-9; Fp 4:13; Tg 1:5-8; Rm 8:31-39). Como você pode aprender a acreditar nelas por si mesmo?” “mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1:7-9); “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:13); “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento.” (Tiago 1:5-6); “Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica; Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós; quem nos separará do amor de Cristo? a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8:31-39).

“2. O que significa desenvolver nossa salvação com ‘temor e tremor’? O que deve nos fazer temer e tremer?”

“3. Alguma vez você, como Pedro, fez uma promessa a Deus, mas falhou em cumpri-la, por mais sincero que você tenha sido? O que você aprendeu com esse erro? Quais princípios encontramos na Bíblia que nos permitirão obter as vitórias prometidas?”

Sexta-feira, 06 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

A decisão de voltar

Lições da Bíblia.

“6. Leia Lucas 15:11-21. O que impeliu o filho pródigo a voltar para casa? Que princípios de reavivamento e reforma descobrimos nessa passagem?” “Continuou: Certo homem tinha dois filhos; o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me cabe. E ele lhes repartiu os haveres. Passados não muitos dias, o filho mais moço, ajuntando tudo o que era seu, partiu para uma terra distante e lá dissipou todos os seus bens, vivendo dissolutamente. Depois de ter consumido tudo, sobreveio àquele país uma grande fome, e ele começou a passar necessidade. Então, ele foi e se agregou a um dos cidadãos daquela terra, e este o mandou para os seus campos a guardar porcos. Ali, desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam; mas ninguém lhe dava nada. Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui morro de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores. E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho.” (Lucas 15:11-21 RA). “A fome, a necessidade provocada pela miséria de sua vida; o fracasso em tentar resolver sozinho seus problemas; a humilhação e a vergonha de cuidar de porcos e não poder comer o que os porcos comiam; lembrança da riqueza e da bondade do pai; disposição para se humilhar. Somos os pródigos espirituais. Precisamos voltar para casa.”

“Reavivamento pode ser definido de maneiras diferentes. Seja qual for a definição, um aspecto não deve ser esquecido: reavivamento significa voltar para casa. É uma fome intensa de conhecer profundamente o amor do Pai. Reforma é a decisão de responder à orientação do Espírito Santo para mudança e crescimento. É a escolha de desistir de tudo o que impede o relacionamento mais íntimo com Deus. O filho pródigo não poderia ter ao mesmo tempo o chiqueiro dos porcos e o banquete do pai.”

“Simplificando, o jovem sentiu tanto a falta do seu lar que não podia permanecer onde estava. Em seu coração, havia a ansiedade para retornar. É essa ânsia pela presença de Deus que nos leva a desejar o reavivamento e a reforma. É esse clamor do coração pelo caloroso abraço do Pai que nos motiva também a fazer as mudanças necessárias em nossa vida.”

“Quando o jovem se preparou para voltar ao lar, planejou seu pedido de desculpas. Ele deve tê-lo ensaiado muitas vezes.”

“7. Leia o discurso do filho em Lucas 15:18, 19 e a interrupção feita pelo pai nos versos 20-24. O que essa interrupção revela sobre a atitude do pai para com o filho e sobre a atitude de Deus para conosco?” “Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores.” (Lucas 15:18-19 RA); “E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. O pai, porém, disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, vesti-o, ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai o novilho cevado. Comamos e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado. E começaram a regozijar-se.” (Lucas 15:20-24 RA). “O pai teve compaixão do filho e o recebeu com amor e alegria, assim como Deus faz conosco.”

“Embora o filho estivesse longe dos olhos, não estava longe do coração do pai. A cada dia, os olhos do pai o procuravam no horizonte. A maior motivação para fazer mudanças em nossa vida é o desejo de não mais entristecer o coração dAquele que nos ama tanto. Enquanto o rapaz estava chafurdando na lama com os porcos, o pai sofria mais do que o próprio filho. Reavivamento ocorre quando o amor de Deus quebranta nosso coração. Reforma ocorre quando decidimos responder a um amor que não desiste de nós, quando escolhemos desistir de atitudes, hábitos, pensamentos e sentimentos que nos separam dEle.”

“A declaração do pai, de que o seu ‘filho estava morto e reviveu’ não é uma definição esclarecedora do verdadeiro reavivamento? O que significa estar morto e reviver?”

Quarta-feira, 04 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Poder de escolha

Lições da Bíblia.

“A mudança ocorre no momento da escolha. A reforma ocorre quando escolhemos nos submeter ao poder de convencimento do Espírito Santo e sujeitar nossa vontade à vontade de Deus. Ele nunca forçará nem manipulará nossa vontade. Ele respeita nossa liberdade. Seu Espírito impressiona nossa mente, convence-nos e nos leva a fazer o bem. Mas a escolha de responder aos apelos do Espírito Santo é, sempre e unicamente, nossa.”

“3. Leia Filipenses 2:12-14. Como essa passagem mostra a necessidade de cooperar com Deus em nosso crescimento na graça? O que Paulo quis dizer com as expressões ‘desenvolvei a vossa salvação’ e ‘Deus é quem efetua em vós?’“Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. Fazei tudo sem murmurações nem contendas,” (Filipenses 2:12-14 RA). “A salvação começa com o perdão oferecido na cruz, mas continua na vida vitoriosa do cristão, na qual deve existir cooperação entre o poder de Deus que atua em nosso coração e nosso poder de decisão, que permite a atuação divina em nós e nos faz crescer espiritualmente.”

“Não podemos desenvolver aquilo que Deus já não tenha realizado em nós. Quando Ele atua em nós por meio do Seu poder sobrenatural, somos capazes de fazer as escolhas para ‘desenvolver’ em nossa vida a graça e a força que Ele colocou em nós.”

“Quando o homem finito e pecaminoso põe em ação a própria salvação com temor e tremor, Deus é quem efetua nele tanto o querer como o realizar, segundo Sua boa vontade. Deus não agirá, porém, sem a cooperação do homem. Este precisa exercitar ao máximo suas faculdades; deve colocar-se como apto e dócil aluno na escola de Cristo e, ao aceitar a graça que lhe é oferecida livremente, a presença de Cristo no pensamento e no coração lhe dará firmeza de propósito para desembaraçar-se de todo peso do pecado, a fim de que o coração seja tomado de toda a plenitude de Deus e Seu amor” (Ellen G. White, Fundamentos da Educação Cristã, p. 134).

“A reforma ocorre quando cooperamos com Deus, optando por entregar a Ele tudo o que o Espírito Santo aponta como não estando em harmonia com Sua vontade. A menos que façamos essas escolhas (às vezes muito dolorosas), as positivas mudanças espirituais não ocorrerão.”

“Deus não removerá pela força os pensamentos egoístas de nossa mente. Não arrebatará misteriosamente os hábitos prejudiciais ou prazeres secretos, mas nos convence do pecado e do que é certo. No entanto, temos que escolher. Então, Ele fortalece nossas escolhas.”

“O que significa cooperar com Deus no desenvolvimento da nossa salvação? O que não significa? Qual foi a última vez que você se sentiu profundamente convencido de algo e, pela graça de Deus, superou o problema, mesmo tendo que enfrentar uma luta difícil?”

Segunda-feira, 02 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF