Crescendo por meio da doação

Lições da Bíblia

“O Mar Morto marca a altitude mais baixa da Terra. A 423 metros abaixo do nível do mar, ele é considerado o mar mais baixo do mundo. O rio Jordão flui do mar da Galileia e serpenteia através do vale do Jordão até terminar no Mar Morto.”1

“O clima quente e seco, com a intensa luz solar e as condições do deserto, faz com que a água evapore rapidamente. Como o teor de sal e minerais do Mar Morto é de 33,7%, pouca coisa sobrevive em suas águas. Não há peixes nem plantas; apenas alguns micróbios e bactérias na parte inferior.”1

“Na vida cristã, se a graça de Deus que atua em nossa vida não fluir para os outros, ficaremos estagnados e quase sem vida, como o Mar Morto. Não é assim que devemos viver.”1

4. Leia João 7:37, 38 e Lucas 6:38. Em contraste com a experiência do Mar Morto, quando os cristãos recebem as correntes refrescantes da água viva de Cristo, qual é o resultado natural?

João 7:37, 38 (ARA)2: “37 No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. 38 Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.

Lucas 6:38 (ARA)2: “38 dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.”

“Deus poderia ter realizado Seu plano de salvar pecadores sem o nosso auxílio; mas, para desenvolvermos caráter semelhante ao de Cristo, precisamos partilhar de Sua obra. Com o propósito de participar da alegria Dele, a alegria de ver pessoas redimidas por Seu sacrifício, devemos colaborar em Sua obra para redenção delas” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 142).1

“Os que desejam ser vencedores precisam negar a si mesmos; e a única coisa que efetuará essa grandiosa obra é interessar-se vivamente pela salvação dos outros” (Ellen G. White, Fundamentos da Educação Cristã, p. 207).

“Crescemos ao compartilharmos o que Cristo fez em nossa vida. Considerando tudo o que recebemos em Cristo, o que, senão o egoísmo mais abjeto, poderia nos impedir de compartilhar o que nos foi dado? Entretanto, se deixarmos de compartilhar nossa fé, nossa vida espiritual se tornará tão estagnada quanto o Mar Morto.”1

Quais têm sido suas experiências em testemunhar para os outros, orar com os outros e ministrar às necessidades de outras pessoas? Como essas experiências têm impactado sua fé e sua caminhada com o Senhor?1

Terça-feira, 30 de junho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Doação como forma de compartilhar

Lições da Bíblia

“Após sua conversão, Paulo assumiu a missão de levar o evangelho ao mundo gentílico. O sucesso que Deus lhe deu levantou questões importantes sobre a relação entre as raízes judaicas da emergente fé cristã e os novos seguidores de Jesus. Um concílio de líderes cristãos judeus e gentios se reuniu em Jerusalém para discutir o assunto e buscar a orientação divina sobre essas questões complicadas. A reunião e suas resoluções estão registradas em Atos 15.”1

“No entanto, no relatório de Paulo acerca dessa reunião, encontrado em Gálatas 2, ele acrescentou outro elemento importante às ordens que havia recebido do concílio de Jerusalém para o seu contínuo ministério entre os gentios: ‘Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer’ (Gl 2:10).”1

“E Paulo continuou a perseguir esse objetivo pessoalmente (veja, por exemplo, Atos 20:35) durante todo o seu ministério. Como ocorreu com a igreja primitiva em Jerusalém, Paulo expandiu a visão da comunidade cristã a fim de aceitar todos os crentes.”1

“3. Leia 2 Coríntios 8:7-15. Como Paulo relacionou o evangelho e a doação generosa?”1

2 Coríntios (8:7-15 ARA)2: “7 Como, porém, em tudo, manifestais superabundância, tanto na fé e na palavra como no saber, e em todo cuidado, e em nosso amor para convosco, assim também abundeis nesta graça. 8 Não vos falo na forma de mandamento, mas para provar, pela diligência de outros, a sinceridade do vosso amor;pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos. 10 E nisto dou minha opinião; pois a vós outros, que, desde o ano passado, principiastes não só a prática, mas também o querer, convém isto. 11 Completai, agora, a obra começada, para que, assim como revelastes prontidão no querer, assim a leveis a termo, segundo as vossas posses. 12 Porque, se há boa vontade, será aceita conforme o que o homem tem e não segundo o que ele não tem. 13 Porque não é para que os outros tenham alívio, e vós, sobrecarga; mas para que haja igualdade, 14 suprindo a vossa abundância, no presente, a falta daqueles, de modo que a abundância daqueles venha a suprir a vossa falta, e, assim, haja igualdade, 15 como está escrito: O que muito colheu não teve demais; e o que pouco, não teve falta.”

“Paulo utilizou duas referências do Antigo Testamento para exortar os cristãos a cuidar de seus irmãos em circunstâncias difíceis. Ele citou a história da generosa provisão de maná aos israelitas no deserto como um modelo de doação e do ato de compartilhar entre a comunidade mais ampla da igreja (2Co 8:15). Ele também citou o Salmo 112:9: ‘Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre’ (2Co 9:9).”1

“Paulo recomendou que seus leitores fossem intencionais nas doações, que separassem regularmente uma parte de sua renda para que ele ou Tito recolhessem essas ofertas e as entregassem aos necessitados em Jerusalém. Ele usou o exemplo de uma igreja para encorajar outras a ter generosidade semelhante. Ele escreveu: ‘Por meio dessa prova de serviço ministerial, outros louvarão a Deus pela obediência que acompanha a confissão que vocês fazem do evangelho de Cristo e pela generosidade de vocês em compartilhar seus bens com eles e com todos os outros’ (2Co 9:13, NVI).”1

“Como devemos priorizar nossas doações quando não podemos doar a todas as causas nem a todas as necessidades apresentadas?”1

Terça-feira, 27 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.