Os Dez Mandamentos

Lições da Bíblia

“2. Leia Mateus 22:37-40 e Êxodo 20:1-17. De que maneira o resumo que Jesus fez dos mandamentos nos ajuda a compreender cada um deles?”1

Mateus (22:37-40 ARA)2:

“37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 38 Este é o grande e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 40 Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.”

Êxodo (20:1-17 ARA)2:

“1 Então, falou Deus todas estas palavras: 2 Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. 3 Não terás outros deuses diante de mim. 4 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. 5 Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem 6 e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. 7 Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. 8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. 9 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 10 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; 11 porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou. 12 Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá. 13 Não matarás. 14 Não adulterarás. 15 Não furtarás. 16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. 17 Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.”

“Os Dez Mandamentos são como uma Constituição. Depois de uma breve introdução que define o fundamento sobre o qual as declarações são feitas – nesse caso, o fato de Deus ter libertado Seu povo – o documento lista os princípios centrais sobre os quais a nação está alicerçada. Na lei de Deus existem ordens específicas sobre como o ser humano pode viver melhor seu amor a Deus e ao próximo. Não é de admirar que muitas nações com uma herança cristã tenham extraído o fundamento de suas leis desses princípios orientadores.”1

“Embora algumas dessas declarações sejam breves, não devemos subestimar a amplitude de seu impacto nem a abrangência dos Dez Mandamentos como a lei da vida. Por exemplo, o sexto mandamento, ‘Não matarás’ (Êx 20:13), resume e inclui ‘todos os atos de injustiça que tendem a abreviar a vida’, bem como ‘uma negligência egoísta de cuidar dos necessitados e sofredores’ (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 308). Semelhantemente, a proibição de furtar (veja Êx 20:15) condena o ‘tráfico de escravos e proíbe a guerra de conquista’. Ela ‘requer o pagamento de débitos e salários justos’, além de proibir ‘toda a tentativa de obter vantagem pela ignorância, fraqueza ou infelicidade de outrem’ (Patriarcas e Profetas, p. 309).”1

“Podemos facilmente dizer a nós mesmos que não somos pessoas ruins. Por exemplo, se não estivermos diretamente envolvidos em assassinatos ou furtos evidentes, pode parecer que estamos em boa situação. Mas ao falar sobre os mandamentos, Jesus deixou claro que eles não são cumpridos simplesmente pelo fato de deixarmos de realizar algumas ações específicas. Ao contrário, nossos pensamentos e motivações, e até a omissão em fazer coisas que sabemos que devemos fazer, podem ser transgressões da Lei de Deus (veja Mt 5:21-30).”1

Mateus (5:21-30 ARA)2:

“21 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. 23 Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24 deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. 25 Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. 26 Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo. 27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. 28 Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. 29 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. 30 E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno.”

“Portanto, imagine uma sociedade na qual cada um dos Dez Mandamentos fosse levado a sério e vivido plenamente. Seria uma sociedade ativa e vibrante, em que todos entusiasticamente agiriam com base em seu amor a Deus, amando e cuidando uns dos outros.”1

Segunda-feira, 08 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus e a essência da lei

Lições da Bíblia

“7. Analise os detalhes da história de Mateus 19:16-22 e seu contexto. Quais verdades amplas e importantes tiramos sobre a lei e o que envolve sua observância?”1 “16 E eis que alguém, aproximando-se, lhe perguntou: Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? 17 Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. 18 E ele lhe perguntou: Quais? Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; 19 honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. 20 Replicou-lhe o jovem: Tudo isso tenho observado; que me falta ainda? 21 Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. 22 Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades.” (Mateus 19:16-22 RA)2. Uma das verdades amplas é necessidade de se guardar todos mandamentos, esse aspecto é inquestionável, no entanto, quanto ao jovem rico, este tropeçou no décimo mandamento, não cobiçarás. Esse fato demostra que observância dos mandamentos não é só um ato exterior, sendo necessário a ação do poder de Deus em nossa vida para que a sua guarda seja também um ato interior. É do coração que procede todos os desígnios da vida, só um coração transformado pode obedecer os mandamentos com fruto do Espírito.

“O jovem rico não podia compreender que a salvação do pecado não é resultado de cumprir fielmente a lei. Ao contrário, ela vem do Legislador, o Salvador. Os israelitas conheciam essa verdade desde o início, mas a haviam esquecido. Então, Jesus mostrou o que eles deviam ter ouvido desde o princípio: que obediência e entrega total a Deus são tão unidas que uma sem a outra se torna apenas uma simulação da vida cristã. ‘Coisa alguma menos que obediência pode ser aceita. A entrega do próprio eu é a essência dos ensinos de Cristo. Muitas vezes, é apresentada e ordenada em linguagem que se afigura autoritária, porque não há outro modo de salvar homens senão cortar as coisas que, se forem mantidas, aviltarão todo o ser’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 523).”1

“Em outro encontro, os saduceus haviam questionado a ressurreição e Jesus os tinha surpreendido e silenciado com Sua resposta. Então, os fariseus se reuniram, prontos para fazer uma última tentativa de levar o Salvador a dizer algo que eles pudessem interpretar como sendo contra a lei. Eles escolheram um determinado intérprete da lei para questionar Jesus sobre qual era o mandamento mais importante (Mt 22:35-40).”1

“A pergunta do intérprete da lei provavelmente tivesse surgido pela tentativa dos rabinos de organizar todos os mandamentos por ordem de importância. Se dois mandamentos estivessem em aparente conflito, aquele que supostamente fosse o mais importante teria prioridade, e a pessoa estaria livre para transgredir o menos importante. Os fariseus exaltavam principalmente os primeiros quatro preceitos do Decálogo como sendo mais importantes que os últimos seis e, como resultado, falharam quando se tratava de assuntos de religião prática.”1

“Jesus respondeu de maneira magistral: Em primeiro lugar, deve haver amor no coração, antes que possamos começar a observar a lei de Deus. Obediência sem amor é impossível e sem valor. No entanto, onde há verdadeiro amor para com Deus, incondicionalmente a pessoa coloca a vida em harmonia com a Sua vontade expressa em todos os Dez Mandamentos. Por isso, Jesus disse: ‘Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos’ (Jo 14:15).”1

Quinta-feira, 04 de setembro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus e o quinto mandamento

Lições da Bíblia

“Durante outro encontro que Jesus teve com os escribas e fariseus (Mt 15:1-20; ver também Mc 7:1-13), eles O questionaram sobre uma tradição dos anciãos, a qual não se encontrava na lei de Moisés. Essa tradição determinava que as pessoas deviam fazer o ritual de lavar as mãos antes de comer, algo que os discípulos de Jesus tinham deixado de fazer. Cristo respondeu imediatamente, citando outra tradição dos fariseus, que invalidava o quinto mandamento.”1

“Antes de analisar o argumento de Cristo, precisamos entender que a tradição que os fariseus tinham estabelecido, chamada Corbã, vem de uma palavra que significa ‘uma dádiva’. Quando um homem aplicava as palavras ‘Isso é Corbã’ a alguma coisa, isso era considerado um juramento: algo era dedicado a Deus e ao templo.”1

“6. Leia Marcos 7:9-13. Em que aspecto a tradição dos fariseus era um modo muito sutil de transgredir o quinto mandamento? Considere a importância de apresentar ofertas diante de Deus (Êx 23:15; 34:20) e a santidade de um juramento feito ao Senhor (Dt 23:21-23).”1

“9 E disse-lhes ainda: Jeitosamente rejeitais o preceito de Deus para guardardes a vossa própria tradição. 10 Pois Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. 11 Vós, porém, dizeis: Se um homem disser a seu pai ou a sua mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta para o Senhor, 12 então, o dispensais de fazer qualquer coisa em favor de seu pai ou de sua mãe, 13 invalidando a palavra de Deus pela vossa própria tradição, que vós mesmos transmitistes; e fazeis muitas outras coisas semelhantes.” (Marcos 7:9-13 RA)2; “Guardarás a Festa dos Pães Asmos; sete dias comerás pães asmos, como te ordenei, ao tempo apontado no mês de abibe, porque nele saíste do Egito; ninguém apareça de mãos vazias perante mim.” (Êxodo 23:15 RA)2; “O jumento, porém, que abrir a madre, resgatá-lo-ás com cordeiro; mas, se o não resgatares, será desnucado. Remirás todos os primogênitos de teus filhos. Ninguém aparecerá diante de mim de mãos vazias.” (Êxodo 34:20 RA)2; “21 Quando fizeres algum voto ao SENHOR, teu Deus, não tardarás em cumpri-lo; porque o SENHOR, teu Deus, certamente, o requererá de ti, e em ti haverá pecado. 22 Porém, abstendo-te de fazer o voto, não haverá pecado em ti. 23 O que proferiram os teus lábios, isso guardarás e o farás, porque votaste livremente ao SENHOR, teu Deus, o que falaste com a tua boca.” (Deuteronômio 23:21-23 RA)2. Transgredia o quarto mandamento quando retirava dos pais o apoio em virtude de um juramento voluntário, não exigido por Deus. Era uma forma sutil de negar uma assistência natural que os filhos deviam aos pais com a desculpa de ter feito um juramento ao Senhor.

“Parece que os fariseus haviam encontrado a desculpa perfeita para negar aos pais o legítimo apoio. Eles haviam expandido os sólidos princípios encontrados no Pentateuco e os tinham transformado em mandamentos humanos que, no pensamento de seus líderes, poderiam anular um dos mandamentos de Deus.”1

“Essa não foi a única vez que Jesus lidou com tal perversão espiritual: ‘Ai de vós, fariseus! Porque dais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as hortaliças e desprezais a justiça e o amor de Deus; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas’ (Lc 11:42, itálicos acrescentados). Eles deviam ter observado os dois mandamentos, primeiro honrando pais e mães, sem deixar de dar ofertas ao Senhor.”1

“Não é de admirar que Jesus tenha resumido Seu argumento, aplicando aos fariseus uma descrição que Isaías fez dos israelitas 700 anos antes: ‘Este povo se aproxima de Mim com a sua boca, e honra-Me com seus lábios, mas o seu coração está longe de Mim. E em vão Me adoram, ensinando como doutrinas os preceitos de homens’ (Mt 15:8, 9, Bíblia NKJV). Mais uma vez, Cristo confirmou os Dez Mandamentos e contrastou Sua posição com a dos fariseus.”1

“Tem você procurado pequenas brechas técnicas, para não fazer o que é claramente seu dever?”1

Quarta-feira, 03 de setembro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus não mudou a lei

Lições da Bíblia

“1. 0 que Mateus 5:17-19 ensina sobre a atitude de Jesus para com a lei?”1 “17 Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. 18 Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. 19 Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.” (Mateus 5:17-19 RA)2. Jesus não veio para abolir a lei, vei para cumprir. Ele sempre enalteceu a necessidade do ser humano de guarda toda a lei.

“Embora a palavra lei seja usada frequentemente em referência aos primeiros cinco livros da Bíblia (também conhecidos como Pentateuco ou Torah), nesse caso, o contexto parece indicar que Ele estava Se referindo principalmente aos Dez Mandamentos. Ao dizer que não tinha vindo para ‘destruir’ a lei, (esus estava literalmente dizendo: ‘Eu não vim para invalidar nem abolir os Dez Mandamentos.’ Sua declaração foi muito clara e, provavelmente, Ele tivesse a intenção de mostrar
que eram os líderes religiosos que estavam destruindo a lei, diminuindo seu efeito por meio da tradição, não Ele (Mt 15:3, 6). Em contrapartida, preenchendo-a com um significado mais profundo, Cristo veio para ‘cumprir’ a lei, dando-nos um exemplo do que é a perfeita obediência à vontade de Deus (Rm 8:3,4).1

“2. Leia Atos 7:38. Quem foi o Anjo que falou com Moises e lhe deu a lei no Monte Sinai? Por que isso é importante?”1É este Moisés quem esteve na congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai e com os nossos pais; o qual recebeu palavras vivas para no-las transmitir.” (Atos 7:38 RA)2; “Em toda a angústia deles, foi ele angustiado, e o Anjo da sua presença os salvou; pelo seu amor e pela sua compaixão, ele os remiu, os tomou e os conduziu todos os dias da antiguidade.” (Isaías 63:9 RA)2. “e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo.” (1Coríntios 10:4 RA)2. O Anjo que falou a Moisés foi Cristo, isso é importante para resaltar que Cristo é o autor da lei.

“‘Cristo nào somente foi o guia dos hebreus no deserto […] mas foi também Ele quem deu a lei a Israel. Por entre a tremenda glória do Sinai, Cristo declarou aos ouvidos de todo o povo os dez preceitos da lei de Seu Pai. Foi Ele quem deu a Moisés a lei gravada em tábuas de pedra’ (Eilen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 366).”1

“O fato de o próprio Cristo ter dado a lei a Moisés no Monte Sinai torna ainda mais
importante que nós a levemos a sério. Além disso, se o próprio Legislador a explicou de modo mais profundo através de Suas instruções, encontradas nos evangelhos, faríamos bem em obedecer a essa lei. Seria muito difícil encontrar na vida e ensinamentos de Jesus algo que implicasse que os Dez Mandamentos não são obrigatórios para os cristãos. Suas palavras e exemplo nos ensinam exatamente o oposto.”1

“Embora Saibamos que a lei ainda é obrigatória, também sabemos que ela não pode nos salvar (Gl 3:21). Como podemos entender a relação entre a lei e a graça.”1

Domingo, 31 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A lei e os profetas

Lições da Bíblia.

“Alguns acreditam que os Dez Mandamentos, entregues ao povo por intermédio de Moisés no Monte Sinai, foram relevantes apenas para os israelitas antes da cruz e não são obrigatórios no tempo da graça da nova aliança. Outros ensinam que os cristãos estão livres da antiga lei, mas unicamente os de herança judaica ainda devem obedecer a ela. Como vimos, embora a Bíblia ensine que as obras da lei não possam salvar ninguém, nenhuma passagem dá licença para que alguém transgrida a lei de Deus. Se assim fosse, teríamos licença para pecar, e a Bíblia estaria claramente se contradizendo em um tema crucial.”1

“Nesse contexto, lembramos que Deus revelou os termos de Sua aliança com Israel em tábuas de pedra que continham a lei. No entanto, a Bíblia contém muitos outros mandamentos que envolvem detalhes não encontrados no Decálogo. Ao buscar uma compreensão abrangente da vontade de Deus, os rabinos contaram 613 leis bíblicas, as quais eles apoiaram nos Dez Mandamentos. Jesus parece ter ido além dos rabinos quando anunciou que não veio para ‘abolir a Lei ou os Profetas’ (Mt 5:17, NVI; ênfase acrescentada). Embora resumida nos Dez Mandamentos, a lei de Deus contém todos os mandamentos revelados aos Seus profetas.” 1

“1. Compare Mateus 19:16-22 e 22:34-40. O que essas passagens dizem sobre Jesus e os Dez Mandamentos?” 1 “E eis que alguém, aproximando-se, lhe perguntou: Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. E ele lhe perguntou: Quais? Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Replicou-lhe o jovem: Tudo isso tenho observado; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades.” (Mateus 19:16-22 RA)2; “Entretanto, os fariseus, sabendo que ele fizera calar os saduceus, reuniram-se em conselho. E um deles, intérprete da Lei, experimentando-o, lhe perguntou: Mestre, qual é o grande mandamento na Lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” (Mateus 22:34-40 RA)2. Jesus reafirmou a necessidade da guarda dos mandamentos como atitudes de amor a Deus e ao próximo, princípio claramente expressos nos Dez mandamentos da lei de Deus.

“Ainda que existam centenas de mandamentos que Deus revelou em Sua Palavra, os Dez Mandamentos apresentam princípios sólidos que podem ser aplicados a todas as outras leis. Por isso, Jesus mencionou cinco dos Dez Mandamentos ao falar com o jovem rico. Encontramos um resumo ainda mais convincente da lei de Deus em Deuteronômio 6:5 e Levítico 19:18, que é amar a Deus e amar o próximo. Jesus declarou: ‘Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas’ (Mt 22:40). Por fim, Jesus e o Pai são unidos em propósito quando exortam Suas criaturas a amar do modo pelo qual elas foram amadas. Nesse sentido, a obediência à lei é uma forma fundamental de expressar esse amor.” 1

“De que maneira você demonstra seu amor a Deus e ao próximo?” 1

Domingo, 18 de maio de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Superiores promessas. Jesus “[…] Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas.” (Hebreus 8:6).

Lições da Bíblia

“Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas.” (Heb 8:6).

“Talvez a maior diferença entre a religião do Antigo Testamento e a do Novo seja o fato de que a era do Novo Testamento foi introduzida pela vinda do Messias, Jesus de Nazaré. Ele foi enviado por Deus para ser o Salvador. Os homens não podiam ignorá-Lo e esperar ser salvos. Unicamente mediante a expiação que Ele proveu eles poderiam ter o perdão de seus pecados. Só pela atribuição de Sua vida perfeita poderiam apresentar-se diante de Deus sem condenação. Em outras palavras, a salvação foi provida pela justiça de Jesus, e nada mais.”

Entretanto, “[…] os requisitos morais permanecem inalterados no Novo Testamento, porque esses foram fundados no caráter de Deus e de Cristo. A obediência à lei moral de Deus é tanto parte da Nova Aliança quanto da Antiga.”

“Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.” (Mt 19:17).

“Às palavras: ‘Guarda os mandamentos’, o jovem respondeu: ‘Quais?’ Mat. 19:17 e 18. Supôs que fossem alguns preceitos cerimoniais; mas Cristo falava da lei dada no Sinai. Mencionou diversos mandamentos da segunda tábua do decálogo, e resumiu-os todos no preceito: ‘Amarás o teu próximo como a ti mesmo.’ Mat. 19:19.” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 391).

“Ao mesmo tempo, todo o corpo de leis cerimoniais e rituais, que eram distintamente israelitas, que estavam distintamente relacionadas com a Antiga Aliança, que apontavam Jesus, Sua morte e ministério sumo-sacerdotal, foi descontinuado, e uma nova ordem foi introduzida, baseada em “superiores promessas”.

A lei moral não foi abolida, os dez mandamentos, continuam válidos como expressão da vontade de Deus e devem ser guardados em resposta ao seu amor.

“Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.” (Ap 12:17).

“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” (Ap 14:12).

“Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto, aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei.” (Tg 2:10, 11).

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina – Domingo, 04 de julho de 2011. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico.

Este conteúdo é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress, Livejournal.

Para impressão acesse arquivo em formato PDF