Cantando os cânticos do Senhor

Lições da Bíblia

“1. Leia Neemias 12:27-29. Observe algumas palavras-chave que revelam como eram a adoração e o louvor do povo. Como você os descreveria?”1

Neemias (12:27-29 ARA)2: “27 Na dedicação dos muros de Jerusalém, procuraram aos levitas de todos os seus lugares, para fazê-los vir a fim de que fizessem a dedicação com alegria, louvores, canto, címbalos, alaúdes e harpas. 28 Ajuntaram-se os filhos dos cantores, tanto da campina dos arredores de Jerusalém como das aldeias dos netofatitas, 29 como também de Bete-Gilgal e dos campos de Geba e de Azmavete; porque os cantores tinham edificado para si aldeias nos arredores de Jerusalém. 30 Purificaram-se os sacerdotes e os levitas, que também purificaram o povo e as portas e o muro.”

“A nação israelita havia comissionado uma classe específica de levitas para trabalhar como cantores e músicos nos cultos do templo. Deus conduziu a prática e deu instruções para o culto, pois o louvor no templo deveria ser belo e executado profissionalmente.”1

“O rei Davi tinha organizado essa prática em um sistema mais elaborado e grandioso do que havia sido feito anteriormente. Portanto, os descendentes de Asafe, a quem Davi tinha nomeado líder da adoração no templo, ainda eram escolhidos como ‘responsáveis pela música do templo de Deus’ (Ne 11:22; NVI).”1

“2. O que 1Crônicas 25:6-8 nos ensina sobre a centralidade e a importância da música na adoração e na apresentação de “hinos de louvor ao Senhor”?”1

1Crônicas (25:6-8 ARA)2: “6 Todos estes estavam sob a direção respectivamente de seus pais, para o canto da Casa do Senhor, com címbalos, alaúdes e harpas, para o ministério da Casa de Deus, estando Asafe, Jedutum e Hemã debaixo das ordens do rei.O número deles, juntamente com seus irmãos instruídos no canto do Senhor, todos eles mestres, era de duzentos e oitenta e oito. 8 Deitaram sortes para designar os deveres, tanto do pequeno como do grande, tanto do mestre como do discípulo.

“Os cantores eram levitas e, portanto, oficialmente designados para o serviço no templo. Por conseguinte, seu trabalho remunerado era preparar músicas para os cultos do templo. Durante os dias do rei Davi, foi organizada uma qualificada academia de música, a qual ele supervisionava. Havia mestres, alunos, jovens e idosos que trabalhavam em turnos no templo providenciando músicas. Alguns eram instrumentistas, outros cantores, outros cuidavam dos instrumentos e das roupas usadas nos cultos. Qual era o propósito dessa organização profissional? Ela servia para desenvolver os talentos e a visão de excelência, que deve ser sempre buscada na adoração. Os louvores devem vir do coração e serem expressos da melhor maneira para que as pessoas sejam elevadas espiritualmente. Podemos imaginar que os músicos e os cantores que serviam no templo eram cuidadosamente selecionados para conduzir o serviço de louvor.”1

“Você tem experimentado a alegria da adoração por meio da música? Por que isso é importante?”1

Movimento de oração e resgate: Continue orando por amigos(as) que já pertenceram à nossa comunidade e estão longe de Jesus e da igreja. Além de orar, planeje uma visita especial a essas pessoas. Peça que o Espírito Santo use você para resgatá-las.

Domingo, 01 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Salmos: cânticos de esperança para os oprimidos

Lições da Bíblia

“Como já observamos, Deus vê e ouve pessoas em aflição e dificuldade. Na maioria das vezes, nos Salmos, vemos o clamor de pessoas que confiavam em Deus, mas não viam a justiça sendo feita. As afirmações sobre a bondade, a justiça e o poder de Deus pareciam sufocadas diante da injustiça e opressão vivenciadas e observadas pelas vozes desses cânticos.”1

“No entanto, esses são os hinos dos que ainda estavam cantando. Nem sua vida nem sua fé haviam se extinguido. Ainda havia esperança; e a urgência era que Deus agisse antes que fosse tarde demais, antes que o mal triunfasse, antes que os oprimidos fossem destruídos pelo peso do mal trazido contra eles. Dessa maneira, os escritores dos Salmos tentaram preencher a lacuna entre as declarações de sua fé e as provações e tragédias da vida.”1

“1. Leia o Salmo 9:7-9, 13-20. Com base no texto, você imagina as circunstâncias em que Davi estava? Pode sentir a tensão entre sua fé na bondade de Deus e sua experiência? Como fica sua fé em meio às provações?”1

Salmo (9:7-9, 13-20 ARA)2: “7 Mas o SENHOR permanece no seu trono eternamente, trono que erigiu para julgar. 8 Ele mesmo julga o mundo com justiça; administra os povos com retidão. 9 O SENHOR é também alto refúgio para o oprimido, refúgio nas horas de tribulação. […] 13 Compadece-te de mim, SENHOR; vê a que sofrimentos me reduziram os que me odeiam, tu que me levantas das portas da morte; 14 para que, às portas da filha de Sião, eu proclame todos os teus louvores e me regozije da tua salvação. 15 Afundam-se as nações na cova que fizeram, no laço que esconderam, prendeu-se-lhes o pé. 16 Faz-se conhecido o SENHOR, pelo juízo que executa; enlaçado está o ímpio nas obras de suas próprias mãos. 17 Os perversos serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus. 18 Pois o necessitado não será para sempre esquecido, e a esperança dos aflitos não se há de frustrar perpetuamente. 19 Levanta-te, SENHOR; não prevaleça o mortal. Sejam as nações julgadas na tua presença. 20 Infunde-lhes, SENHOR, o medo; saibam as nações que não passam de mortais.”

“Ao longo dos Salmos, a repetida resposta a essa tensão é a esperança e a promessa do bom e justo juízo de Deus. O mal e a injustiça parecem triunfar por enquanto, mas Deus julgará os malfeitores e os injustos. Eles serão punidos, enquanto os que eles feriram e oprimiram serão restaurados e renovados.”1

“Na obra Lendo os Salmos, C. S. Lewis descreveu sua surpresa inicial com o entusiasmo e o anseio pelo juízo de Deus expressados repetidamente nos Salmos. Observando que muitos leitores da Bíblia hoje consideram o juízo como algo a ser temido, ele considerou a perspectiva judaica original e escreveu: ‘Centenas e milhares de pessoas que foram despojadas de tudo o que possuíam e que tinham o direito inteiramente ao seu lado seriam, por fim, ouvidas. É claro que elas não temiam o juízo. Sabiam que seu caso era inquestionável – desde que conseguissem ser ouvidas. Quando Deus viesse, sua causa, por fim, seria julgada’ (C. S. Lewis, Lendo os Salmos [Viçosa, MG: Editora Ultimato, 2015], p. 19).”1

“Nos Salmos, vemos esperança para os oprimidos, mesmo agora, em meio a seus sofrimentos e decepções.”1

“Quais razões temos para considerar a ideia de juízo uma coisa positiva e não algo a ser temido?”1

Domingo, 21 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.