Não debaixo da lei, mas da graça

Lições da Bíblia

“3. Leia Romanos 6:14. Como entender esse texto? Ele significa que os Dez Mandamentos já não são mais obrigatórios? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Romanos (6:14 ARA)2: “Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça.1

A.( ) Quem anda debaixo da graça é livre da condenação da lei do pecado, pois o pecado não mais o domina.
B.( ) Quem anda debaixo da graça pode pecar livremente, pois Jesus já pagou o preço exigido pela lei.

Resposta sugestiva: V, F.

“Romanos 6:14 é uma das principais declarações dessa carta. Além disso, é uma das passagens frequentemente citadas quando alguém tenta argumentar que o sétimo dia, o sábado, foi abolido.”1

“No entanto, obviamente não é isso que o texto significa. Como perguntamos antes, como a lei moral poderia ser eliminada e o pecado ainda ser uma realidade? A lei moral é o que define o pecado! Se você ler tudo o que vem antes em Romanos, mesmo no capítulo 6, será difícil ver como, em meio a toda essa discussão sobre a realidade do pecado, Paulo diria subitamente: ‘A lei moral que define o pecado, isto é, os Dez Mandamentos, foi abolida.’ Isso não faz sentido.”1

“Paulo estava dizendo aos romanos que a pessoa que vivia ‘debaixo da lei’, ou seja, debaixo da estrutura judaica posta em prática em seu tempo, com todas as suas regras e regulamentos feitos por homens, seria governada pelo pecado. Em contrapartida, uma pessoa que vive debaixo da graça terá vitória sobre o pecado, porque a lei está escrita em seu coração e essa pessoa permite que o Espírito de Deus guie seus passos. Aceitar Jesus Cristo como o Messias, ser justificado por Ele, ser batizado em Sua morte, ter o ‘velho homem’ destruído, andar em novidade de vida – são essas as coisas que destronarão o pecado de nossa vida. Lembre-se, esse é o contexto de Romanos 6:14, o contexto da promessa de vitória sobre o pecado.”1

“Não devemos definir ‘debaixo da lei’ de maneira muito restritiva. A pessoa que supostamente vive ‘debaixo da graça’, mas desobedece à lei de Deus, não encontrará graça, mas condenação. Quando a Bíblia diz que estamos ‘debaixo da graça’ ela quer dizer que, por meio da graça de Deus revelada em Jesus, foi removida a condenação que a lei inevitavelmente traz aos pecadores. Portanto, livres agora dessa condenação da morte trazida pela lei, vivemos em ‘novidade de vida’, uma vida caracterizada pelo fato de que, estando mortos para nós mesmos, não somos mais escravos do pecado.”1

“Você tem experimentado a nova vida em Cristo? Quais são as evidências que revelam o que Cristo fez em você? Quais coisas você tem se recusado a abandonar? Por que deve abandoná-las?”1

Terça-feira, 14 de novembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Onde o pecado abundou

Lições da Bíblia

“Em Romanos 5:20, Paulo fez uma declaração poderosa: ‘Onde abundou o pecado, superabundou a graça’. Sua mensagem é que, não importa quanto pecado haja ou quanto seja terrível seu resultado, a graça de Deus é suficiente para lidar com essa questão. Que esperança isso traz para cada um de nós, especialmente quando somos tentados a sentir que nossos pecados são muito grandes para serem perdoados! Em Romanos 5:21, Paulo mostrou que, embora o pecado tenha levado à morte, a graça de Deus por intermédio de Jesus venceu a morte e pode nos dar a vida eterna.”1

“1. Leia Romanos 6:1. Qual lógica Paulo estava combatendo? Como, em Romanos 6:2-11, ele respondeu a esse tipo de pensamento?”1

Romanos (6:1 ARA)2: “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante?

Romanos (6:2-11 ARA)2: “2 De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? 3 Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? 4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida. 5 Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição, 6 sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; 7 porquanto quem morreu está justificado do pecado. 8 Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos, 9 sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele. 10 Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. 11 Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.

“No capítulo 6, Paulo seguiu uma linha de argumentação interessante em relação à razão pela qual uma pessoa justificada não deve pecar. Para começar, ele disse que não devemos pecar porque morremos para o pecado. Em seguida, explicou o que ele quis dizer.”1

“A imersão nas águas do batismo representa sepultamento. O que está sepultado? O ‘velho homem’ do pecado, isto é, o corpo que comete pecado, a pessoa dominada pelo pecado. Por isso, o ‘corpo do pecado’ é destruído, de maneira que já não servimos ao pecado. Em Romanos 6, o pecado é personificado como senhor que governa seus servos. Uma vez que o ‘corpo do pecado’ é destruído, cessa o domínio do pecado sobre esse corpo. Aquele que se levanta da sepultura das águas, ressurge como uma nova pessoa que não serve mais ao pecado. Ele agora anda em novidade de vida.”1

“Cristo, tendo morrido, morreu de uma vez por todas, mas Ele agora vive eternamente. Portanto, o cristão batizado morreu para o pecado de uma vez por todas e nunca mais deve ser dominado por ele. É claro que, como todo cristão batizado sabe, o pecado não desaparece automaticamente da nossa vida quando saímos das águas batismais. Não ser governado pelo pecado não é o mesmo que não ter que lutar contra ele.”1

“‘A partir disso, entendemos claramente o que significam as palavras do apóstolo. Todas as declarações, como: (1) ‘mortos para o pecado’, (2) ‘vivos para Deus’, etc., significam que não cedemos às nossas paixões pecaminosas e pecados, ainda que o pecado continue em nós. No entanto, o pecado permanece em nós até o fim da nossa vida, como lemos em Gálatas 5:17: ‘A carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si’. Portanto, todos os apóstolos e santos confessam que o pecado e as paixões pecaminosas permanecem em nós até que o corpo seja transformado em cinzas, e um novo corpo (glorificado) seja ressuscitado, livre das paixões e do pecado’ (Martinho Lutero, Commentary on Romans [Comentário Sobre Romanos], p. 100).”1

Domingo, 12 de novembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

 

Dívida ou graça?

Lições da Bíblia

“A questão com a qual Paulo estava lidando era muito mais do que apenas teologia. Ela vai à essência da salvação e do nosso relacionamento com Deus.”1

“Se alguém acredita que deve merecer aceitação, que deve chegar a um certo padrão de santidade antes de ser justificado e perdoado, então é muito natural olhar para si mesmo e para as próprias obras. A religião pode se tornar excessivamente egocêntrica, a última coisa de que alguém precisa.”1

“Em contrapartida, se alguém compreende a grande notícia de que a justificação é um dom de Deus, totalmente imerecido, é muito mais fácil e natural que essa pessoa dirija seu foco para o amor e a misericórdia de Deus, não para si mesmo.”1

“Afinal, quem refletirá mais o amor e o caráter de Deus: o egocêntrico ou aquele que está centrado em Deus?”1

“3. Leia Romanos 4:6-8. Como Paulo expandiu o tema da justificação pela fé?”1

Romanos (4:6-8 ARA)2: “6 E é assim também que Davi declara ser bem-aventurado o homem a quem Deus atribui justiça, independentemente de obras: 7 Bem-aventurados aqueles cujas iniquidades são perdoadas, e cujos pecados são cobertos; 8 bem-aventurado o homem a quem o Senhor jamais imputará pecado.

“‘O pecador tem que ir a Cristo, com fé, apropriar-se de Seus méritos, depor seus pecados sobre o Portador dos pecados e receber Seu perdão. Foi por causa disso que Cristo veio ao mundo. Assim é imputada a justiça de Cristo ao pecador arrependido e crente. Torna-se então membro da família real’ (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 215).”1

“Paulo continuou explicando que a salvação pela fé não era apenas para os judeus, mas também para os gentios (Rm 4:9-12). Na verdade, tecnicamente, Abraão não era judeu; ele veio de uma linhagem pagã (Js 24:2). A distinção entre gentios e judeus não existia em seu tempo. Quando Abraão foi justificado (Gn 15:6), ele nem mesmo foi circuncidado. Assim, Abraão se tornou pai de ambos, circuncisos e incircuncisos, bem como um grande exemplo que Paulo pôde usar para apresentar seu argumento sobre a universalidade da salvação. A morte de Cristo foi em favor de todos, independentemente da origem ou nacionalidade (Hb 2:9).”1

“Considerando a universalidade da cruz e o que ela nos revela sobre o valor de cada ser humano, por que é tão terrível o preconceito racial, étnico ou nacional? Somos preconceituosos? Como vencer essa atitude?”1

Fortaleça sua vida por meio do estudo da Palavra de Deus: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/

Segunda-feira, 30 de outubro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Por Sua graça

Lições da Bíblia

“4. Tendo em mente o que estudamos até agora sobre a lei e o que ela não pode fazer, leia Romanos 3:24. O que Paulo disse ali? O que significa o fato de que a redenção está em Jesus?”1

Romanos (3:24 ARA)2: “sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,

“O que significa essa ideia de ‘justificar’, encontrada no texto? A palavra grega dikaioo, traduzida como ‘justificar’, pode significar ‘tornar justo’, ‘declarar justo’ ou ‘considerar justo’. Ela possui a mesma construção radical que dikaiosune, ‘justiça’ e a palavra dikaioma, ‘exigência justa’. Portanto, há uma estreita relação entre ‘justificação’ e ‘justiça’, uma relação que nem sempre se revela em diversas traduções. Somos justificados quando Deus nos ‘declara justos’.1

“Antes dessa justificação, a pessoa é injusta e, portanto, inaceitável para Deus. Após a justificação ela é considerada justa e, portanto, aceitável a Ele.”1

“E isso só acontece mediante a graça de Deus. Graça significa favor. Quando um pecador se volta para Deus em busca de salvação, é um ato de graça considerar ou declarar essa pessoa ‘justa’. É favor imerecido. O cristão é justificado sem nenhum mérito próprio, sem nenhuma reivindicação para apresentar a Deus em seu próprio favor, exceto seu absoluto desamparo. A pessoa é justificada pela redenção que há em Cristo Jesus, a redenção que Ele oferece como substituto e garantia do pecador.”1

“A justificação é apresentada em Romanos como um ato pontual; isto é, acontece em um momento no tempo. Num momento o pecador está fora, injusto e rejeitado; no momento seguinte, após a justificação, a pessoa está dentro, justa e aceita.”1

“Aquele que está em Cristo entende a justificação como um ato passado, que ocorreu quando ele se entregou totalmente a Cristo. ‘Ser justificado’ (Rm 5:1) é, literalmente, ‘ter sido justificado’.”1

“Naturalmente, se o pecador justificado cair e depois retornar a Cristo, a justificação ocorrerá novamente. Além disso, se a reconversão é considerada uma experiência diária, há um sentido no qual a justificação pode ser considerada uma experiência que se repete.”1

“Se as boas-novas da salvação são tão maravilhosas, o que impede as pessoas de aceitá-las? O que faz você se afastar de tudo o que o Senhor lhe promete e oferece?”1

Terça-feira, 24 de outubro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O caminho para a fé – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“‘Perguntam-me acerca da lei em Gálatas. Qual lei é o aio que deve nos levar a Cristo? Respondo: Tanto o código cerimonial quanto o moral, dos Dez Mandamentos. […] A morte de Abel foi consequência de Caim se haver recusado a aceitar o plano de Deus na escola da obediência, a fim de ser salvo pelo sangue de Jesus Cristo, simbolizado pelas ofertas sacrificais que apontavam para Cristo. Caim se recusou a derramar o sangue que tipificava o sangue de Cristo, que seria derramado pelo mundo. Toda essa cerimônia foi preparada por Deus, e Cristo Se tornou o fundamento de todo o sistema. Esse é o princípio da obra da lei, como tutor a levar pecaminosos instrumentos humanos à consideração de Cristo […] Todos os que prestavam serviço em relação ao santuário eram constantemente educados acerca da intervenção de Cristo em favor da humanidade. Esse serviço se destinava a criar em todo coração humano o amor à lei de Deus, que é a lei de Seu reino’ (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 233).”1

“‘A lei dos Dez Mandamentos não deve ser considerada tanto do lado proibitivo, como do lado da misericórdia. Suas proibições são a segura garantia de felicidade na obediência. Recebida em Cristo, ela realiza em nós a purificação do caráter que nos trará alegria pelos séculos da eternidade. Para os obedientes, ela é um muro de proteção’ (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 235).”1

Perguntas para reflexão

“1. Quais promessas temos na Bíblia acerca da vitória sobre o pecado? Por que devemos ser cuidadosos e ter certeza de que não colocamos nossa esperança de salvação nas vitórias obtidas, mas na vitória de Cristo por nós?”1

“2. Muitos cristãos afirmam que a lei foi abolida. Porém, esses mesmos cristãos falam contra o pecado, o que significa que eles realmente não querem dizer que a lei foi abolida. O que eles querem dizer com essa afirmação? (Dica: No contexto de qual dos Dez Mandamentos geralmente surge essa alegação?)”1

“Resumo: A lei foi dada para apontar aos pecadores sua necessidade de Cristo. Como um tutor, ela dá instruções acerca de Deus e nos protege contra o mal. Mas, como um disciplinador, ela também aponta nossa pecaminosidade e traz condenação. Cristo nos liberta da condenação da lei e escreve Sua lei em nosso coração.”1

Sexta-feira, 11 de agosto de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.

A lei e o cristão (Gl 3:25)

Lições da Bíblia

“Muitos têm interpretado o comentário de Paulo em Gálatas 3:25 como uma completa rejeição da lei. No entanto, à luz dos comentários positivos de Paulo sobre a lei em outras passagens da Bíblia, isso faz pouco sentido.”1

Então, o que ele quis dizer?

“Em primeiro lugar, não mais estamos sob a condenação da lei (Rm 8:3). Como cristãos, estamos em Cristo e desfrutamos o privilégio de estar debaixo da graça (Rm 6:14, 15). Isso nos dá a liberdade para servir a Cristo sem reservas, sem medo de ser condenados por erros que possamos cometer. No evangelho, a verdadeira liberdade e independência é algo radicalmente diferente de ser dispensado da obediência à lei, como algumas pessoas alegam ao falar sobre a ‘liberdade’ em Cristo. Mas a desobediência à lei, ao contrário, é pecado, e o pecado pode ser qualquer coisa, exceto liberdade (Jo 8:34).”1

“6. Leia Romanos 8:1-3. O que significa não mais ser condenados pela lei? Como essa verdade maravilhosa deve afetar nossa maneira de viver? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1 

“1 Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. 2 Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. 3 Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado,” (Romanos 8:1-3 ARA).

A ( ) Podemos pecar livremente, pois jamais seremos condenados.
B ( ) O sacrifício de Cristo e o Seu perdão nos livram da condenação da lei.
C ( ) A graça de Cristo nos isenta de todas as leis.

Resposta sugestiva: F; V; F.

“Como resultado do perdão que recebemos por meio de Cristo, nosso relacionamento com a lei passa a ser diferente. Somos chamados a viver uma vida agradável a Ele (1Ts 4:1); Paulo se referiu a isso como ‘andar no Espírito’ (Gl 5:16-18). Isso não significa que a lei moral não mais seja aplicável; a questão nunca foi essa. Como poderia ser assim, quando vimos tão claramente que é a lei que define o pecado?”1

“Em vez disso, visto que a lei é uma cópia do caráter de Deus, pela obediência à lei simplesmente refletimos Seu caráter. Mais do que isso, não seguimos apenas um conjunto de regras, mas o exemplo de Jesus, que faz por nós o que a lei nunca poderia fazer: Ele escreve a lei em nosso coração (Hb 8:10) e torna possível que o preceito da lei se cumpra em nós (Rm 8:4). Ou seja, por meio do nosso relacionamento com Jesus, temos o poder para obedecer à lei como nunca antes.”1

“7. Leia Romanos 8:4 e assinale a frase que mais resume o pensamento de Paulo:”1

a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” (Romanos 8:4 ARA).1

A ( ) Tentar obedecer à lei é andar segundo a carne.
B ( ) Jesus já obedeceu a lei por nós. Não mais precisamos da lei.
C ( ) Pelo poder do Espírito podemos obedecer à lei e evitar as paixões da carne.

Resposta sugestiva: Alternativa C.

“Você tem sido vitorioso na obediência à lei? As vitórias alcançadas o levam a se esquecer de que a base da salvação é sempre o que Cristo fez por nós, e nada mais?”1

Quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________

1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.

2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Esperança antes da criação do mundo

Lições da Bíblia

“Quem dentre nós, tendo passado por tudo o que Jó passou, poderia fazer uma declaração de esperança tão poderosa? As palavras de Jó são um testemunho eterno da realidade da sua vida de fé e obediência.”1

“Jó tinha esperança porque servia ao Deus da esperança. Apesar de todas as sórdidas histórias da pecaminosidade humana desde a queda de Adão e Eva no Éden (Gn 3) até a queda de Babilônia no fim dos tempos (Ap 14:8), a Bíblia é um livro repleto de esperança e da visão de algo que vai além do que este mundo oferece.”1

“‘O mundo foi confiado a Cristo, e por Seu intermédio tem vindo toda bênção de Deus à humanidade caída. Era o Redentor, tanto antes como depois da encarnação. Assim que houve o pecado, existiu um Salvador’ (O Desejado de Todas as Nações, p. 210). E quem é o Salvador senão a grande Fonte da nossa esperança?”1

“5. Como a maravilhosa esperança expressa na declaração de Ellen G. White, acima, é confirmada pelos textos a seguir? Ef 1:4; Tt 1:2; 2Tm 1:8, 9; 1Pe 1:18-20.Complete as lacunas de acordo com o conteúdo dos textos:”1

assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor” (Efésios 1:4 ARA)2. “na esperança da vida eterna que o Deus que não pode mentir prometeu antes dos tempos eternos” (Tito 1:2 ARA)2. “8 Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem do seu encarcerado, que sou eu; pelo contrário, participa comigo dos sofrimentos, a favor do evangelho, segundo o poder de Deus, 9 que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos,” (2 Timóteo 1:8, 9 ARA). “18 sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, 19 mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo, 20 conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo, porém manifestado no fim dos tempos, por amor de vós” (1 Pedro 1:18-20 ARA).

“Esses textos nos revelam que Deus nos deu Sua graça antes da fundação do mundo. Portanto, havia salvação desde os tempos eternos.”1

“Esses textos ensinam a maravilhosa verdade de que Deus, em Sua presciência, sabia antes da criação do mundo que a humanidade cairia em pecado. No original grego, 2 Timóteo 1:9 diz que fomos chamados por uma graça dada a nós, em Cristo Jesus, ‘antes dos tempos eternos’. Essa graça nos é concedida ‘não em virtude das nossas obras’ (como poderia ter sido em razão de ‘nossas obras’ se nós ainda nem existíamos?), mas por meio de Jesus. Antes mesmo de existirmos, Deus elaborou um plano que oferecia à humanidade a esperança da vida eterna. A esperança não surgiu depois que tivemos necessidade dela; em vez disso, ela já existia e estava lá, pronta para nós quando de fato precisamos dela.”1

“Como cristãos, temos muito pelo que esperar e em que esperar. Existimos em um Universo criado pelo Deus que nos ama (Jo 3:16), nos redimiu (Tt 2:14), ouve as nossas orações (Mt 6:6), intercede por nós (Hb 7:25), jamais nos abandonará (Hb 13:5), nos ressuscitará da morte (Is 26:19) e nos dará a vida eterna com Ele (Jo 14:2, 3).”1

“‘Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?’ (Rm 8:31). Como você pode fazer desta a sua esperança mesmo em meio às lutas que esteja enfrentando?”1

Quarta-feira, 23 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O preço da graça

Lições da Bíblia

“A boa notícia da Bíblia é que fomos criados por um Deus amoroso que providenciou para todos nós, por meio do sacrifício de Jesus na cruz, uma saída do caos de pecado e morte. Esse é um tema que aparece ao longo de toda a Bíblia. Podemos vê-lo também na seguinte parábola contada por Jesus.”1

“6. Leia Mateus 22:1-15. O que essa parábola nos ensina sobre a salvação pela fé?”1

“1 De novo, entrou Jesus a falar por parábolas, dizendo-lhes: 2 O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho. 3 Então, enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas; mas estes não quiseram vir. 4 Enviou ainda outros servos, com esta ordem: Dizei aos convidados: Eis que já preparei o meu banquete; os meus bois e cevados já foram abatidos, e tudo está pronto; vinde para as bodas. 5 Eles, porém, não se importaram e se foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio; 6 e os outros, agarrando os servos, os maltrataram e mataram. 7 O rei ficou irado e, enviando as suas tropas, exterminou aqueles assassinos e lhes incendiou a cidade. 8 Então, disse aos seus servos: Está pronta a festa, mas os convidados não eram dignos. 9 Ide, pois, para as encruzilhadas dos caminhos e convidai para as bodas a quantos encontrardes. 10 E, saindo aqueles servos pelas estradas, reuniram todos os que encontraram, maus e bons; e a sala do banquete ficou repleta de convidados. 11 Entrando, porém, o rei para ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não trazia veste nupcial 12 e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial? E ele emudeceu. 13 Então, ordenou o rei aos serventes: Amarrai-o de pés e mãos e lançai-o para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes. 14 Porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos. 15 Então, retirando-se os fariseus, consultaram entre si como o surpreenderiam em alguma palavra.” (Mateus 22:1-15 ARA)2.

Deus nos convida para o banquete da salvação. Se rejeitamos Seu convite, Ele chama novamente, insiste e apela ao nosso coração. Se continuamos rejeitando a salvação, Deus respeita nossa decisão e permite que colhamos as consequências. Se o povo de Deus desprezar os privilégios que Deus lhe dá, outros poderão assumir seu lugar. Não basta aceitar o convite para o banquete, é preciso se preparar para a festa, pois seremos julgados.1

“Por mais dura que essa parábola pareça ser, é importante nos lembrarmos de que estão em jogo questões fundamentais: a vida eterna ou a destruição eterna. Em comparação com isso, o que mais realmente importa?”1

“Quando olhamos para a cruz, para o preço que Deus pagou a fim de salvar a humanidade, devemos ver exatamente como as questões envolvidas são vastas, amplas, e incompreensivelmente profundas. Estamos falando sobre o fato de uma Pessoa da eterna Divindade suportar, em Si mesma, o pleno impacto da ira de Deus contra o pecado. Não há nada mais sério do que isso. Se esse é um tema que estudaremos ao longo da eternidade, não é de surpreender que nossa mente mal consiga considerá-lo agora.”1

“Então, temos palavras inflexíveis na parábola. Deus havia feito provisão total para que cada pessoa participasse da festa de casamento (ver Ap 19:7 [‘Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou,’]2); tudo o que era necessário havia sido providenciado a um custo tão grande que nenhuma parábola poderia expressar com justiça. Portanto, já tinha sido suficientemente ruim que as pessoas convidadas para o casamento, na parábola, ‘não se importaram’ (Mt 22:5) e foram tratar dos seus próprios negócios. Porém, alguns até atacaram os que lhes transmitiram o cordial convite. Portanto, a resposta inflexível não nos deve surpreender.”1

“7. Qual é o significado da ‘veste nupcial’? Ver também Ap 19:81

pois lhe foi dado vestir-se de linho finíssimo, resplandecente e puro. Porque o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos.” (Apocalipse 19:8 ARA)2.

“A veste nupcial é o linho finíssimo em Apocalipse 19:8: os atos de justiça dos santos, fundamentados e motivados na justiça de Cristo.”1

“A veste representa a justiça de Cristo, revelada na vida e nos atos dos santos. O homem sem a veste representa cristãos professos que reivindicam os privilégios da graça e da salvação, mas não deixaram a graça transformar sua vida nem seu caráter. A um grande custo, foram feitas todas as provisões para aqueles que atendem ao convite. Como a parábola mostra, para entrar no reino de Deus é preciso mais do que se apresentar à porta.”1

Quinta-feira, 02 de junho de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.