No dia do Senhor

Lições da Bíblia

“3. De acordo com Apocalipse 1:10, Êxodo 31:13, Isaías 58:13 e Mateus 12:8, qual dia é claramente especificado como o dia do Senhor? Esse dia foi importante para João em meio às suas dificuldades?”1

Apocalipse (1:10 ARA)2: “Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta,

Êxodo (31:13 ARA)2: “Tu, pois, falarás aos filhos de Israel e lhes dirás: Certamente, guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica.

Isaías (58:13 ARA)2: “Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs,

Mateus (12:8 ARA)2: “Porque o Filho do Homem é senhor do sábado.

“O sábado. João pôde descansar de suas tribulações no sábado.”1

“‘Foi no sábado que o Senhor da glória apareceu ao exilado apóstolo. O sábado era tão religiosamente observado por João em Patmos como quando estava pregando ao povo nas cidades e vilas da Judeia. Considerava como sua propriedade as preciosas promessas feitas em referência a esse dia’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 581).”1

“Em Apocalipse 1:10, sugere-se claramente que o apóstolo João recebeu a visão no sétimo dia, o sábado. Embora aguardasse com ansiedade os eventos futuros, até a segunda vinda de Cristo (compare com Ap 1:7 [‘Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém!’]), chamada de ‘o Dia do Senhor’ (Is 13:6-13; 2Pe 3:10), João estava falando sobre o dia em que ele teve a visão desses eventos futuros, e esse dia foi sábado, o ‘Dia do Senhor’.”1

“Evidentemente, em meio aos sofrimentos do apóstolo, esse sábado repleto de visões deve ter se tornado para ele uma amostra da vida livre de sofrimento que ele e os fiéis de todos os séculos experimentarão após a segunda vinda de Cristo. De fato, no pensamento judaico, o sábado é considerado um prenúncio do olam haba, ‘o mundo vindouro’.”1

“‘O sábado, que Deus instituiu no Éden, era […] precioso para João na solitária ilha […] Que sábado foi aquele para o solitário exilado, sempre precioso aos olhos de Cristo, mas agora exaltado mais do que nunca! Ele jamais havia aprendido tanto sobre Jesus; nunca havia ouvido verdades tão sublimes’ (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 7, p. 1066).”1

“Compare as duas versões do quarto mandamento do Decálogo, em Êxodo 20:11 [‘porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.’] e Deuteronômio 5:15 [‘Lembrar-te-ás de que foste servo na terra do Egito e de que o SENHOR, teu Deus, te remiu; pelo que, hoje, isso te ordeno.’]. Esses textos apontam para o sétimo dia, o sábado, como um memorial da criação e também da redenção, lembrando-nos de que Deus nos criou e nos redimiu. A cada sábado, como podemos manter diante de nós a realidade de Deus como Criador e Redentor? De que adiantaria se Ele fosse nosso Criador mas não fosse nosso Redentor?”1

Segunda-feira, 07 de janeiro de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Apressando o dia

Lições da Bíblia

“Embora a espera pela segunda vinda pareça interminável, o tempo não é uma preocupação para Deus. ‘Para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia’ (2Pe 3:8). Ao longo de toda a Bíblia, o fim está sempre próximo, quer seja o Dia do Senhor no Antigo Testamento ou a volta de Cristo no Novo.”

“5. Leia 2 Pedro 3:8-14. Que esperança de longo alcance é dada nesse texto? Ver também Daniel 2:34, 35, 441 “8 Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia. 9 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. 10 Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. 11 Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, 12 esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. 13 Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. 14 Por essa razão, pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis,” (2 Pedro 3:8-14 ARA). “34 Quando estavas olhando, uma pedra foi cortada sem auxílio de mãos, feriu a estátua nos pés de ferro e de barro e os esmiuçou. 35 Então, foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a palha das eiras no estio, e o vento os levou, e deles não se viram mais vestígios. Mas a pedra que feriu a estátua se tornou em grande montanha, que encheu toda a terra. 44 Mas, nos dias destes reis, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos estes reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre,” (Daniel 2:34, 35, 44 ARA)2. “Em breve o reino de Deus será estabelecido para sempre. A aparente demora é uma expressão da graça de Deus. O Dia do Senhor virá de modo repentino e destruirá o mal. Devemos esperar e apressar esse dia.1

“As profecias clássicas de tempo nos dizem claramente que há um limite para o período em que Deus permitirá que o mal continue e para o período de Sua espera. Nas profecias, Deus apresenta Sua estratégia para acabar com o pecado e o sofrimento, e para restaurar a Terra à sua perfeição original.”1

“Nossa maneira de encarar o fim de todas as coisas que conhecemos afetará nosso modo de viver agora (2Pe 3:12). Se nos rebelarmos ante a ideia de que Deus perturbará nosso ‘mundinho’, nos inclinaremos à incredulidade e à união com os escarnecedores. Por outro lado, se olharmos para isso como a intervenção final de um Deus misericordioso para acabar com a corrupção abominável e com o abuso de direitos humanos, tão frequentes ao nosso redor, então poderemos, confiantemente ‘[esperar] novos céus e nova Terra, nos quais habita justiça’ (v. 13).”1

“Mais uma vez Pedro apresentou sua preocupação com nossas atitudes e com nossa conduta. Ele nos encoraja a nos empenharmos para ser achados ‘sem mácula e irrepreensíveis’ (2Pe 3:14). Se não fosse o verso seguinte, poderíamos pensar que Pedro estivesse promovendo uma religião ‘de obras’, mas ele corrige essa possível interpretação errônea com a frase: ‘a paciência de nosso Senhor significa salvação’ (v. 15, NVI), confirmando as palavras de Paulo aos mesmos crentes.”1

“Nosso alvo é ser irrepreensíveis. Jó é descrito como irrepreensível por ser ‘temente a Deus e [se desviar] do mal’ (Jó 1:1). É assim que Cristo nos apresentará ao Pai (1Co 1:8; Cl 1:22; 1Ts 3:13; 5:23, NVI). Por que sem defeitos nem máculas? Era assim que tinha que ser o cordeiro sacrifical (por exemplo, Êx 12:5; Lv 1:3), Jesus era assim (Hb 9:14; 1Pe 1:19) e assim Ele apresentará a igreja ao Pai (Ef 5:27).”1

“Em nossa busca para vencer o pecado, crescer na fé, evitar o mal e ter vida santa e ‘irrepreensível’, por que precisamos confiar sempre na justiça de Jesus, creditada pela fé? O que acontece quando tiramos os olhos dessa promessa?”1

Quinta-feira, 10 de março de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Dia do Senhor (Sofonias e Naum)

Lições da Bíblia.

“O Senhor será terrível contra eles, porque aniquilará todos os deuses da Terra; todas as ilhas das nações, cada uma do seu lugar, O adorarão” (Sf 2:11).

“Pensamento-chave: O juízo está vindo, mas a graça e a misericórdia ainda estão disponíveis aos que as buscam fervorosamente.”

“Se os livros dos profetas fossem colocados em ordem cronológica, Sofonias estaria entre Isaías e Jeremias. Durante o reinado de Manassés, o mais perverso rei de Judá, a pregação de Sofonias deu apoio a Jeremias e, juntos, eles ajudaram a desencadear um reavivamento durante o reinado de Josias, neto de Manassés.”

“A pregação de Sofonias condenou a extrema corrupção encontrada na sociedade judaica. Ele apontou para a necessidade de arrependimento com base no fato de que o amor de Deus ainda estava chamando Seu povo à humildade e fidelidade. Sua mensagem foi dupla: há uma ameaça de um juízo iminente e universal, que incluirá até mesmo o povo de Deus. No entanto, também há a promessa de que os salvos de todas as nações se unirão ao remanescente de Israel em servir a Deus e desfrutar de Suas bênçãos. A lição desta semana mostra que a mensagem de Sofonias ainda é importante para os que proclamam a divina mensagem de esperança para o mundo caído.”

Sábado, 25 de maio de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

O encontro de Israel com Deus

Lições da Bíblia.

“Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus” (Amós 4:12).

“O capítulo 4 de Amós começa com a descrição dos pecados de Israel e termina com o anúncio do dia do acerto de contas. Deus faz Seu povo especialmente responsável por sua maneira de viver e tratar os outros.”

“Amós listou uma série de desastres naturais, dos quais qualquer um devia ter sido suficiente para converter a nação ao Senhor. A lista é composta por sete desastres, a medida completa das punições pela quebra da aliança de Deus (de acordo com as palavras de Moisés em Levítico 26). Alguns desses desastres lembram as pragas que Deus enviou sobre o Egito, enquanto a descrição da última calamidade menciona explicitamente a total destruição de Sodoma e Gomorra.”

“4. De acordo com a oração de Salomão na dedicação do templo, o que os desastres normalmente deviam levar as pessoas a fazer?” “Quando houver fome na terra ou peste, quando houver crestamento ou ferrugem, gafanhotos e larvas, quando o seu inimigo o cercar em qualquer das suas cidades ou houver alguma praga ou doença, toda oração e súplica que qualquer homem ou todo o teu povo de Israel fizer, conhecendo cada um a chaga do seu coração e estendendo as mãos para o rumo desta casa, ouve tu nos céus, lugar da tua habitação, perdoa, age e dá a cada um segundo todos os seus caminhos, já que lhe conheces o coração, porque tu, só tu, és conhecedor do coração de todos os filhos dos homens; para que te temam todos os dias que viverem na terra que deste a nossos pais.” (1 Reis 8:37-40 RA). “Orar a Deus fervorosamente, em busca de perdão e restauração.”

“O povo de Israel não mais se comportava como pessoas normais, e Deus achou impossível obter sua atenção. Além disso, os juízos de Deus resultaram no endurecimento do coração das pessoas. Visto que os israelitas não voltaram ao Senhor, Amós lhes apresentou uma última chance de arrependimento.”

“O juízo final era iminente, porém Amós não especificou o que seria. A assustadora incerteza nas palavras de Amós torna a ameaça de juízo ainda mais assustadora. Israel havia falhado em buscar a Deus, por isso Ele saiu ao encontro de Israel. Se a punição tinha falhado, um encontro com Deus poderia salvar?”

“Amós 4:12 começa com as palavras ‘assim te farei’, que ecoam a fórmula tradicional de juramento. Essa declaração solene exige uma resposta de Israel em se preparar para encontrar seu Deus, como havia acontecido antes da aparição dEle no Sinai (‘e estejam prontos para o terceiro dia; porque no terceiro dia o SENHOR, à vista de todo o povo, descerá sobre o monte Sinai. […] E disse ao povo: Estai prontos ao terceiro dia; e não vos chegueis a mulher.’ Êxodo 19:11, 15 RA).

“Leia atentamente Amós 4:12, 13 [‘Portanto, assim te farei, ó Israel! E, porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus. Porque é ele quem forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual é o seu pensamento; e faz da manhã trevas e pisa os altos da terra; SENHOR, Deus dos Exércitos, é o seu nome.’]. Se, de repente, você ouvisse a advertência ‘Prepare-se para encontrar-se com o seu Deus, ó [acresecente o seu nome]’, qual seria a sua resposta? Qual é a sua única esperança?’ Leia Rm 3:19-28 [‘Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado. Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos [e sobre todos] os que crêem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus. Onde, pois, a jactância? Foi de todo excluída. Por que lei? Das obras? Não; pelo contrário, pela lei da fé. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei.’].”

Quarta-feira, 24 de abril de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Repentina e inesperada (1Ts 5:1-3)

Lições da Bíblia.

“2. Qual é o significado de ‘tempos e épocas’ nos textos do Novo Testamento?” “Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva: porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite; pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão.” (1Ts 5:1-3), “Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntavam-lhe, dizendo: Senhor, é nesse tempo que restauras o reino a Israel? Respondeu-lhes: A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai reservou à sua própria autoridade.” (Ats 1:6-7). ”O dia do Senhor, a segunda vinda de Jesus, o fim da história do pecado, o dia do juízo, o tempo da restauração final.”

“’O dia do Senhor’ é uma expressão encontrada frequentemente em passagens do Antigo Testamento sobre o juízo. Ela descreve uma intervenção divina decisiva no tempo do fim, com forte ênfase sobre as consequências negativas da desobediência (‘Uivai, porque o dia do Senhor está perto; virá do Todo-Poderoso como assolação. Pelo que todas as mãos se debilitarão, e se derreterá o coração de todos os homens. E ficarão desanimados; e deles se apoderarão dores e ais; e se angustiarão, como a mulher que está de parto; olharão atônitos uns para os outros; os seus rostos serão rostos flamejantes. Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente; para pôr a terra em assolação e para destruir do meio dela os seus pecadores.’ Isa 13:6-9; ‘Porque aquele dia é o dia do Senhor Deus dos exércitos, dia de vingança para ele se vingar dos seus adversários. A espada devorará, e se fartará, e se embriagará com o sangue deles; pois o Senhor Deus dos exércitos tem um sacrifício na terra do Norte junto ao rio Eufrates.’ Jer 46:10; ‘Filho do homem, profetiza, e dize: Assim diz o Senhor Deus: Gemei: Ah! aquele dia! Porque perto está o dia, sim, perto está o dia do Senhor; dia de nuvens será, o tempo das nações. E uma espada virá ao Egito, e haverá angústia na Etiópia, quando caírem os traspassados no Egito; o seu povo será levado para o cativeiro e serão destruídos os seus fundamentos. Etiópia, e Pute, e Lude, e todo o povo da Arábia, e Cube, e os filhos da terra da aliança cairão juntamente com eles à espada. Assim diz o Senhor: Também cairão os que sustêm o Egito, e descerá a soberba de seu poder; desde Migdol até Sevené cairão nela à espada, diz o Senhor Deus. E ficarão desolados no meio das terras assoladas; e as suas cidades estarão no meio das cidades desertas. E saberão que eu sou o Senhor, quando eu puser fogo ao Egito, e forem destruídos todos os que lhe davam auxílio. Naquele dia sairão mensageiros de diante de mim em navios, para amedrontarem os etíopes descuidados; e sobre eles haverá angústia, como no dia do Egito; pois eis que já vem. Assim diz o Senhor Deus: Também farei cessar do Egito a multidão, por mão de Nabucodonozor, rei de Babilônia. Ele e o seu povo com ele, os terríveis dentre as nações, serão introduzidos para destruírem a terra; e desembainharão as suas espadas contra o Egito, e encherão a terra de mortos. E eu secarei os rios, e venderei a terra, entregando-a na mão dos maus, e assolarei a terra e a sua plenitude pela mão dos estranhos; eu, o Senhor, o disse.’ Eze 30:2-12). Em nosso texto para hoje, Paulo combinou esse conceito anterior com a analogia do ladrão, introduzida por Jesus (‘sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.’ Mat 24:43; ‘Sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.’ Luc 12:39).”

“A tripla combinação do dia do Senhor, do ladrão na noite e das contrações antes do nascimento de um bebê ilustra o mesmo ponto: a segunda vinda de Jesus será repentina, inesperada e inevitável para os ímpios. O tempo do fim não é o momento para se preparar para o fim. O tempo de preparação é agora.”

“O verso 4 deixa claro, no entanto, que Paulo não estava repreendendo os tessalonicenses. Eles já sabiam que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite. São os outros, aqueles que clamam ‘paz e segurança’, que serão surpreendidos pela futura destruição.”

“Em Atos 1:6, 7, os discípulos de Jesus perguntaram sobre o tempo dos eventos finais da história da Terra. Mas Jesus não satisfez sua curiosidade sobre essas coisas. O tempo do fim não devia ser conhecido por eles. Podemos perceber que a expressão ‘tempos e épocas’ diz respeito a tentativas de calcular o tempo do fim. Tais tentativas atraem a atenção, mas são espiritualmente contraproducentes. Elas causam desapontamento, quando passa o tempo calculado, ou demora na preparação, quando o tempo previsto está muito à frente.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – segunda-feira 27 de agosto de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF