Conflito, abuso, poder e controle

Lições da Bíblia

“Às vezes, o conflito e a ira não resolvidos podem se transformar em uma dinâmica muito negativa e destrutiva, fazendo com que um relacionamento se torne até mesmo abusivo. O abuso pode assumir diversas formas: física, verbal, emocional, psicológica, sexual, etc. Mas toda forma de abuso é contrária ao princípio central do reino de Deus: o amor abnegado.”1

“6. Quais ensinamentos fundamentais sobre relacionamentos encontramos em 1 João 4:7, 8 e Colossenses 3:19?”1

1 João (4:7, 8 ARA)2: “7 Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 8 Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.”

Colossenses (3:19 ARA)2:Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura.”

“‘Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura’ (Cl 3:19). No texto grego, a palavra ‘amargura’ se refere a alguém que está irado ou que trata com amargura o parceiro, causando dor constante, hostilidade intensa e expressões de ódio contra o outro. Paulo foi muito claro ao dizer que o cônjuge não deve ser hostil nem violento. O abuso emocional, sexual e físico não é um comportamento aceitável para um marido cristão. Em vez disso, aceitável é amar o cônjuge. Paulo também deixou claro que o amor é paciente e bondoso, não é ciumento, não se vangloria, não é orgulhoso, rude, egoísta, nem se irrita facilmente; não guarda rancor, não se alegra com o mal, mas com a verdade. O amor sempre protege, confia, espera e persevera. Nenhum dos atributos do amor tolera o abuso, nem mesmo remotamente, e não o aceita de nenhuma forma e em nenhum aspecto.”1

“Um relacionamento saudável é aquele em que ambos os cônjuges se sentem protegidos e seguros, em que a ira é controlada de maneira saudável e em que a norma é servir um ao outro. Muitas vezes, as vítimas de abuso se sentem culpadas, como se fossem responsáveis por provocar aquele que abusa, ou sentem que, de alguma forma, merecem o abuso que recebem. O abusador pode ser bastante controlador e, muitas vezes, habilidoso em fazer com que suas vítimas se sintam responsáveis. A verdade é que ninguém merece ser abusado, e o abusador é responsável por suas próprias escolhas e ações. A boa notícia é que a Bíblia oferece conforto às vítimas e não as culpa. Nas situações em que o problema se torna incontrolável não devemos ter medo de procurar ajuda externa.”1

“É lamentável que algumas culturas tolerem o abuso de mulheres. Por que nenhum cristão deve cair nesse tipo de comportamento, independentemente do que sua cultura lhe permita?”1

Quarta-feira, 05 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A função da ira no conflito

Lições da Bíblia

“Quem já não ficou irado em algum momento? Quando essa ira é direcionada a um membro da família, ela se torna ainda mais difícil. Além da recusa em perdoar, a ira pode se transformar em um veneno que causa grande dor e sofrimento no lar, na família e nos relacionamentos em geral.”1

“4. Leia Efésios 4:26, 27 e Eclesiastes 7:9. Como podemos equilibrar nossa compreensão da ira como uma emoção e também como um pecado? Qual é a diferença?”1

Efésios (4:26, 27 ARA)2: “26 Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, 27 nem deis lugar ao diabo.”

Eclesiastes (7:9 ARA)2:Não te apresses em irar-te, porque a ira se abriga no íntimo dos insensatos.”

“5. Segundo Tiago 1:19, 20, como devemos agir, especialmente quando lidamos com membros da família cujas ações, atitudes e palavras nos irritam? Complete as lacunas:”1

Tiago (1:19, 20 ARA): “19 Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. 20 Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus.”

“Se você está irado com alguma coisa, em vez de deixar essa ira pairar como uma nuvem negra sobre sua vida, transforme-a em algo positivo. Ore por aqueles que o ferem e o maltratam, perdoe-os e se torne uma bênção para eles. Provavelmente não será fácil no início, mas quando você tomar a decisão e a mantiver, Deus cuidará do restante.”1

“Às vezes, a origem da ira está no lar em que crescemos. Pessoas iradas muitas vezes vêm de famílias iradas, pois aprendem a partir de seus modelos e seguem o mesmo comportamento em sua vida, consequentemente transmitindo-o a seus filhos. Às vezes, a ira é o resultado de necessidades não satisfeitas ou de inveja, como foi o caso de Caim, o que o levou a assassinar seu irmão.”1

“Você pode ter um bom motivo para ficar irado, mas não use isso como desculpa para continuar assim. Não negue a sua ira nem tente justificá-la. Em vez disso, peça a ajuda de Deus para lidar com ela de maneira positiva. O apóstolo Paulo deu bons conselhos: ‘Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem’ (Rm 12:21).”1

“Todos temos coisas que nos deixam irados a ponto de nos fazer sofrer. Em alguns casos, provavelmente temos justificativa para essa ira. A questão é: mediante o poder de Deus, como podemos impedir que a ira nos torne miseráveis? De que maneira devemos ajudar os que sofrem com esse problema ao nosso redor?”1

Terça-feira, 04 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Quando surgem conflitos – Estudo adicional

Lições da Bíblia
Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

Estudo adicional

“Leia, de Ellen G. White, ‘Um Perseguidor da Verdade’, p. 131-142, e ‘Judeus e Gentios’, p. 188-200, em Atos dos Apóstolos.”1

“O concílio que decidiu esse caso era composto pelos apóstolos e mestres que se haviam destacado no trabalho de fundar igrejas cristãs judaicas e gentílicas […]. Estavam presentes anciãos de Jerusalém e de Antioquia, e as igrejas mais influentes estavam representadas. O concílio se conduziu de acordo com os ditames de iluminado juízo e com a dignidade de uma igreja estabelecida pela vontade divina. Como resultado de suas deliberações, todos eles viram que o próprio Deus tinha dado resposta à questão, concedendo aos gentios o Espírito Santo; e sentiram que era sua parte seguir a orientação do Espírito.”1

“‘Não foram convocados todos os crentes para votar sobre a questão. Os ‘apóstolos e anciãos’ (At 15:23), homens de influência e bom senso, redigiram e expediram a resolução, que foi logo aceita pelas igrejas cristãs. Entretanto, nem todos ficaram contentes com a decisão. Havia uma facção de irmãos ambiciosos e possuídos de presunção que a desaprovaram. Esses homens pretensiosamente tomaram a decisão de se empenhar na obra sob a própria responsabilidade. Entregaram-se a muita murmuração e crítica, propondo novos planos e procurando desfazer a obra dos homens a quem Deus ordenara que ensinassem a mensagem […]. Desde o início a igreja teve tais obstáculos a enfrentar, e há de tê-los até a consumação do tempo’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 196, 197).”1

Pergunta para discussão

“Na Lição desta semana, estudamos medidas para resolver conflitos. Elas podem ser aplicadas hoje? Embora a igreja estivesse lidando com uma questão teológica, como esses relatos nos ajudam quando questões culturais, políticas ou étnicas ameaçam a unidade da igreja?”1

“Resumo: A igreja primitiva foi ameaçada por conflitos internos sobre uma série de questões que poderiam ter desencadeado um efeito devastador. Sob a orientação do Espírito Santo e em submissão à Palavra de Deus, a igreja conseguiu resolver esses conflitos e evitar divisões.”1

Sexta-feira, 16 de novembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.

 

Quando surgem conflitos

Lições da Bíblia

Os que em Cristo foram batizados, de Cristo se revestiram. Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus” (Gl 3:27, 28, NVI).1

“Uma das tarefas mais difíceis de uma comunidade cristã é manter a unidade quando surgem diferenças de opinião em questões relativas à identidade e à missão da igreja. Essas diferenças podem levar a consequências devastadoras.”1

“As comunidades cristãs de hoje não são diferentes das que vemos no Novo Testamento. Pessoas são pessoas, e as diferenças surgirão mesmo em questões importantes. Os primeiros cristãos enfrentaram alguns conflitos em decorrência de preconceitos interpessoais e de sérias diferenças de interpretação das histórias e práticas fundamentais do Antigo Testamento. Esses conflitos poderiam ter destruído a igreja logo em seu início, se não fosse pelos apóstolos e líderes zelosos que buscaram a orientação do Espírito Santo e das Escrituras para resolver essas tensões.”1

“Há algumas semanas estudamos como a igreja primitiva experimentou sua unidade. Nesta semana, examinaremos como ela resolveu os conflitos internos que enfraqueciam sua unidade e ameaçavam sua sobrevivência. Quais foram esses conflitos? Como a igreja resolveu essas questões? E o que aprendemos com essas experiências?”1

Sábado, 10 de novembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.

O conflito continua – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Sem dúvida, conforme estudamos nesta semana, a Palavra de Deus mostra vez após vez a fidelidade de Deus ao Seu povo. Em muitos casos, no tempo em que as coisas estavam acontecendo, essa fidelidade nem sempre era óbvia ou aparente. Nos relatos que examinamos, vimos o princípio e o fim. Alguns dos personagens envolvidos, como Urias, o heteu, não puderam ver. Hoje, estamos tão envolvidos no grande conflito quanto as pessoas que estudamos. E não apenas essas pessoas, mas muitas outras, tão reais quanto as que foram mencionadas no texto, mas que nem sempre viveram para ver as coisas terminarem tão bem. Por isso, especialmente nos momentos difíceis (que ocorrem com tanta frequência), é importante que os cristãos se lembrem das maravilhosas palavras de Paulo: ‘Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas’ (2Co 4:16-18). Nessa passagem, Paulo procurou mostrar algo que vai além das lutas diárias, falhas e fraquezas da humanidade, para que contemplemos a única esperança que torna a vida mais do que uma farsa cruel.”1

Perguntas para reflexão

“1. Que outras promessas bíblicas apontam para nossa suprema esperança? Reúna algumas delas e leia-as em voz alta. Que cenário elas nos apresentam?”1

“2. O que tornou trágica a queda de Davi foi que ele tinha sido abençoado por Deus de modo especial! Apesar de tudo que ele havia recebido, cometeu um grave pecado. Mas, em vez de se concentrar só no lado negativo, pense no aspecto positivo dessa sórdida história: a graça de Deus, concedida a alguém que havia caído a um nível tão baixo. O que isso diz sobre a completa e plena redenção que temos em Jesus? Não importando o que tenhamos feito nem a gravidade da nossa queda, como podemos ter a certeza de que seremos perdoados, se nos arrependermos, como ocorreu com Davi?”1

Sexta-feira, 29 de janeiro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

O conflito continua

Lições da Bíblia

E lhes declarei como a boa mão do meu Deus estivera comigo e também as palavras que o rei me falara. Então, disseram: Disponhamo-nos e edifiquemos. E fortaleceram as mãos para a boa obra(Ne 2:18).1

“Quando comparamos a vida de Davi, Elias, Ezequias, Ester e Neemias, surgem temas similares: Deus é capaz de usar pessoas ‘insignificantes’ para repelir a onda do mal. Através de alguns desses relatos vemos que, apesar dos tremendos obstáculos, não precisamos sucumbir ante a enormidade do mal. Em vez disso, podemos resistir firmemente, mas somente no poder de Deus, que é fiel às Suas promessas da aliança, cumpridas em nosso favor na pessoa de Jesus. Quando o povo de Deus resistir em Seu poder, verá que as forças do mal não são poderosas o suficiente para prevalecer.”1

“O foco e o desafio estão em nos regozijarmos em Seu livramento. Isso nem sempre faz sentido no contexto dos grandes desafios que às vezes enfrentamos, e que são muito maiores que nós. Regozijar-nos no livramento de Deus antes que ele ocorra é um ato de fé e adoração, e não consequência lógica do que acontece ao nosso redor. Por outro lado, por causa do que Cristo fez por nós, confiar na fidelidade de Deus é a única atitude lógica que podemos ter.”1

A Semana Santa deste ano será de 19 a 27 de março. Sua igreja está orando para levar pessoas ao batismo? O que está sendo feito para alcançar esse objetivo?

Assista em vídeo o esboço da lição desta semana.

Sábado, 23 de janeiro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

Do rancor para a restauração

Lições da Bíblia.

“5. Leia Mateus 18:15-17. Quais são os três passos ensinados por Jesus para resolver os conflitos quando somos prejudicados por outro membro da igreja? Como devemos aplicar essas palavras aos nossos relacionamentos?” “Se teu irmão pecar [contra ti], vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.” (Mateus 18:15-17 RA). “A) Falar com a pessoa que nos ofendeu. B) Se a pessoa não nos ouvir, devemos levar uma ou duas testemunhas, na tentativa de reconciliação. C) Se o conflito não for resolvido, levar o assunto à comissão da igreja, que tentará resolver o conflito. O princípio para os nossos relacionamentos é fazer de tudo para alcançar a reconciliação.”

“O propósito de Jesus ao dar o conselho de Mateus 18 foi que os conflitos na igreja envolvessem a menor quantidade possível de pessoas. Sua intenção era que as duas pessoas envolvidas resolvessem sua própria dificuldade. Por isso, Jesus declarou: ‘Se teu irmão pecar contra ti, vai argui-lo entre ti e ele só’ (Mt 18:15). À medida que cresce o número de pessoas envolvidas em um conflito entre duas pessoas, mais contenda é criada. As pessoas apoiam um dos lados e ocorre uma batalha. Mas quando os cristãos tentam resolver suas diferenças em particular, no espírito de amor cristão e de compreensão mútua, é criada uma atmosfera de reconciliação. Esse ambiente é ideal para que o Espírito Santo trabalhe com as pessoas enquanto elas se esforçam para resolver suas diferenças.”

