Escolhidos entre todos os povos

Lições da Bíblia1

“Porque vocês são povo santo para o Senhor, seu Deus. O Senhor, seu Deus, os escolheu, para que, de todos os povos que há sobre a Terra, vocês fossem o Seu povo próprio” (Dt 7:6).

Sem dúvida, o Senhor escolheu especificamente o povo hebreu para ser Seu representante especial na Terra. A palavra traduzida como “próprio” no verso acima, segulah, pode significar “propriedade valiosa” ou “tesouro peculiar”. Além disso, é crucial lembrar que essa escolha foi totalmente um ato de Deus, uma expressão de Sua graça. Não havia nada no povo em si que o fizesse merecer essa graça. Não poderia haver, pois a graça é imerecida.

1. Como Ezequiel 16:8 explicou a escolha do Senhor por Israel?

Ezequiel 16:8 (ARA)2: “Passando eu por junto de ti, vi-te, e eis que o teu tempo era tempo de amores; estendi sobre ti as abas do meu manto e cobri a tua nudez; dei-te juramento e entrei em aliança contigo, diz o SENHOR Deus; e passaste a ser minha.

“Por que Israel foi escolhido por Yahweh? Isso era inexplicável. Israel era um pequeno povo sem grande cultura nem prestígio. Não possuía nenhuma qualidade pessoal especial que justificasse essa escolha. A eleição foi unicamente um ato de Deus […]. A principal causa para essa escolha está no mistério do amor divino. No entanto, o fato é que Deus amou Israel e o escolheu, honrando assim Sua promessa aos pais […]. Israel havia sido escolhido em virtude do amor de Yahweh para com ele. Foi libertado da escravidão no Egito por uma demonstração do poder de Yahweh. Uma vez que ela compreendesse esses grandes fatos, perceberia que realmente é um povo santo e especialmente estimado. Portanto, qualquer tendência de sua parte de renunciar a uma condição tão nobre era extremamente repreensível” (J. A. Thompson, Deuteronomy [Deuteronômio]. Londres: Inter-Varsity Press, 1974, p. 130, 131).

De acordo com o plano divino, os israelitas deveriam ser uma nação real e sacerdotal. Em um mundo ímpio, eles deveriam ser reis morais e espirituais, no sentido de que deviam prevalecer sobre o reino do pecado (Ap 20:6). Como sacerdotes, deveriam se aproximar do Senhor em oração, louvor e sacrifício. Como intermediários entre Deus e os pagãos, deveriam servir como instrutores, pregadores e profetas, e ser exemplos de um viver santo, expositores do Céu acerca da verdadeira religião.

No verso de hoje, o Senhor declarou que Israel deveria se destacar em relação a “todos os povos que há sobre a Terra”. Considerando tudo o que a Palavra ensina sobre a virtude da humildade e o perigo do orgulho, o que esse verso significa? Como eles deveriam se destacar em relação a “todos os povos”? Devemos aplicar essa ideia a nós como igreja? De que modo?

Domingo, 02 de maio de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O povo escolhido de Deus

Lições da Bíblia

“Ao chamar Abraão para ser Seu servo, Deus escolheu para Si um povo para representá-Lo. Esse chamado e eleição foi um ato de amor e graça de Deus. O chamado do Senhor a Israel foi fundamental para Seu plano de restauração da humanidade após a devastação e desunião causada pela queda. A história sagrada é o estudo da obra de Deus em relação a essa restauração, e um elemento importante desse plano foi a nação da aliança: Israel.”1

“6. De acordo com Deuteronômio 7:6-11, por que Deus chamou Israel para ser Seu povo? Por que Ele escolheu os descendentes de Abraão como Seu povo?”1

Deuteronômio (7:6-11 ARA): “6 Porque tu és povo santo ao SENHOR, teu Deus; o SENHOR, teu Deus, te escolheu, para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra. 7 Não vos teve o SENHOR afeição, nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os povos, 8 mas porque o SENHOR vos amava e, para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão poderosa e vos resgatou da casa da servidão, do poder de Faraó, rei do Egito. 9 Saberás, pois, que o SENHOR, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e cumprem os seus mandamentos; 10 e dá o pago diretamente aos que o odeiam, fazendo-os perecer; não será demorado para com o que o odeia; prontamente, lho retribuirá. 11 Guarda, pois, os mandamentos, e os estatutos, e os juízos que hoje te mando cumprir.

“O amor de Deus pela humanidade está no centro da eleição de Israel como Seu povo. Deus fez uma aliança com Abraão e seus descendentes para preservar o conhecimento Dele por meio de Seu povo e para promover a redenção da humanidade (Sl 67:2). No entanto, um ato supremo de amor fez com que Deus escolhesse Israel. Os descendentes de Abraão não tinham nada do que se vangloriar para reivindicar o amor imerecido de Deus. ‘Não vos teve o Senhor afeição, nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os povos’ (Dt 7:7).”1

“Deus usou uma estranha inversão de valores para escolher Seu povo. Enquanto o homem considera o poder, a sabedoria e a autoconfiança para escolher seus líderes, Deus não escolhe os fortes nem poderosos para servi-Lo, mas aqueles que sentem ou reconhecem sua fraqueza, insensatez e insignificância, para que ninguém se glorie diante Dele (1Co 1:26-31).”1

“No entanto, veja o privilégio de Israel: ‘Deus desejava fazer do povo de Israel um louvor e glória. Todos os privilégios espirituais lhes foram concedidos. Deus nada reteve que pudesse ser útil para a formação do caráter que os tornaria representantes Seus.’”1

“‘Sua obediência à lei de Deus os tornaria uma maravilha de prosperidade ante as nações do mundo. Ele que lhes podia dar sabedoria e perícia em todo artifício, continuaria a ser seu Mestre, e os enobreceria e elevaria pela obediência às Suas leis. Se fossem obedientes seriam preservados das enfermidades que afligiam outras nações e abençoados com vigor intelectual. A glória de Deus, Sua majestade e poder deveriam ser revelados em toda a sua prosperidade. Deveriam ser um reino de sacerdotes e príncipes. Deus lhes proveu toda a possibilidade de se tornarem a maior nação da Terra’ (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 288).”1

“Quais paralelos encontramos entre o que Deus fez pelo antigo Israel e o Seu chamado para eles e o que Ele fez por nós e o Seu chamado para nós? Comente com a classe.”1

Quinta-feira, 04 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.