Que os transmitissem a seus filhos

Lições da Bíblia

“Os salmos do Antigo Testamento acabaram por desempenhar uma função na vida religiosa do antigo Israel. Eles eram recitados, cantados, muitas vezes com o auxílio de instrumentos musicais, durante os momentos de adoração, especialmente a adoração pública. No Antigo Testamento, isso era essencial para o modo pelo qual as pessoas adoravam em geral. Israel funcionava como uma comunidade e, por isso, o povo adorava em conjunto.”1

“Os salmos são basicamente poemas, letras para músicas. A palavra hebraica para salmos, Tehillîm, significa ‘cânticos de louvor’. E quando cantamos louvores a Deus estamos adorando o Senhor.”1

“2. Qual é a mensagem essencial do Salmo 78:1-17? Como ela se encaixa em toda a questão da educação e da adoração?”1

Salmo 78:1-17 (ARA): 1 Escutai, povo meu, a minha lei; prestai ouvidos às palavras da minha boca.Abrirei os lábios em parábolas e publicarei enigmas dos tempos antigos. O que ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais,não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do Senhor, e o seu poder, e as maravilhas que fez.Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel, e ordenou a nossos pais que os transmitissem a seus filhos,a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes;  7  para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos; 8  e que não fossem, como seus pais, geração obstinada e rebelde, geração de coração inconstante, e cujo espírito não foi fiel a Deus.  9 Os filhos de Efraim, embora armados de arco, bateram em retirada no dia do combate. 10 Não guardaram a aliança de Deus, não quiseram andar na sua lei; 11 esqueceram-se das suas obras e das maravilhas que lhes mostrara. 12 Prodígios fez na presença de seus pais na terra do Egito, no campo de Zoã. 13 Dividiu o mar e fê-los seguir; aprumou as águas como num dique. 14 Guiou-os de dia com uma nuvem e durante a noite com um clarão de fogo. 15 No deserto, fendeu rochas e lhes deu a beber abundantemente como de abismos. 16 Da pedra fez brotar torrentes, fez manar água como rios. 17 Mas, ainda assim, prosseguiram em pecar contra ele e se rebelaram, no deserto, contra o Altíssimo.”

“Há certa determinação no que diz respeito à mensagem do Salmo 78. No verso 2, Asafe mencionou que seriam publicados os ‘enigmas dos tempos antigos’. A palavra ‘enigmas’ não significa coisas ‘sinistras’, mas coisas obscuras ou apagadas, como a História pode se tornar, quando seus eventos cruciais ficam cada vez mais distantes no passado. Em outras traduções, a palavra ‘enigmas’ é apresentada como ‘segredos’ (NTLH) ou ‘doces e antigas verdades’ (A Mensagem). A questão nesse texto é que a educação de Israel incluía ensinar aos filhos as histórias sobre o trato do Senhor para com a nação eleita.”1

“3. Examine o Salmo 78:6-17. Quais lições específicas os pais deviam ensinar aos filhos? Qual era o objetivo final dessa educação?”1

Salmo 78:6-17 (ARA): 6  a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes;  7  para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos;e que não fossem, como seus pais, geração obstinada e rebelde, geração de coração inconstante, e cujo espírito não foi fiel a Deus.  9 Os filhos de Efraim, embora armados de arco, bateram em retirada no dia do combate. 10 Não guardaram a aliança de Deus, não quiseram andar na sua lei; 11 esqueceram-se das suas obras e das maravilhas que lhes mostrara. 12 Prodígios fez na presença de seus pais na terra do Egito, no campo de Zoã. 13 Dividiu o mar e fê-los seguir; aprumou as águas como num dique. 14 Guiou-os de dia com uma nuvem e durante a noite com um clarão de fogo. 15 No deserto, fendeu rochas e lhes deu a beber abundantemente como de abismos. 16 Da pedra fez brotar torrentes, fez manar água como rios. 17 Mas, ainda assim, prosseguiram em pecar contra ele e se rebelaram, no deserto, contra o Altíssimo.”

“Um dos objetivos da educação, visto nos textos, era que os filhos aprendessem a confiar em Deus e a guardar Seus mandamentos. Como Apocalipse 14:12 [‘Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.’] reflete essa mesma ideia para nós hoje?”1

Segunda-feira, 09 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Para não esquecer

Lições da Bíblia

“Antes que os filhos de Israel entrassem na Terra Prometida, Moisés falou com eles novamente, relatando as maneiras maravilhosas pelas quais o Senhor os havia guiado, e os advertiu várias vezes para não esquecer o que o Senhor havia feito por eles. Em muitos aspectos, Deuteronômio foi o testamento de Moisés. E, embora tenha sido escrito há milhares de anos, em uma cultura e situação de vida radicalmente diferentes de tudo o que enfrentamos hoje, os princípios ali registrados também se aplicam a nós.”1

“5. Leia Deuteronômio 6. O que aprendemos nesse capítulo sobre os princípios da educação cristã? O que é central em tudo que ensinamos, não apenas para nossos filhos, mas para quem não conhece o que conhecemos sobre Deus e Seus grandes atos de salvação? Quais advertências também são encontradas nesses versos?”1

Deuteronômio 6 “1 Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o Senhor, teu Deus, se te ensinassem, para que os cumprisses na terra a que passas para a possuir; 2 para que temas ao Senhor, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados. 3 Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda, e muito te multipliques na terra que mana leite e mel, como te disse o Senhor, Deus de teus pais. 4 Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. 5 Amarás, pois, o Senhor, teu Deusb, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. 6 Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; 7 tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. 8 Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. 9 E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas. 10 Havendo-te, pois, o Senhor, teu Deus, introduzido na terra que, sob juramento, prometeu a teus pais, Abraãod, Isaquee e Jacóf, te daria, grandes e boas cidades, que tu não edificaste; 11 e casas cheias de tudo o que é bom, casas que não encheste; e poços abertos, que não abriste; vinhais e olivais, que não plantaste; e, quando comeres e te fartares, 12 guarda-te, para que não esqueças o Senhor, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão. 13 O Senhor, teu Deus, temerásg, a ele servirás, e, pelo seu nome, jurarás. 14 Não seguirás outros deuses, nenhum dos deuses dos povos que houver à roda de ti, 15 porque o Senhor, teu Deus, é Deus zeloso no meio de ti, para que a ira do Senhor, teu Deus, se não acenda contra ti e te destrua de sobre a face da terra. 16 Não tentarás o Senhor, teu Deush, como o tentaste em Massá. 17 Diligentemente, guardarás os mandamentos do Senhor, teu Deus, e os seus testemunhos, e os seus estatutos que te ordenou. 18 Farás o que é reto e bom aos olhos do Senhor, para que bem te suceda, e entres, e possuas a boa terra a qual o Senhor, sob juramento, prometeu dar a teus pais, 19 lançando todos os teus inimigos de diante de ti, como o Senhor tem dito. 20 Quando teu filho, no futuro, te perguntar, dizendo: Que significam os testemunhos, e estatutos, e juízos que o Senhor, nosso Deus, vos ordenou? 21 Então, dirás a teu filho: Éramos servos de Faraó, no Egito; porém o Senhor de lá nos tirou com poderosa mão. 22 Aos nossos olhos fez o Senhor sinais e maravilhas, grandes e terríveis, contra o Egito e contra Faraó e toda a sua casa; 23 e dali nos tirou, para nos levar e nos dar a terra que sob juramento prometeu a nossos pais. 24 O Senhor nos ordenou cumpríssemos todos estes estatutos e temêssemos o Senhor, nosso Deus, para o nosso perpétuo bem, para nos guardar em vida, como tem feito até hoje. 25 Será por nós justiça, quando tivermos cuidado de cumprir todos estes mandamentos perante o Senhor, nosso Deus, como nos tem ordenado.

“A maravilhosa atuação de Deus entre os israelitas era central para tudo o que eles deveriam ensinar aos filhos. Além disso, foi muito clara a advertência dada de que eles não esquecessem tudo o que Deus havia feito por eles!”1

“É evidente que, se os pais devem desempenhar a função mais importante na integração dos ensinamentos bíblicos à vida de seus filhos, eles também têm a responsabilidade de se organizarem e se prepararem de maneira que possuam conhecimento e tempo adequados para passar com seus filhos.”1

“A primeira professora da criança é a mãe. Nas mãos dela está em grande parte a educação da criança durante o período de seu maior e mais rápido desenvolvimento” (Ellen G. White, Educação, p. 275).1

“Esse é o momento essencial em que os pais ministram aos filhos o amor e as promessas de Deus. Marcar um horário regular para ensinar pessoalmente a sabedoria e as promessas de Deus aos seus filhos terá um impacto positivo em sua família nas próximas gerações.”1

“‘Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te’ (Dt 6:7). Qual é o argumento apresentado nesse texto? Por que é crucial sempre manter a realidade do Senhor diante, não apenas de nossos filhos, mas de nós mesmos?”1

Quinta-feira, 08 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Lutando por seu filho pródigo

Lições da Bíblia

“5. Leia Provérbios 22:6. Qual é a sua compreensão dessa passagem? Isso é uma garantia, uma promessa ou uma probabilidade?”1

Provérbios (22:6 ARA)2:Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.

“Às vezes, como pai ou mãe, você faz tudo o que deve: dedica tempo ensinando a seus filhos as coisas certas, vive de acordo com seu conhecimento de Deus, envia-os a boas escolas, frequenta a igreja regularmente, envolve-se no trabalho missionário com eles – e eles acabam deixando a fé na qual foram criados. A dor é excruciante, e em nenhum momento você deixa de se preocupar com a salvação deles. A causa não é necessariamente culpa do pai ou da mãe. Os filhos têm mente própria e, em última análise, são responsáveis perante Deus por suas ações.”1

“Alguns tomam as palavras ‘ainda quando for velho, não se desviará dele’ como uma promessa, uma garantia de que a paternidade e a maternidade adequadas sempre resultarão na salvação de seus filhos. Mas Provérbios muitas vezes apresenta princípios e nem sempre promessas incondicionais. O quepodemos extrair desse texto é a garantia de que as lições aprendidas na infância durarão por toda a vida. Toda criança chega a uma idade em que aceita a herança de seus pais como sua ou a rejeita. Pais cuidadosos em apresentar a seus filhos a instrução piedosa têm a certeza de que o que ensinaram a seus filhos sempre estará com eles, e se os filhos se afastarem, as sementes que plantaram no coração deles estarão continuamente com eles, chamando-os de volta ao lar. Ser bom pai ou boa mãe é nossa escolha; o que nossos filhos se tornam é escolha deles.”1

“O que os pais devem fazer quando um filho se desvia? Entreguem seus filhos a Deus em fervorosa oração. Se existe alguém que entende sua dor é Deus, cujos filhos, aos bilhões, deram as costas a Ele, o Pai perfeito. Vocês podem sustentar seu filho pródigo com amor e oração e estar prontos para ficar ao lado dele enquanto ele luta com Deus.”1

“Não tenham vergonha de pedir apoio e oração; não se culpem e não se concentrem tanto no filho pródigo a ponto de esquecer o restante da família. Ser pai ou mãe de um filho pródigo pode dividir seu lar; portanto, construam uma frente unificada e estabeleçam limites claros para seu filho. Lembrem-se de que Deus ama seu filho mais do que vocês o amam. Contemplem um futuro melhor e aceitem que seu filho é uma obra de Deus em desenvolvimento.”1

“Nessa situação, é natural se culpar. Mesmo que você tenha cometido erros, por que é melhor se concentrar no futuro e nas promessas de Deus? (Veja Fp 3:13).”1

Filipenses (3:13 ARA)2: “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão,”

Quinta-feira, 23 de maio de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico. _______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A alegria e a responsabilidade de educar filhos

Lições da Bíblia

“3. Leia o Salmo 127. Qual é a mensagem fundamental desse pequeno salmo? Quais princípios importantes devemos aplicar a nós e à nossa maneira de viver?”

Salmo (127 ARA)2: “1 Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. 2 Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem. 3 Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão. 4 Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. 5 Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.”

“Quando você deseja preparar seu prato favorito, você segue uma receita. Se você adicionar todos os ingredientes necessários e seguir todas as etapas, na maioria das vezes obterá os resultados desejados. No entanto, ser pai ou mãe não é como arte culinária. Nenhum filho é exatamente igual ao outro, e mesmo que você faça tudo como fez com outros filhos, esse filho pode ser diferente. Isso pode ter a ver com o sexo deles, a ordem em que nasceram, seu temperamento ou uma série de outras razões. O plano de Deus é que os pais conduzam e ensinem seus filhos a amar e obedecer ao Senhor

Deuteronômio (6:4-9, 20-23 ARA)2: “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. 5 Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. 6 Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; 7 tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. 8 Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. 9 E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas. […] 20 Quando teu filho, no futuro, te perguntar, dizendo: Que significam os testemunhos, e estatutos, e juízos que o SENHOR, nosso Deus, vos ordenou? 21 Então, dirás a teu filho: Éramos servos de Faraó, no Egito; porém o SENHOR de lá nos tirou com poderosa mão. 22 Aos nossos olhos fez o SENHOR sinais e maravilhas, grandes e terríveis, contra o Egito e contra Faraó e toda a sua casa; 23 e dali nos tirou, para nos levar e nos dar a terra que sob juramento prometeu a nossos pais.”

Salmos (78:5-7 ARA)2: “5 Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel,e ordenou a nossos pais que os transmitissem a seus filhos, 6 a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes; 7 para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos;”

A ordem de Deus para os pais é ensinar ‘a criança no caminho em que deve andar’ (Pv 22:6), não ficar interferindo e controlando a vida dos filhos para ter certeza de que eles nunca tomarão decisões erradas.”1

“Embora desejemos que nossos filhos passem, de crianças fofinhas e indefesas, a adultos independentes e bem-sucedidos, nossa responsabilidade suprema é que eles conheçam, amem e sirvam a Jesus Cristo. Como pais e mães, podemos seguir o plano para o desenvolvimento espiritual de nossos filhos traçado em Deuteronômio 6. Há quatro pré-requisitos importantes: que reconheçamos ‘o SENHOR, nosso Deus’ (Dt 6:4), que O amemos de todo o coração (Dt 6:5), que guardemos a Sua Palavra (Dt 6:6) e que compartilhemos com nossos filhos o que sabemos sobre Ele (Dt 6:20-23).”1

“Deuteronômio 6 apresenta dois princípios importantes. O primeiro é o princípio do ‘ensinar-falar’ (Dt 6:7). Ensinar (inculcar, ARA) se refere à educação formal, enquanto o falar se refere à instrução informal. Em ambos os casos, a comunicação da verdade bíblica ocorre dentro do contexto do relacionamento pai/mãe–filho. Momentos formais de ensino podem ocorrer durante o culto familiar quando estudamos a Palavra de Deus com nossos filhos. O ensino informal surge espontaneamente nas circunstâncias do dia a dia e é ainda mais importante. Os incidentes cotidianos podem se tornar um meio eficaz para comunicar a verdade bíblica (Gn 18:19). O segundo é o princípio de ‘atar-escrever’ (Dt 6:8, 9). A verdade espiritual deve estar atada às nossas ações (‘mãos’) e atitudes (‘cabeça’), mas também deve ser escrita em nossa vida privada (‘umbrais’) e pública (‘portas’). Ela deve passar do nosso coração para o nosso lar e do nosso lar para o mundo.”1

Terça-feira, 21 de maio de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico. _______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A paternidade e a maternidade sem filhos

Lições da Bíblia

“1. Leia Gênesis 18:11; 30:1; 1 Samuel 1:1-8 e Lucas 1:7. O que essas pessoas tinham em comum? Como Deus respondeu aos seus anseios? Assinale a alternativa correta”1

Gênesis (18:11 ARA)2:Abraão e Sara eram já velhos, avançados em idade; e a Sara já lhe havia cessado o costume das mulheres.

Gênesis (30:1 ARA)2: “Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve ciúmes de sua irmã e disse a Jacó: Dá-me filhos, senão morrerei.”

1 Samuel (1:1-8 ARA)2: 1 Houve um homem de Ramataim-Zofim, da região montanhosa de Efraim, cujo nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efraimita. 2 Tinha ele duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra, Penina; Penina tinha filhos; Ana, porém, não os tinha. 3 Este homem subia da sua cidade de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em Siló. Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR. 4 No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. 5 A Ana, porém, dava porção dupla, porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril. 6 (A sua rival a provocava excessivamente para a irritar, porquanto o SENHOR lhe havia cerrado a madre.) 7 E assim o fazia ele de ano em ano; e, todas as vezes que Ana subia à Casa do SENHOR, a outra a irritava; pelo que chorava e não comia. 8 Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos? Elas estavam arrependidas porque tiveram muitos filhos.esejavam ter filhos e não conseguiam.

A (   ) Elas estavam arrependidas porque tiveram muitos filhos.
B (   ) Elas desejavam ter filhos e não conseguiam.
Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Os filhos são uma bênção. Mas, por alguma razão, Deus nem sempre abençoa todas as pessoas com filhos. Algumas esperam e pedem a Deus uma família, e Ele atende graciosamente seu pedido, às vezes de maneira miraculosa, como no caso de Sara; outras pessoas igualmente fervorosas em suas petições diante do trono de Deus recebem um silêncio ensurdecedor. Sempre que veem amigos louvarem a Deus pela gestação e a chegada de seus bebês, a ferida dessas pessoas fica cada vez mais profunda ao conviver com o ninho vazio. Até mesmo perguntas inocentes como ‘Quantos filhos você tem?’ servem como lembretes dolorosos de um ‘clube restrito’ do qual os que não têm filhos são excluídos, mesmo que eles queiram participar.”1

“Aqueles que têm passado por uma experiência como essa devem aceitar que Deus entende sua tristeza. O salmista declarou a respeito de Deus: ‘Registra, Tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em Teu odre; acaso não estão anotadas em Teu livro?’ (Sl 56:8, NVI). Embora pareça calado, ‘como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR Se compadece dos que O temem’ (Sl 103:13).”1

“Enquanto isso, outras pessoas, por várias razões, simplesmente optam por não ter filhos. É possível compreender, em um mundo como o nosso, tão cheio de sofrimento, dor, mal e potenciais calamidades, porque alguns decidem não ter filhos. Em alguns casos, pessoas decidem adotar crianças em vez de gerar filhos biológicos; dessa maneira, elas podem criar filhos que já estão no mundo, muitas vezes dando-lhes a chance de uma vida muito melhor do que a que eles teriam se não fossem adotados.”1

“Nosso mundo é um lugar complicado, e é provável que encontremos pessoas em todos os tipos de situações no que diz respeito a ter ou não filhos. Seja qual for o caso em que nos encontremos em relação a essa questão, podemos viver com a certeza do amor de Deus por nós e de que Ele deseja um final feliz para nossa história. Ao mesmo tempo, devemos ser sensíveis para lidar com pessoas que, por qualquer motivo, não têm filhos.”1

“Jesus nunca teve filhos biológicos. Quais lições esse fato nos ensina?”1

No dia 26 de maio, logo após o Impacto Esperança, realize em sua comunidade uma feira de saúde e outras ações solidárias. Multiplique esperança para as famílias!

Domingo, 19 de maio de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Qual é o meu valor?

Lições da Bíblia.

“Houve um homem de Ramataim-Zofim, da região montanhosa de Efraim, cujo nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efraimita. Tinha ele duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra, Penina; Penina tinha filhos; Ana, porém, não os tinha. Este homem subia da sua cidade de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em Siló. Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR. No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. A Ana, porém, dava porção dupla, porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril. (A sua rival a provocava excessivamente para a irritar, porquanto o SENHOR lhe havia cerrado a madre.) E assim o fazia ele de ano em ano; e, todas as vezes que Ana subia à Casa do SENHOR, a outra a irritava; pelo que chorava e não comia. Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos? Após terem comido e bebido em Siló, estando Eli, o sacerdote, assentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do SENHOR, levantou-se Ana, e, com amargura de alma, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente. E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha. Demorando-se ela no orar perante o SENHOR, passou Eli a observar-lhe o movimento dos lábios, porquanto Ana só no coração falava; seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma; por isso, Eli a teve por embriagada e lhe disse: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti esse vinho! Porém Ana respondeu: Não, senhor meu! Eu sou mulher atribulada de espírito; não bebi nem vinho nem bebida forte; porém venho derramando a minha alma perante o SENHOR. Não tenhas, pois, a tua serva por filha de Belial; porque pelo excesso da minha ansiedade e da minha aflição é que tenho falado até agora.” (1 Sam. 1:1-16)

“Os sentimentos de Ana não devem ser tão difíceis de entender, especialmente em uma cultura em que não ter filho homem significava não ter nenhuma segurança na velhice. Não ter nenhum filho era entendido como maldição divina. Tanto na esfera pública como na familiar, uma mulher sem filhos tinha que viver com o estigma de ser supostamente amaldiçoada por Deus. Obviamente, esse fato afetava seu valor aos olhos da sociedade, sua própria autoestima e seu relacionamento com Deus. Ana deve ter pensado frequentemente o que havia feito para merecer isso. Por que isso estava acontecendo com ela?”

“Para Ana, a inveja e o senso de ‘não ser ninguém’ criou uma mistura explosiva de emoções que finalmente explodiu quando ela despejou o coração diante do Senhor. O que tornava as coisas ainda piores era que Ana não estava ficando mais jovem. O tempo estava contra ela e, aparentemente, Deus também.”

“Lembre-se de que, no tempo de Ana, o papel de uma mulher na sociedade estava principalmente associado ao parto e à criação dos filhos. Não havia outra possibilidade de fazer carreira. […] Era só pelos filhos que Ana podia reconhecer o valor de sua vida e deixar um legado. Para ela, sem filhos, a vida não tinha nenhum significado real.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina – domingo, 10 de outubro de 2011. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico.

Este conteúdo é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Escolha e a próxima geração

Lições da Bíblia

“Vê que proponho, hoje, a vida e o bem, a morte e o mal; se guardares o mandamento que hoje te ordeno, que ames o SENHOR, teu Deus, andes nos seus caminhos, e guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, então, viverás e te multiplicarás, e o SENHOR, teu Deus, te abençoará na terra à qual passas para possuí-la. Porém, se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido, e te inclinares a outros deuses, e os servires, então, hoje, te declaro que, certamente, perecerás; não permanecerás longo tempo na terra à qual vais, passando o Jordão, para a possuíres. Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,” (Deut. 30:15-19). Ênfase acrescentada.

“As consequências de escolhas da vida afetam não somente a nós mesmos mas, frequentemente, afetam também os nossos filhos. Nossa influência é maior do que imaginamos, especialmente sobre os filhos.”

“Um exemplo é o de beber álcool. Tem-se feito muito alarde sobre o “suposto” benefício de um copo de bebida alcoólica por dia. Essa promoção, impulsionada pelos lucros da indústria de bebidas alcoólicas, enganou a muitos. Mas alguns estão cientes de que esses estudos foram seriamente adulterados, e quando se aplicam as correções a essas falhas, descobre-se que esses pretensos benefícios são inexistentes.”

“O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio.” (Provérbios 20:1).

“O álcool continua o que sempre foi, um dos grandes flagelos da humanidade; e com todas as advertências que recebemos sobre isso, quão tolo seria baixar a guarda agora.”

“Quem não viu exemplos da destruição provocada pelo consumo do álcool? Por que ser tolo e correr riscos para si mesmo ou, ainda pior, por que fazer algo que influencie os outros na direção errada?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina – Quarta-feira, 07 de abril de 2010.
Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico.

Este conteúdo é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress, Livejournal.

Para impressão acesse arquivo em formato PDF