“Há momentos em que apelos pessoais para resolução de conflitos são ineficazes. Nesses casos, Jesus nos convida a levar uma ou duas pessoas conosco. Esse segundo passo no processo da reconciliação deve ser sempre seguido pelo primeiro passo, no sentido de unir as pessoas afastadas. Não devemos tomar partido. Precisamos demonstrar amor e compaixão cristãos como conselheiros e companheiros de oração, a fim de participar do processo de reconciliação de duas pessoas afastadas.”

“Há ocasiões em que todas as tentativas de resolver o problema não funcionam. Nesse caso, Jesus nos ensina a levar a questão perante a igreja. Certamente, Ele não está falando sobre interromper o culto do sábado de manhã para lidar com uma questão de conflito pessoal. Se as duas primeiras etapas não conseguiram reconciliar as duas partes, o problema deve ser tratado na comissão da igreja. Lembre-se: O propósito de Cristo é a reconciliação. Não é culpar uma parte e isentar a outra.”

“Não permita que seu ressentimento resulte em maldade. Não consinta que a ferida supure abrindo-se em palavras malignas, que venham a deixar uma nódoa na mente dos que ouvem você. Não admita que persistam em sua mente e na deles, pensamentos amargos. Vá ter com seu irmão e, em humildade e sinceridade, converse com ele sobre o problema” (Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, p. 499).

Quinta-feira, 19 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

O grande conflito e a história

Lições da Bíblia.

“Não importa se a trajetória humana pareça muito caótica, ou aparentemente fora de controle, ela não se desenrola em um vácuo. Há uma história por trás dela, um drama, uma luta entre dois princípios radicalmente diferentes. Estamos falando, sem dúvida, sobre o grande conflito. Somente com esse pano de fundo podemos começar a entender a história humana e o significado de tudo.”

“6. O que os textos a seguir nos dizem sobre a história do mundo?” Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos. Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus. Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida. Por isso, festejai, ó céus, e vós, os que neles habitais. Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta. Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão; e foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente. Então, a serpente arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fosse arrebatada pelo rio. A terra, porém, socorreu a mulher; e a terra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha arrojado de sua boca. Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.” (Apoc. 12:7-17). “Num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles apresentar-se perante o SENHOR. Então, o SENHOR disse a Satanás: Donde vens? Respondeu Satanás ao SENHOR e disse: De rodear a terra e passear por ela.” (Jó 2:1-2). “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. (Isa. 14:12-14).Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gên. 3:15). porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” (Efés. 6:12). E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás. A graça de nosso Senhor Jesus seja convosco.” (Rom. 16:20). “Desde o pecado de Lúcifer, que se tornou Satanás e foi expulso do Céu para a Terra, existe um grande conflito entre o bem e o mal, entre anjos e demônios; o conflito envolve a humanidade e a Terra.”

“Satanás é real, a batalha é real. Somente na cruz ele foi derrotado e sua destruição assegurada.”

“Com dor e espanto o Céu contemplou Cristo pendente da cruz… No entanto, ali estavam homens formados à imagem de Deus, unidos para esmagar a vida de Seu unigênito Filho. Que cena para o Universo celestial! […] Instrumentos satânicos se coligaram com homens maus para levar o povo a crer que Cristo era o maior dos pecadores, e torná-Lo objeto de abominação […] Satanás viu que tinha sido desmascarado. Sua administração foi exposta perante os anjos não caídos e o Universo celestial. Ele se havia revelado um homicida. Derramando o sangue do Filho de Deus, Satanás se privou das simpatias dos seres celestiais… Estavam quebrados os derradeiros laços de simpatia entre Satanás e o mundo celestial” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 760, 761).

“Por que Satanás não foi destruído naquele momento?”

“Os anjos não perceberam, nem mesmo então, tudo quanto estava envolvido no grande conflito. Os princípios em jogo deviam ser mais plenamente revelados. E por amor do homem, a existência de Satanás devia continuar. Os homens, bem como os anjos, deviam ver o contraste entre o Príncipe da Luz e o das trevas. Cumpria-lhes escolher a quem servir” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 761).

“O que a Bíblia e Ellen G. White ensinam é que os eventos que ocorrem na Terra estão ligados ao conflito mais amplo, o grande conflito entre Cristo e Satanás. O grande conflito está na base de tudo que acontece aqui, seja em nossa vida individual ou no curso mais amplo da história humana. Tudo se desenrola no contexto desse grande conflito. E a boa notícia é que, na cruz, a derrota de Satanás foi garantida; essa luta acabará, e com ela toda dor, sofrimento, violência, medo e incerteza que enchem a história humana.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quarta-feira 29 de fevereiro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF